maio 22, 2017

(Resenha #Desafio12MesesLiterários) Metamorfose, by Franz Kafka

Informações técnicas
NÚMERO DA EDIÇÃO 1
PAÍS DE ORIGEM Brasil
IDIOMA  Português 
ANO DA EDIÇÃO 1997
Forma de Leitura   Ebook 
MARCA Companhia Das Letras
NÚMERO DE PÁGINAS 104

                                       Sinopse
'A Metamorfose' é a mais célebre novela de Franz Kafka e uma das mais importantes de toda a história da literatura. Sem a menor cerimônia, o texto coloca o leitor diante de um caixeiro-viajante - o famoso Gregor Samsa - transformado em inseto monstruoso. A partir daí, a história é narrada com um realismo inesperado que associa o inverossímil e o senso de humor ao que é trágico, grotesco e cruel na condição humana - tudo no estilo transparente e perfeito desse mestre inconfundível da ficção universal.

A história nos apresenta Gregor Samsa, um homem que sustenta sua família com muito amor e carinho, mas tudo vira de cabeça para baixo quando ele fica "doente".Virando um inseto gigante, o nosso protagonista sente-se incomodado com a falta de sensibilidade dos patrões quando não entendem a situação.Gregor é caixeiro.

Narrada em terceira pessoa, conseguimos ter uma visão mais ampla da história.Vimos a sua irmã tentando se sacrificar para ajudar a família, já que o irmão está doente e aparentemente não serve para nada.E também o desespero dos pais com essa metamorfose completamente louca e assustadora do filho.E os chefes continuam apenas se preocupando com o dinheiro.Uma crítica bem forte com a sociedade,hm?

O meu lance com os clássicos é que não gosto muito por causa das linguagens utilizadas.Sim, eu amo metáforas, senão nunca gostaria das poesias.Mas precisa enrolar tanto para dizer o quê está na cara?Talvez minha concepção esteja errada, mas quase sempre me afasto de literatura assim, porque é necessário ler e reler muitas vezes para a fácil compreensão.Ou talvez, eu não seja madura o suficiente para isso,rs.

"Seria mesmo um animal, se a música o comovia áquele ponto?"


A irmã de Gregor sabe tocar violino e algumas pessoas se encantam por essa habilidade, mesmo que a narrativa pareça meio embaralhada por conta da situação ocorrente.Gregor tem uma estima muito especial e gratificante pela irmã.

Em suma, a história não dá muuitas voltas e nem é algo surpreendente, mas tiramos um algo de tudo isso: entendemos como as pessoas são cruéis com almas diferentes, e como estão apenas preocupadas apenas com o dinheiro.

Esse livro é um clássico e claro que podemos tirar várias interpretações dele, mas esse resumo é bem atual,hm?

Espero que tenha gostado da resenha.

Xoxo,

Carol

maio 19, 2017

(Textos Meus) 'Cause now I'm as free as birds catching the wind.

Levanto a cabeça no alto e sinto a brisa inebriante desse céu azul misturado ao sol escaldante.Um sorriso dá novo formato ao meu rosto coberto de areia e muita alegria.Sorrisos são disparados como cada respiro necessário.Um biquíni comum estampa o corpo mediano que demorei um tempo para ter, mas estou feliz pela minha essência e não pelo material embutido em minha pele.Um ombro conhecido toca o meu e dou um suspiro leve por alguns segundos.Olho ao redor e rezo para que esse sonho jamais termine.Como será morar aqui?Tipo, para sempre?Pensamentos são pássaros voando com plenitude pelas pequenas nuvens que cobrem uma parte do céu.Coloco uma mecha do cabelo vermelho para trás.Tingir os fios castanho-claros dessa cor inusitada pegou todos de surpresa, mas o que é a vida senão uma caixinha colorida de sorrisos e momentos inesperados?Minhas filosofias desabrocham como flores delicadas nesse instante.Sinto uma energia tão boa nesse lugar.Fecho os olhos de novo e lembro de como vim parar aqui.

