maio 19, 2017

(Textos Meus) 'Cause now I'm as free as birds catching the wind.

Levanto a cabeça no alto e sinto a brisa inebriante desse céu azul misturado ao sol escaldante.Um sorriso dá novo formato ao meu rosto coberto de areia e muita alegria.Sorrisos são disparados como cada respiro necessário.Um biquíni comum estampa o corpo mediano que demorei um tempo para ter, mas estou feliz pela minha essência e não pelo material embutido em minha pele.Um ombro conhecido toca o meu e dou um suspiro leve por alguns segundos.Olho ao redor e rezo para que esse sonho jamais termine.Como será morar aqui?Tipo, para sempre?Pensamentos são pássaros voando com plenitude pelas pequenas nuvens que cobrem uma parte do céu.Coloco uma mecha do cabelo vermelho para trás.Tingir os fios castanho-claros dessa cor inusitada pegou todos de surpresa, mas o que é a vida senão uma caixinha colorida de sorrisos e momentos inesperados?Minhas filosofias desabrocham como flores delicadas nesse instante.Sinto uma energia tão boa nesse lugar.Fecho os olhos de novo e lembro de como vim parar aqui.

Algo pinica meus pés, enquanto recordo da primeira vez que pisei nos EUA.Morar no Brasil me sufocava ás vezes e me enchia de dúvidas em relação as pessoas que eu convivia.Atravessei o mundo para observar quem sentiria minha falta ou alguma asneira parecida, sem me dar conta de quem eu realmente era e do quanto fazia falta a minha própria companhia por alguns meses.Fiz um curso básico de inglês( a língua pela qual sempre fui apaixonada) e me especializei como professora para guardar uma grana e fazer um intercâmbio com direito á tudo.Respirar outros ares.Outras pessoas.Outras ruas.Outras flores e praias.O namorado, a melhor amiga, os pais e as irmãs ficaram lá me esperando.Errado?Não.Conquistar nossos sonhos é uma parte essencial para continuarmos sobrevivendo.E dar uma chance para o mundo me ganhar era um objetivo eterno.E conquistado,finalmente.

A demora para escolher um destino era quase desesperadora.Tantos lugares bonitos, tantas cidades repletas de luzes camuflando a poeira do mundo.E então, optei pela Califórnia.Praias,brisas, e algumas outras características que me fariam mudar tudo do avesso.Viver em São Paulo tinha suas desvantagens: a não-prática do silêncio, o tumulto constante em qualquer lugar, e todas essas pequenas coisas que iam me cansando dia após dia.Estar conectada com a Natureza sempre foi a amizade mais saudável e tranquila que conquistei num parque perto de casa, lá no Brasil.E agora, tenho a oportunidade de experimentar ondas com gosto de felicidade.

Conheci alguns amigos bem legais e outros exibicionistas.Um deles, inclusive, chamado Mike, o menino que hospeda sua casa para eu ficar, que está sempre com o cabelo liso jogado e um skate na mão, tornou-se um dos melhores amigos.Há dias exaustivos.Dias em que rezo para as pessoas sentirem minha falta e me mandar uma mensagem ou sei lá, mas ter pessoas com que faça você sorrir na maior parte do tempo acalma as coisas.Mike tem a minha idade, vinte e seis de anos de idade, mas parece ser meu pai temporário.Sempre com conselhos na ponta da língua, um beijo no alto da testa e um abraço bem apertado.Mike também me convida para um bar conhecido vez ou outra, chamado de " Ostras do coração".Nome bizarro, eu sei, mas juro que os drinks são os melhores.Entendem agora?Aqui posso tomar tudo que eu quiser, sem a aberração dos pais ou pessoas me acusando de menina boazinha demais para beber qualquer pocaria.Cansei de rótulos para mim.Falsificar a identidade, mesmo que seja na sua mente, é uma boa maneira de se separar de quem nos tornamos por causa de algumas pessoas e nos reencontrarmos de maneira surpreendente.Respiro fundo.

Ele deixou o skate de lado e disse que ia me levar para um lugar legal e bonito.Eu apenas assenti como sempre, porque a sua mania de me causar  felicidades diversas sempre ia de encontro com as emoções do dia.Se eu estava triste?Mike me fazia sorrir.Se eu estava feliz?Ele me comprava balões da rua e me fazia rir ainda mais.E algumas vezes, olhando o mar, nossa conversa era silenciosa.Como se o mar fosse meu escudo para os desabafos mais intensos.E Mike fica apenas escutando a batida do meu e do coração dele contra as rajadas de vento.
Fixo o olhar no mar agitado.Eu fugi para ver quem sentia minha falta, mas na verdade, a alma aqui estava procurando um novo lugar para seguir.Algo que pudesse despertar da mesmice diária e de todos os ferimentos que não aguentava mais estancar.Precisava de músicas novas,praias conhecidas, baladas calminhas, de mais...liberdade.Jogo o cabelo todo para trás e Mike me chama pelo apelido de sempre.
- Fofinha.. - seus olhos azuis são mais claros que essa água do mar.Claro que nesse frio todo, dispenso a entrada triunfal para me benzer na Califórnia.Mas posso parar esse momento e aproveitar cada misero segundo? Tirei 10 na primeira prova de inglês, consigo manter um diálogo estável com Mike, e até já conheci uns bares bem legais da cidade.

Paz.Natureza.

Liberdade.

A última palavra ressoa tão alto na minha cabeça que até abro os olhos de novo para saber o quê está acontecendo.Ah, não sei se quero voltar para o Brasil.Eu me encontrei.Escrevo artigos de amor para uma revista local e tem um cara legal ao meu lado, com um sorriso de pateta.Me protejo do vento com a minha mini-blusa branca cobrindo a parte de cima do biquíni.

Ainda amo meu namorado, mas a distância mudou tudo.Nada é permanente como pensei há anos.Nada é tão certo quanto o agora.

Olho para Mike de novo e começo a cantarolar:
- But here I am, next to you...the sky's more blue in Malibu.



E ele solta uma risada tão gostosa.



PS:A música Malibu da Miley Cyrus me HIPNOTIZOU.Sério,rs.

Xoxo,

Carol


4 comentários:

Alessandra Salvia disse...

Caroooool, esse texto casou com a música perfeitamente!!!
Adorei!!! Sério, parabéns!!!
E não é só você que viciou na música da Miley, rs.
Beijos
http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

Daniele e Lenilma disse...

Amei, muito bom o texto ... Belas palavras usadas. Gostei da parte que diz sobre a idade, que é cheia de concelhos.

Daniele

Dezesseis

Ane Vitorino disse...

Que belo texto. A música não poderia se encaixar melhor. Beijos.

Click Literário disse...

Oi! Que texto hein, as vezes mudar faz bem. Ver que não estávamos felizes com certas pessoas e dar a chance de conhecer novas. O importante é a busca da nossa felicidade. Bjos <3

Click Literário

Postar um comentário