março 29, 2017

Lançamentos de Abril - Editora Arqueiro e Sextante

Primeiro lugar na lista do The New York Times.

“Um dos meus pensadores favoritos, Grant traz uma análise inovadora e perspicaz sobre o mundo.” – Malcolm Gladwell

“Pesquisas recentes, insights que contrariam o senso comum, escrita cativante, ações claras para serem colocadas em prática... Adam Grant merece sua reputação de mente original.” – The Financial Times

“Deveria compor a lista de leituras obrigatórias de todas as empresas.” – Wired.com

Qual é o segredo das pessoas originais? Será que a criatividade é uma qualidade inata ou uma habilidade que pode ser estimulada ou mesmo aprendida? Em seu novo livro, Adam Grant desmistifica muitas das crenças que existem em torno das mentes criativas.

Ele recorre a uma série de estudos e histórias reais envolvendo o mundo dos negócios, a política, os esportes e o universo do entretenimento para mostrar como qualquer pessoa pode aprimorar sua criatividade, tornar-se capaz de identificar e defender ideias verdadeiramente originais, combater o conformismo e romper com tradições obsoletas.




“Não quero dizer que descobrimos a fórmula do sucesso. Só que este é um jeito de fazer as coisas que tem dado muito certo para nós: juntar gente boa, sonhar grande, praticar a meritocracia, buscar melhorar sempre, trabalhar duro, ter ética... Essa cultura me ajudou muito nos negócios, é algo em que acreditamos e por isso gostamos de disseminar – não só em nossos negócios, mas também no Brasil.” – Jorge Paulo Lemann

“O propósito da Fundação Estudar é atrair jovens excepcionais que tenham interesse em realizar algo grande. Muitos candidatos aparecem com um discurso ensaiado, dizendo que querem o melhor para o Brasil. O esforço de melhorar a própria vida, de correr atrás do próprio sonho, de realizar o próprio desejo... é isso que empurra o país para a frente.” – Marcel Telles

“Nosso jeito de operar pode ser resumido em uma única frase: descobrir pessoas que tenham capacidade de fazer mais do que estão fazendo e impulsioná-las. Essa é a estratégia de perenidade das nossas empresas, porque as circunstâncias mudam, os mercados se tornam mais competitivos e, para se manter no topo, é preciso ter gente cada vez mais capaz.” – Beto Sicupira

Em meados de 1991, Jorge Paulo Lemann, Marcel Telles e Beto Sicupira, que já tinham construído um verdadeiro império no mundo dos negócios, resolveram dar um passo além e disseminar pelo país a cultura que os levou a conquistar tal sucesso.

Para colocar esse projeto em prática, criaram a Fundação Estudar, concedendo bolsas de estudos a jovens que quisessem cursar MBA nos Estados Unidos. O objetivo era ajudar a melhorar o Brasil melhorando a qualidade de seus executivos e empreendedores.

Com um processo de seleção extremamente rigoroso – baseado nos princípios que Lemann empregara com tanta eficiência no Banco Garantia –, a Estudar procurava jovens que se identificassem com valores como meritocracia, busca de excelência, senso ético, transparência, trabalho duro e metas ousadas.




“Um dos mais impressionantes relatos de experiência de quase morte que já ouvi.” – Dr. Raymond Moody, autor de Vida depois da vida

“Na minha antiga vida, eu costumava pôr as pessoas para dormir. Agora eu as desperto. E eu também despertei.” – Dr. Rajiv Parti

Chefe de equipe de anestesia de um hospital, Dr. Rajiv Parti só pensava em trabalho, sucesso e dinheiro.

Até que um dia, ao ser operado, ele se viu sendo conduzido ao inferno, onde reencontrou seu pai e compreendeu a origem do ciclo de violência que assombrava sua família e que ele reproduzia com o filho.

Dois arcanjos então apareceram e lhe deram uma missão: libertar-se do materialismo, abandonar a carreira e dedicar-se à medicina espiritual, levando cura e conforto aos que sofrem de dependência, depressão, dores crônicas e câncer.

Quando despertou, Rajiv era um novo homem. Não foi fácil largar o status e a vida confortável que tinha, mas não havia outro caminho senão seguir aquele profundo chamado.

Compartilhando lições sobre o céu, o inferno, os anjos e a vida após a morte, esta emocionante história real nos faz compreender o que realmente importa aqui na Terra.





VOCÊ ESTÁ NA LISTA DE UM ASSASSINO. E ELA DIZ QUANDO VOCÊ VAI MORRER.