Algo pinica meus pés, enquanto recordo da primeira vez que pisei nos EUA.Morar no Brasil me sufocava ás vezes e me enchia de dúvidas em relação as pessoas que eu convivia.Atravessei o mundo para observar quem sentiria minha falta ou alguma asneira parecida, sem me dar conta de quem eu realmente era e do quanto fazia falta a minha própria companhia por alguns meses.Fiz um curso básico de inglês( a língua pela qual sempre fui apaixonada) e me especializei como professora para guardar uma grana e fazer um intercâmbio com direito á tudo.Respirar outros ares.Outras pessoas.Outras ruas.Outras flores e praias.O namorado, a melhor amiga, os pais e as irmãs ficaram lá me esperando.Errado?Não.Conquistar nossos sonhos é uma parte essencial para continuarmos sobrevivendo.E dar uma chance para o mundo me ganhar era um objetivo eterno.E conquistado,finalmente.

A demora para escolher um destino era quase desesperadora.Tantos lugares bonitos, tantas cidades repletas de luzes camuflando a poeira do mundo.E então, optei pela Califórnia.Praias,brisas, e algumas outras características que me fariam mudar tudo do avesso.Viver em São Paulo tinha suas desvantagens: a não-prática do silêncio, o tumulto constante em qualquer lugar, e todas essas pequenas coisas que iam me cansando dia após dia.Estar conectada com a Natureza sempre foi a amizade mais saudável e tranquila que conquistei num parque perto de casa, lá no Brasil.E agora, tenho a oportunidade de experimentar ondas com gosto de felicidade.

Conheci alguns amigos bem legais e outros exibicionistas.Um deles, inclusive, chamado Mike, o menino que hospeda sua casa para eu ficar, que está sempre com o cabelo liso jogado e um skate na mão, tornou-se um dos melhores amigos.Há dias exaustivos.Dias em que rezo para as pessoas sentirem minha falta e me mandar uma mensagem ou sei lá, mas ter pessoas com que faça você sorrir na maior parte do tempo acalma as coisas.Mike tem a minha idade, vinte e seis de anos de idade, mas parece ser meu pai temporário.Sempre com conselhos na ponta da língua, um beijo no alto da testa e um abraço bem apertado.Mike também me convida para um bar conhecido vez ou outra, chamado de " Ostras do coração".Nome bizarro, eu sei, mas juro que os drinks são os melhores.Entendem agora?Aqui posso tomar tudo que eu quiser, sem a aberração dos pais ou pessoas me acusando de menina boazinha demais para beber qualquer pocaria.Cansei de rótulos para mim.Falsificar a identidade, mesmo que seja na sua mente, é uma boa maneira de se separar de quem nos tornamos por causa de algumas pessoas e nos reencontrarmos de maneira surpreendente.Respiro fundo.

Ele deixou o skate de lado e disse que ia me levar para um lugar legal e bonito.Eu apenas assenti como sempre, porque a sua mania de me causar  felicidades diversas sempre ia de encontro com as emoções do dia.Se eu estava triste?Mike me fazia sorrir.Se eu estava feliz?Ele me comprava balões da rua e me fazia rir ainda mais.E algumas vezes, olhando o mar, nossa conversa era silenciosa.Como se o mar fosse meu escudo para os desabafos mais intensos.E Mike fica apenas escutando a batida do meu e do coração dele contra as rajadas de vento.
Fixo o olhar no mar agitado.Eu fugi para ver quem sentia minha falta, mas na verdade, a alma aqui estava procurando um novo lugar para seguir.Algo que pudesse despertar da mesmice diária e de todos os ferimentos que não aguentava mais estancar.Precisava de músicas novas,praias conhecidas, baladas calminhas, de mais...liberdade.Jogo o cabelo todo para trás e Mike me chama pelo apelido de sempre.
- Fofinha.. - seus olhos azuis são mais claros que essa água do mar.Claro que nesse frio todo, dispenso a entrada triunfal para me benzer na Califórnia.Mas posso parar esse momento e aproveitar cada misero segundo? Tirei 10 na primeira prova de inglês, consigo manter um diálogo estável com Mike, e até já conheci uns bares bem legais da cidade.

