fevereiro 11, 2017

(Textos Meus) Menina Avulsa!

                   
Amar ao próximo como a ti mesmo.

As religiões falam sobre isso.Todo mundo prega essa frase alguma vez em sua vida.Todos os corações convergem para essa teoria de que nós podemos amar o nosso pior inimigo, o nosso maior amigo, respeitando as qualidades e inúmeros defeitos.Todos gritam isso.E num dia meio agitado e tumultuado, um insight surgiu na minha cabeça e refleti sobre algumas coisas da vida.

Eu me amo?Gosto das coisas que faço e imponho limites para as besteiras que cometo?Arrisco,erro, e no final, digo para mim mesma que está tudo bem porque sou apenas uma humana em fase de construção?Eu admito que aquele atitude errada pode machucar alguém que amo muito?Admito?Fico sozinha por alguns dias em qualquer lugar do mundo, sem precisar sair correndo de medo da solidão eterna?Sou uma alma livre ou uma menina com medo de ser presa numa cela onde todos parecem sujos por cometerem erros?Sendo que eu também tenho meus pecados.Os pensamentos são dark.O coração estremece.Eu me culpo.Eu me julgo.Então porque nunca consigo?Nunca olho para  mim mesma.Nunca sento num banco de praça e reflito sobre tudo que já ocorreu em minha vida.Eu sorrio de lado e penso em fulano.Tal que está com um problema imenso na família e precisa de alguém para desabar.Tal que terminou com a namorada porque ela era um fiasco no quesito amor.Tal porque apenas precisava de um abraço numa situação de desespero.Tal porque ganhou flores, mas logo em seguida, engoliu espinhos sem nem perceber.Porquê resolver as questão da vida dos amigos parece mais fácil do que resolver as nossas?Por quê?

Eu senti uma dor esses dias.E ás vezes, uma pontada em alguma região do seu corpo não é apenas uma dor.É um sinal de que precisa ser cuidadosa com aquilo que lhe foi dado, se me entende bem.Passamos a vida toda cuidando de almas perdidas, de personagens que nunca encontram seu final feliz e de amigos que sempre perdem a cabeça na resolução de um pequeno empecilho encontrado no caminho.Cuidei da minha família toda.Doei tudo que o coração tinha.Cada migalha de fé, esperança e sentimentos bons.Desmanchei os pensamentos ruins para me tornar uma pessoa boa para eles.Para quê?Para quê eu fiz isso se tudo ao redor estava borrando como uma pintura mal feita num quadro quebrado?Para quê eu esqueci de tudo que me pertencia?Eu ainda não sei.Mas na tarde seguinte, em que me encontrei com um médico qualquer para um check-up geral, descobri a resposta.

Câncer de mama.

Nunca sequer havia me preocupado com as dores constantes.
Eu não me amo.Eu não me quero.Eu não renuncio.

Eu nunca amei ninguém.

PS:Eu não sei se é apenas um texto, um conto ou uma futura história.Eu só escrevi! Espero que gostem :)

Xoxo,

Carol

6 comentários:

Jorge Filho disse...

Oi Lindona,

Sabe, essa passagem que você cita e a forma a segunda parte dessa oração é tratado pelo texto... Todo mundo devia para pra pensar nisso uma vez na vida. Adorei e tomara que seja mais uma história.

Mil beijos

Amado Jorge



Grande Métamorphose disse...

Carol, li e reli o seu texto com objetivo de tentar que convencer que as suas palavras são reais. Todo mundo tem os seus momentos de fraqueza, de pensar mais nos outros que em si mesmo, tiro isso por mim, eu SEMPRE quero ajudar alguém, antes, chegava a nem ligar tanto pra mim, hoje consigo ver ambas partes. Eu gostaria de te pedir que tenha força e que avalie todas as coisas boas que te faça gostar de você, eu sei que se ama, no fundo você também sabe, garota! Te queira, porque você é demais! Força, vai dar tudo certo!
http://grandemetamorphose.blogspot.com.br/

Lary Zorzenone disse...

Oi Carol. Bonito seu texto. Com o tempo eu aprendi que pra amarmos outras pessoas, precisamos nos amar primeiro. Aprendi isso principalmente com a maternidade. Se eu não me amo, não me cuido, fico sem paciência e ai não consigo amar meu filho.
beijos

Vidas em Preto e Branco

Eduarda Graff disse...

Oi Carol! Achei bem bacana seu texto, precisava ler algo assim hoje. As vezes esquecemos que precisamos cuidar de nós mesmos e isso acaba influenciando outras coisas, infelizmente.

Um beijo!!

www.gotadechampagne.blogspot.com.br

Ana Paula Marques disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ana Paula Marques disse...

Meu coração ficou angustiado. E por mais que seja texto isso realmente acontece. Beijinhoos
http://thamirisdondossola.blogspot.com.br/

Postar um comentário