O polêmico detetive William Fawkes, conhecido como Wolf, acaba de voltar à ativa depois de meses em tratamento psicológico por conta de uma tentativa de agressão. Ansioso por um caso importante, ele acredita que está diante da grande chance de sua carreira quando Emily Baxter, sua amiga e ex-parceira de trabalho, pede a sua ajuda na investigação de um assassinato. O cadáver é composto por partes do corpo de seis pessoas, costuradas de forma a imitar um boneco de pano.

Enquanto Wolf tenta identificar as vítimas, sua ex-mulher, a repórter Andrea Hall, recebe de uma fonte anônima fotografias da cena do crime, além de uma lista com o nome de seis pessoas – e as datas em que o assassino pretende matar cada uma delas para montar o próximo boneco. O último nome na lista é o de Wolf.

Agora, para salvar a vida do amigo, Emily precisa lutar contra o tempo para descobrir o que conecta as vítimas antes que o criminoso ataque novamente. Ao mesmo tempo, a sentença de morte com data marcada desperta as memórias mais sombrias de Wolf, e o detetive teme que os assassinatos tenham mais a ver com ele – e com seu passado – do que qualquer um possa imaginar.

Com protagonistas imperfeitos, carismáticos e únicos, aliados a um ritmo veloz e uma deliciosa pitada de humor negro, Boneco de pano é o que há de mais promissor na literatura policial contemporânea.




Mary Balogh já vendeu mais de 4 milhões de livros no mundo.

“Este livro tem o humor e os ecos deliciosos de Orgulho e preconceito, de Jane Austen. Uma conclusão extraordinária para uma série encantadora.” – Publishers Weekly

Aos 35 anos, Wulfric Bedwyn, o recluso e frio duque de Bewcastle, está ávido por encontrar uma nova amante. Quando chega a Londres, os boatos que correm são os de que ele é tão reservado que nem a maior beldade seria capaz de capturar sua atenção.

Durante o evento social mais badalado da temporada, uma dama desperta seu interesse: a única que não tinha essa intenção. Christine é impulsiva, independente e altiva – uma mulher totalmente inadequada para se tornar a companheira de um duque. Ao mesmo tempo, é linda e muito, muito atraente.

Mas ela rejeita os galanteios de todos os pretendentes, pois ainda sofre para superar as circunstâncias pavorosas da perda do marido. No entanto, quando o lobo solitário do clã Bedwyn jura seduzi-la, alguma coisa estranha e maravilhosa acontece. Enquanto a atração dela pelo sisudo duque começa a se revelar irresistível, Wulfric descobre que, ao contrário do que sempre pensou, pode ser capaz de deixar o coração ditar o rumo de sua vida.

Em Ligeiramente perigosos, o sexto e último livro da série Os Bedwyns, Mary Balogh conclui a saga desta encantadora família em uma trama repleta de cenas sensuais, tiradas espirituosas e personagens à frente de seu tempo. Ao unir um homem e uma mulher tão diferentes, ela mostra que o resultado só poderia ser um par perfeito.




1,5 milhão de exemplares vendidos.

“Um fenômeno literário na França.” – Le Figaro

“Um livro que tem tudo para nos seduzir: amor e humor na medida certa.” – RTL

Como todo mundo, Julie já fez muitas coisas idiotas na vida. Ela poderia contar sobre a vez que resolveu descer a escada enquanto vestia um suéter e caiu nos degraus, ou quando tentou consertar um plugue ligado na tomada segurando o fio com a boca, ou quem sabe falar de sua fixação pelo novo vizinho que nunca viu: Ricardo Patatras.

Julie tem o irritante hábito de fazer as maiores loucuras quando está apaixonada. E essa obsessão a leva a prender a mão na caixa de correio do vizinho enquanto espiona uma misteriosa carta... E o pior, ainda é flagrada pelo próprio dono da correspondência.

Mas isso não é nada, nada mesmo, se comparado às maluquices que ela vai fazer para se aproximar desse homem e descobrir seu grande segredo. Movida por uma criatividade sem limites, intrigada e atraída por um desconhecido que mora tão perto, Julie assume riscos cada vez mais delirantes, sem perceber que pode cair na própria armadilha.

Com mais de 3,5 milhões de livros vendidos, Gilles Legardinier mostra em Amanhã eu paro! uma história original e irreverente que com certeza fará o leitor morrer de rir.