Paz.Natureza.

Liberdade.

A última palavra ressoa tão alto na minha cabeça que até abro os olhos de novo para saber o quê está acontecendo.Ah, não sei se quero voltar para o Brasil.Eu me encontrei.Escrevo artigos de amor para uma revista local e tem um cara legal ao meu lado, com um sorriso de pateta.Me protejo do vento com a minha mini-blusa branca cobrindo a parte de cima do biquíni.

Ainda amo meu namorado, mas a distância mudou tudo.Nada é permanente como pensei há anos.Nada é tão certo quanto o agora.

Olho para Mike de novo e começo a cantarolar:
- But here I am, next to you...the sky's more blue in Malibu.



E ele solta uma risada tão gostosa.



PS:A música Malibu da Miley Cyrus me HIPNOTIZOU.Sério,rs.

Xoxo,

Carol


maio 18, 2017

Obras que serão adaptadas para o cinema - Grupo Companhia das Letras

A verdadeira e incrível história do explorador inglês Percy Fawcett (Charlie Hunnam) ​que depois de se aventurar pelo mundo vai atrás de uma cidade perdida feita de ouro no coração da Amazônia, apoiado pela ​esposa (Charlie Hunnam), filho (Tom Holland) e seu ajudante (Robert Pattinson).​

Livro adaptado: Z a cidade perdida
Previsão: 1 de junho nos cinemas




Mae (Emma Watson) é uma universitária cujo sonho é trabalhar na maior empresa de tecnologia do mundo, O Círculo. A organização foi fundada por Eamon Bailey (Tom Hanks) e o seu principal produto é o SeeChange, uma pequena câmera que permite aos usuários compartilharem detalhes de suas vidas com o mundo. Mae vê sua vida mudar completamente quando é contratada pela empresa e sua função passa a ser documentar sua vida em tempo integral. O que ela não imaginava, no entanto, é que toda essa exposição teria um preço, não só para ela, mas também para todos ao seu redor.

Livro adaptado: O círculo
Previsão: 22 de junho nos cinemas



Um pistoleiro chamado Roland Deschain (Idris Elba) percorre o mundo em busca da famosa Torre Negra, prédio mágico que está prestes a desaparecer. Essa busca envolve uma intensa perseguição ao poderoso Homem de Preto (Matthew McConaughey), passagens entre tempos diferentes, encontros intensos e confusões entre o real e o imaginário. Baseado na obra literária homônima de Stephen King.

Livro adaptado: A torre negra
Previsão: 27 de julho nos cinemas




Baseado na série mundial de livros e best-seller, e com um elenco de estrelas de comédia liderado por Kevin Hart e Ed Helms, a DreamWorks Animation traz ao público o tão aguardado, As aventuras de Capitão Cueca, o filme. Essa comédia superdivertida para toda a família conta a história de dois brincalhões extremamente imaginativos chamados George e Harold, que hipnotizam seu diretor e o fazem pensar que é um super-herói incrivelmente entusiasmado, chamado Capitão Cueca.

Livro adaptado: As aventuras de Capitão Cueca
Previsão: 12 de outubro nos cinemas




IT: A Coisa, o novo thriller de terror do diretor Andrés Muschietti (“Mama”) e produzido pela New Line Cinema, é baseado no best-seller homônimo de Stephen King, uma das obras mais populares do autor, que tem aterrorizado leitores há várias décadas.
Quando crianças começam a desaparecer misteriosamente na pequena cidade de Derry, no estado de Maine, um grupo de jovens é obrigado a enfrentar seus maiores medos ao desafiar um palhaço maligno chamado Pennywise, que há séculos deixa um rastro de morte e violência.

Livro adaptado: IT: A Coisa
Previsão: 7 de setembro nos cinemas


maio 17, 2017

(Novidades Literárias) Segunda Edição de Um Livro Num Dia, Vol. III"! - Chiado Editora


Um mês após a criação de um livro de contos em apenas nove horas, à vista de todos, em pleno Rossio, a Chiado Editora tem o prazer de apresentar a 2ª Edição da obra "Um Livro Num Dia, Vol. III"!
A obra estará em destaque permanente no Chiado Café Literário - Lisboa, na Avenida da Liberdade 180, em Lisboa, entre os dias 23 e 27 de Maio.

Esta é uma versão alargada da obra, na qual nos foi possível incluir vários Autores com participações de extraordinária qualidade na iniciativa que assinalou o Dia Mundial do Livro 2017 em Lisboa, no passado dia 23 de Abril.

Nesse dia, pelas 9h da manhã, a Chiado Editora instalou um escritório móvel no Rossio, em Lisboa, onde o público pode apresentar os seus textos originais de forma a integrarem esta edição especial. Todos os contos foram recebidos, analisados e selecionados entre as 9h e as 12h desse dia.

Todas as fases de construção do livro puderam ser acompanhadas in loco, desde a revisão à paginação e design da capa e, às 13h00, o livro seguiu para a gráfica. Ao final da tarde (18h30), regressou à Praça D. Pedro IV, ao Rossio, onde 1.000 exemplares da obra foram distribuídos gratuitamente ao público, numa celebração ímpar do Livro e dos Autores em Língua Portuguesa.

maio 15, 2017

(Entrevista) Leila Rego

Olá galera, tudo bem?Hoje temos mais uma entrevista exclusiiiiiiiiiiiiiiiiiva com uma autora que admiro muito.Leila Rego escreveu Não é Mais Verão, aquele conto fabuloso que resenhei aqui e resolvi fazer uma perguntinhas para esta mulher.Vamos lá?

Olá, tudo bem?Obrigada por me conceder esta entrevista.
Oi! Eu que agradeço o convite. É sempre bom vir conversar sobre meus livros e minha história com a escrita.


1) Quando você começou a escrever e qual foi sua grande motivação para nunca desistir?
Engraçado que eu nunca sonhei em me tornar escritora. Sempre fui uma leitora voraz, é verdade. Mas o sonho que passar para o outro lado eu nunca tive. Há uns 09 anos eu trabalhava como Analista de Recursos Humanos em uma multinacional americana em São Paulo capital. O ambiente lá era superpesado em termos de pressão, estresse, competição, etc... Para aliviar essa carga de estresse, eu escrevia histórias diversas, bobinhas, mas era o meu hobby.  Deixava minha mente vagar e ia escrevendo em um caderno.  Dessas histórias, nasceu a personagem Mariana, protagonista do #Partiu Vida Nova.  Gostei tanto dela que fui  criando um ambiente para ela, depois um enredo e outras personagens... Sentia tanto prazer ao escrever a história da Mariana que eu me via incluída em sua história, querendo criar mais coisas, mais cenários, mais complicações... E foi assim, dessa forma natural e despretensiosa que me tornei escritora.  Mariana me incentivou! 
O que me motiva a não desistir são os leitores e as mensagens que eu recebo deles. Acredito na minha escrita e na minha força interior. Tenho fé e sou otimista, por isso persisto.   

2) Quais foram os livros que você já escreveu?
Comecei com os dois livros independentes, Pobre Não Tem Sorte, que viraram #Partiu Vida Nova (publicado em 2015 pela editora Gutenberg), depois vieram: Amigas Imperfeitas, A Segunda Vez Que Te Amei e As Fases da Lua, todos pela Gutenberg. Ano passado participei
da antologia O Livro Delas, publicado pela Rocco. Mês passado escrevi um conto, Não é mais verão, e publiquei na Amazon.


3) Tem alguma história que tenha um significado maior para você?
Todas as minhas histórias têm um significado enorme para mim. Eu aprendo muito com minhas personagens e seus dramas. Estudo para escrever, logo acabo aprendendo algo diferente.