Traduzidos para 50 idiomas, os livros de Nicholas Sparks já venderam mais de 100 milhões de exemplares no mundo.

“Uma das melhores obras da carreira de Nicholas Sparks.” – StarNews Online

“Dois a dois faz o leitor rir, chorar e refletir. Uma história comovente que fala não apenas do amor de um pai e uma filha, mas também do poder da família e da coragem que devemos buscar em nós mesmos quando enfrentamos o desconhecido.” – Booklist

Com uma carreira bem-sucedida, uma linda esposa e uma adorável filha de 6 anos, Russell Green tem uma vida de dar inveja. Ele está tão certo de que essa paz reinará para sempre que não percebe quando a situação começa a sair dos trilhos.

Em questão de meses, Russ perde o emprego e a confiança da esposa, que se afasta dele e se vê obrigada a voltar a trabalhar. Precisando lutar para se adaptar a uma nova realidade, ele se desdobra para cuidar da filhinha, London, e começa a reinventar a vida profissional e afetiva – e a se abrir para antigas e novas emoções.

Lançando-se nesse universo desconhecido, Russ embarca com London numa jornada ao mesmo tempo assustadora e gratificante, que testará suas habilidades e seu equilíbrio emocional além do que ele poderia ter imaginado.

Em Dois a dois, Nicholas Sparks conta a história de um homem que precisa se redescobrir e buscar qualidades que nem desconfiava possuir para lutar pelo que é mais importante na vida: aqueles que amamos.



“Monica Wood escreveu um livro ao mesmo tempo trágico e encantador, com uma amizade entre gerações que conserva a beleza mesmo depois da morte. A maioria dos leitores precisará de lenços de papel, mas o final os fará sorrir por entre as lágrimas.” – Shelf Awareness

Quinn Porter é um guitarrista de meia-idade que nunca conseguiu deslanchar na carreira. Enquanto aguardava sua grande chance na música, foi um marido e pai ausente, e jamais conseguiu estabelecer um vínculo afetivo com o filho, uma criança obcecada pelo Livro dos Recordes e algumas peculiares coleções.

Quando o menino morre inesperadamente, alguém precisa substituí-lo em sua tarefa de escoteiro: as visitas semanais à astuta Ona Vitkus, uma centenária imigrante lituana.

Quinn assume então o compromisso do filho durante os sete sábados seguintes e tenta ajudar Ona a obter o recorde de Motorista Habilitada Mais Velha. Através do convívio com a idosa, ele descobre aos poucos o filho que nunca conheceu, um menino generoso, sempre disposto a escutar e transformar a vida da sua inusitada amiga. Juntos, os dois encontrarão na amizade uma nova razão para viver.

Um menino em um milhão é um livro sensível, poético e bem-humorado, formado por corações partidos e aparentemente sem cura, mas unidos por um elo de impressionante devoção pessoal.




““É inegável que Brent Weeks criou uma história fantástica, principalmente pelo seu talento com reviravoltas na trama. São muitas durante a obra e a maioria delas deixa você de queixo caído.” – Intocados.com.br

“Brent Weeks é tão bom que está começando a me irritar.” – Peter V. Brett, autor da série Ciclo das Trevas

“Melhor fantasia do ano, possivelmente da década.” – BooksMonthly.co.uk

O jogo parece perdido para a cidade de Cenária.

O golpe impiedoso de Garoth Ursuul, o Deus-rei, foi bem-sucedido. Agora ele domina a cidade, enquanto os invasores de Khalidor massacram habitantes e destroem casas, lojas e esperanças. O antigo governo da cidade foi subjugado e seu líder, substituído.

A magia do Deus-rei é poderosa demais para ser controlada e sua influência se expande até os círculos mais nobres da cidade. As únicas chances de vitória nessa guerra injusta são o honrado Logan Gyre e o derramador Kylar Stern, o Anjo da Noite. Contudo, enquanto o primeiro está enclausurado na mais terrível prisão do reino, o segundo abandonou o caminho da espada e, em nome de Elene, seu grande amor, jurou nunca mais matar.

A resistência agora se resume a ladrões, comerciantes pobres e prostitutas. Mas talvez isso mude muito em breve. Ao descobrir que Logan está vivo, Kylar pode abrir mão da paz que encontrou na nova família e arriscar tudo para retornar ao caminho das sombras.

1 comentários:

thaila oliveira disse...

eu amo os romances de Mary Balogh e os Bedwyns são uma família literária importante para mim, então desejo muito ler ligeiramente perigosos
http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

Postar um comentário