4) Como o conto "Não é mais verão" surgiu? E  por quê um conto?
Este conto surgiu pela necessidade de contar a história da Melissa. Foi uma ideia antiga que eu reformei e achei que meus leitores iriam gostar de conhecê-la. Eu queria falar daquele momento específico da vida dela - o encontro com o passado. O formato conto, nesses casos, é a melhor opção. E por ser um conto, publiquei na Amazon, que é a plataforma ideal para isso.  


5) Qual foi sua maior dificuldade nesse meio editorial?
Acho que a maior dificuldade foi lançar meus dois primeiros livros de forma independente. Ter que fazer tudo sozinha, sem ter prévio conhecimento sobre o mercado editorial, se lançar num mar desconhecido foi um desafio e tanto. Mas que bom que deu certo! 


6) Você acredita que um escritor(a) brasileiro possa viver disso ou por enquanto não?

Como qualquer profissão, antes de mais nada, depende do tipo de expectativa de vida que a pessoa tem e quer ter. Se a pessoa for versátil, ou seja, faz outras coisas além de escrever - como revisar textos, fazer palestras, leituras críticas, etc - acho que é possível.  Sem desanimar, a maioria dos escritores nacionais ainda não sobrevivem apenas de seus direitos autorais e eu me incluo nessa conta.



7) O quê você falaria para alguém que está começando essa carreira agora?

Em primeiro lugar, acho que é importante ler muito. Geralmente, quem gosta de ler e tem esse hábito, escreve bem. Devemos também escrever sobre o que gostamos, pois quando escrevemos com paixão, os leitores sentem isso. Escrever sobre o que realmente conhecemos é importante também. Ao escolher um tema, certifique-se que você domina o assunto, para não se perder no meio da história. Depois que o livro estiver pronto, é preciso muita paciência e força de vontade pra procurar uma editora. Coisa que não é fácil. Temos que preparar nosso psicológico para ouvir muitos "nãos" ou, em muitos casos, resposta nenhuma.  Acho que esses são os passos fundamentais para quem quer escrever e publicar um livro.


8) Quer deixar um recado para seus fãs?
Eu quero dizer para todos que nunca desistam daquilo que sonham e não percam as esperanças. É bem clichê e muitos dizem isso, mas é verdade. A gente precisa acreditar na nossa capacidade e ouvir mais a nossa intuição. Acreditar nos sonhos e trabalhar muito para que eles se tornem realidade.
Também quero agradecer o carinho que sempre recebo de todos vocês. 


Xoxo,
Carol

maio 11, 2017

(#Projeto Mês Autor) Curiosidades de Meg Cabot!

Olá galera, tudo bem? Ainda estamos no Projeto Mês Autor com a Meg Cabot e hoje vou revelar algumas curiosidades aqui :)



1) Meg conheceu seu marido quando tinha 16 anos de idade, mas ela não começou á namorá-lo até ter 24 anos de idade.Eles estão casados há mais de 20 anos. 



2) Quando Meg tinha 26 anos de idade, seu pai faleceu repentinamente, dando-lhe a ideia de escrever The Mediator(A Mediadora) que conta a história de uma menina que ajuda os espíritos á levá-los para a "luz".



3)Meg escreveu sua primeira história aos sete anos de idade.Chamava-se "Benny, o filhote de cachorro".A família inteira de Benny morre num tornado.

Querem mais curiosidades sobre essa autora?


Sigam ela aqui.

Xoxo,


Carol

maio 09, 2017

(Youtube) TBR de Maio

E aí galera, tudo bem? Espero que sim.Hoje o vídeo é a minha TBR de Maio.Bora me acompanhar?



Xoxo,

Carol

maio 08, 2017

(Projeto Escrevendo Sem Medo) Maio




Maio: Se eu tivesse poderes mágicos...
Qual super poder você teria se tivesse a oportunidade de escolher? Pode ser algo “simples”, como o poder de não criar expectativas, mas também pode ser algo fantástico, como ficar invisível. Você escolhe!

Eu não sei como escolher apenas uma magia.Se eu parar tudo agora e começar a pensar nos sonhos diários, posso dizer o seguinte: gostaria de ter dinheiro para viajar por aí.Conhecer pessoas novas e inventar uma nova identidade; quem nunca? Gostaria que o amor fosse sempre a única opção para os problemas cotidianos.Gostaria que o dinheiro fosse apenas um meio de reconhecer nosso esforço na sociedade, e não um material do qual todos sempre estão loucos(as) para ter.Gostaria que as pessoas amassem mais poesias.E nessas inúmeras escolhas, gostaria de ser mais otimista.

Todos os dias levantamos e nos deparamos com alguma batalha pela frente.Estamos preocupados(as) com aquele novo relacionamento, com aquele emprego que nunca te dá uma oportunidade de trabalho, com aquela melhor amiga que está passando por uma situação muito difícil ou qualquer outra coisa que nos tire do chão.Da Terra.Todos os dias vestimos nossas armaduras e simplesmente vamos em frente.Talvez eu esteja falando besteira, mas creio que uma coisa leva á outra.Nós acordamos dispostos á acreditar em nossos sonhos, e então lutamos arduamente por aquilo que amamos e como consequência teremos alguma renda para podermos viajar por aí.Pela vida.Parece fácil,hm?Mas faz isso quando o desemprego é tão alto que você tem medo de arriscar.Faz isso quando tem tantos problemas que sua cabeça roda só de pensar na importância de cada um.Pessimismo?Sim.É uma geração triste.Sem esperanças de que algo mude.Parece que vivemos num lugar imaginário.Repleto de destroços e ruínas.E enquanto, acordamos cansados e rezando para que o dia seja bom, somos apenas humanos pessimistas.

Eu gostaria de ter o poder de acordar otimista.


Todos os dias.

Xoxo,

Carol

maio 05, 2017

(Youtube) Tag: Se eu fosse um livro!

Oi galera, tudo bem? Hoje o vídeo é uma tag beeeeeeeeeeeeeem legal <3.E ah, eu estava na vibe de fazer vídeo todos os vídeos porque eu estava de férias.Agora a moleza acabou e o canal voltará na programação normal!



Xoxo,

Carol

maio 04, 2017

(Resenha) Não é mais verão, by Leila Rego



                                               Sinopse
"Não é mais verão” conta a história de Melissa, que viu sua vida mudar radicalmente após viver um amor intenso na sua juventude e ser abandonada repentinamente. Diante de uma notícia inesperada, descobriu que estaria sozinha em uma difícil caminhada com decisões que afetariam toda a sua vida daquele momento em diante.
Do relacionamento que deixou marcas profundas e perguntas sem respostas, ela guardou algumas lições, mas percebeu que nunca havia superado aquela fase quando, de repente, o passado a encontrou novamente. É quando Melissa precisa decidir qual caminho deverá seguir.

Não é mais verão é um conto para ser lido em apenas uma hora, e fiz essa compra pelo amazon.Na verdade, como o meu pacote é o kindle unlimited, então eu meio que não paguei.Só pago a conta mensal e tenho acesso á vários títulos.

"Porque o autoamor só vem depois de um contato interior inexplicável."


Com essa frase no inicio, sabemos que o babado da história será forte.Gosto muito da escrita da Leila( já li Pobre Não Tem Sorte), pois é simples e objetiva, mas sempre tem algum ponto para refletir.

O problema com Alina começa aos quinze anos de idade, quando os pais resolvem mudá-la de escola e com isso a adaptação com os novos amigos e a separação de Silvinha( sua eterna Silvia) torna tudo mais complicado.Ela prestou vestibular para Administração junto com Silva, e no meio do caminho, se apaixonou por Pedro.Um lindo sonho de verão.Eles tem vários momentos lindos, mas algo acontece na vida dos dois que tudo revira de cabeça para baixo.O único jeito para sair desse drama é tentar corrigir os erros e buscar o tal do amor próprio.

Amei o conto.Quem nunca se perdeu numa relação e teve que se reencontrar depois?O melhor disso é esse amor próprio que precisamos estabelecer conosco mesmas.
É tão bom!

Espero que tenham gostado da mini-resenha.

Xoxo,

Carol

maio 03, 2017

(Resenha) Boa noite, by Pam Gonçalves

Informações técnicas
NÚMERO DA EDIÇÃO 1
IDIOMA   Português
ANO DA EDIÇÃO 2016
MARCA Galera Record
NÚMERO DE PÁGINAS 240
                                                              Sinopse
Alina quer deixar seu passado para trás. Boa aluna, boa filha, boa menina. Não que tudo isso seja ruim, mas também não faz dela a mais popular da escola. Agora, na universidade, ela quer finalmente ser legal, pertencer, começar de novo. O curso de Engenharia da Computação — em uma turma repleta de garotos que não acreditam que mulheres podem entender de números —, a vida em uma república e novos amigos parecem oferecer tudo que Alina quer. Ela só não contava que os desafios estariam muito além da sua vida social. Quando Alina decide deixar de vez o rótulo de nerd esquisitona para trás, tudo se complica. Além de festas, bebida e azaração, uma página de fofocas é criada na internet, e mensagens sobre abusos e drogas começam a pipocar. Alina não tinha como prever que seria tragada para o meio de tudo aquilo nem que teria a chance de fazer alguma diferença. De uma hora para outra, parece que o que ela mais quer é voltar para casa.

Comprei esse livro na amazon(ebook) por oito reais( estava de promoção no dia que efetuei a compra), e estava muito curiosa porque acompanho o trabalho da Pam lá no youtube.Ela tem um canal que fala sobre tudo, especialmente livros.E sempre foi uma das minhas favoritas e uma das meninas que gosto de me espelhar para crescer profissionalmente no youtube.

Temos um problema logo de cara na história: Alina vai fazer faculdade de Engenharia da Computação e sofre preconceito por conta disso.O curso tem mais meninos do que meninas, e isso vira motivo para muitas risadas desnecessárias e comentários idiotas de alunos aleatórios.Ela tenta se adaptar a isso, juntando-se á algumas meninas da sala para se empoderar junto com elas.

Percebemos que Alina tem uma certa dificuldade para se relacionar com as pessoas, mas notamos sua felicidade ao conseguir fazer amizade com o pessoal da república que agora está morando.Ela saiu de casa para se virar sozinha( e ainda tem essa questão super forte da independência aqui) e enfrenta tudo no peito.Talita,Bernardo,Gustavo e Manu ajudam Alina á passar por toda essa confusão interna e amadurecimento precoce.

Dois pontos negativos: o livro tem alguns errinhos gramaticais( mas que não atrapalham na leitura) e o ponto central da história deveria ter sido mais desenvolvido.Alina vê alguns boatos sobre abuso sexual na faculdade e meio que, de uma forma diferente, participa disso.Sabemos que com essa onda da série 13 reasons why e outras questões bem polêmicas, esse é um dos assuntos que precisamos tratar com muita clareza.Gostei muito da estrutura da história, do ponto de vista que a autora quis colocar, mas ainda sim notei que faltou alguma coisa num buraco enorme que existiu na história.

Espero que tenham gostado.

Xoxo,

Carol

maio 02, 2017

(Resenha #Desafio12MesesLiterários) O livros dos vilões, by Ziegesar, Cecily Von / Rissi, Carina



                                                 Informações técnicas
                                                 NÚMERO DA EDIÇÃO 1
IDIOMA          Português
ANO DA EDIÇÃO 2014
MARCA Galera Record
NÚMERO DE PÁGINAS 320







                                          Sinopse
Organizado da mesma forma que O livro das princesas – também com o esquema de dois populares autores nacionais, e dois nomes famosos do exterior – O livro dos vilões reúne estes autores para uma coletânea de contos sobre vilões icônicos dos contos de fadas. As irmãs de Cinderela? Malévola? Madrastas e lobos? Carina Rissi, Cecily Von Ziegesar, Diana Peterfreund e Fábio Yabu estão aqui com a mensagem: este não é um livro tão bonzinho quanto o seu antecessor.




 Esse livro foi escolhido para o mês de abril( estou atrasada, eu sei,rs) do Desafio 12 Meses Literários e foi uma leitura bem divertida e rápida.Não paguei nada por ele, porque tenho aquele plano de kindle unlimited do amazon e lá está de graça(dica,rs).Não posso colocar quotes aqui, porque como são contos, alguns deles virariam spoilers.Só vou explicar um pouquinho sobre cada um ok?

O primeiro conto é da Cecily( a autora de Gossip Girl) e já sabemos que nessa releitura teremos muito glamour e fama.A história começa com Dizzy e Nastia; duas irmãs da alta sociedade que estão numa loja que anuncia uma liquidação de sapatos.Elas ficam doida com o preço barateado dos sapatos que elas tanto querem para um tal de baile importante da sociedade.E ah, claro, temos uma "meio-irmã",que sofre nas mãos dessas garotas malucas.Eu amei a forma contemporânea como essa história foi contada.O conto é em terceira pessoa.

O segundo conto é daquela autora que sabemos o resultado final: muitas risadas.Li pouca coisa da Carina Rissi, mas o suficiente para saber o quão engraçada essa mulher pode ser.O conto é na perspectiva da madrasta e está escrito na terceira pessoa.

O terceiro conto foi o que menos gostei; há bruxas envolvidas numa narrativa contemporânea, porém lenta demais.Malena é uma adolescente que passa por alguns problemas da escola, mas sei lá, ficou bem estranho esse conto.

O quarto( e último) conto do livro é engraçado e super diferente, pois o autor mescla todos os contos de fadas e vira uma bagunça total.Até o Narrador tem culpa nesse cartório aqui,rs.

Em suma, o livro é muito bom, mas só perdeu algumas estrelas no skoob por conta do penúltimo conto que não gostei muito.

Espero que tenham gostado da resenha.

Xoxo,
Carol

maio 01, 2017

(Youtube) #Resenha: Quando o amor acontece, by Thaís Santos

Oi galera, tudo bem? Trago hoje um vídeo-resenha para vocês :)
Espero que gostem!



Xoxo,

Carol

(Desabafo) Sobre parcerias e eu!

Olá galera, tudo bem?Vim aqui conversar um pouquinho com vocês.Uma coisa que aconteceu, ou, no caso, não aconteceu.Tive uma parceria MARAVILHOSA com a Arqueiro durante dois anos, e digo com caps lock porque as meninas que mandavam os livros sempre foram muito prestativas e atenciosas com os blogueiros(as) parceiros.Resolveram não fazer a renovação automática no ano de 2017 e isso significa que tooodas as pessoas tiveram que refazer a inscrição.Como fiquei no começo?Não sei explicar.Aprendi muita coisa com a editora.Aprendi a ter mais responsabilidade com meus compromissos aqui no blog por conta das resenhas que eu tinha que fazera curto prazo e também consegui conhecer algumas pessoas legais por isso.Infelizmente, o blog Carol Hermanas foi retirado da lista de parceiros de 2017, mas nunca negarei todo o esforço e dedicação que a Arqueiro e Sextante dedicaram ao meu blog.Todas as conversas e ideias trocadas levarei com muito amor e carinho.Por quê não fico brava com essa decisão deles?Porque há miiiilharesssss de blogs literários por aí com um conteúdo incrível, e sabemos que a editora é uma empresa e precisa vender o jabá deles né galera?Com isso, eles se destacam nesses sites que tem maior visibilidade e conhece mais blogueiros legais,rs.

Eu só achei justo vir aqui para explicar essa história toda para vocês.O bom é que agora vou colocar em prática as milhares de ideias que estão surgindo na minha cabeça para o blog.E agora, para o canal lá no youtube também né?E vou precisar da ajuda de vocês nessa okay? :)

Conto com todo mundo aqui.

Obrigada...desde sempre.

Xoxo,

Carol