fevereiro 28, 2017

(Entrevista) Marcelo Tadeu Costa

Olá galera, tudo bem?Hoje vim apresentar um livro de um colega que logo mais será publicado.Ele é quem publica algumas poesias por aqui na categoria "Além dos Versos". Bora conferir mais sobre o novo trabalho dele?


Sinopse 

Caça ao Tesouro Perdido retrata a corrida do ser humano em busca da felicidade.No livro é relatado tudo através de versos, ou seja,a poesia numa linguagem simples e muito interessante.O livro te fará refletir sobre várias coisas de sua vida.


Obrigada Marcelo por doar um pouco de seu tempo para responder essas perguntas.

1) Quando você começou a escrever?
Comecei a escrever aos quinze anos, influenciado pelas aulas de português que tinha no colégio, infelizmente tudo que escrevi na adolescência foi jogado fora.


2) Quando você se apaixonou pela poesia?
Quando comecei a participar da oficina de poesia no Parque da Água Branca ministrado pelo professor Sodré, lá comecei a mostrar a minha poesia e conhecer outras. Lançamos uma coletânia chamada de Presença Poética.


3) Você sente alguma dificuldade em escrever poesias?O quê te impulsiona á escrever?E o quê te desanima?
Diferentemente de outros escritores eu só escrevo poesia quando estou bem comigo mesmo, não consigo escrever quando estou triste. O que me impulsiona a escrever é uma ideia interessante e isto acontece de repente na minha cabeça, no ônibus, no banho, numa caminhada.


4) Você costuma recitá-las em algum lugar?
Eu participo do grupo Poetas do Tietê, recitamos poesia na rua, em bares, em parques, em vídeos e em saraus por toda a cidade.


5) Como foi a ideia do livro?
Bom cheguei numa idade que olhei para meus rascunhos e pensei" È chegada hora de escrever um livro" e isto só foi possível graças ao Paulo D'uria que fez a edição do livro.

Espero que tenham gostado da mini entrevista.
Se alguém aqui tem um livro publicado ou que esteja publicando agora( ou vai publicar,rs) e quer ajuda na divulgação, só falar comigo através do e-mail carolina.hermanas@yahoo.com.br que conversaremos ok?

Xoxo,

Carol

fevereiro 27, 2017

(Além dos Versos) Oficina de poesia, by Marcelo Tadeu

Olá pessoas, tudo bem?Espero que sim.Essa categoria me inspira tanto porque poesia é a minha primeira paixão da vida e espero que eu esteja enfeitiçando vocês também,rs.Obrigada pelo apoio e pelos comentários maravilhosos.Já sabem, querendo enviar uma poesia para ser postada aqui é só falar comigo pelo carolina.hermanas@yahoo.com.br












                                      Oficina de Poesia 

Devo me ir, tenho um encontro
Descobri um lugar, onde se revela o dom das palavras
Dizem que são palavras mágicas, que entram em seus pensamentos
E transmitem a exatidão dos meus sentimentos
Não estranhe se sentir vontade de chorar, pois vive a minha tristeza
Não estranhe se sentir vontade de rir, pois vive minha alegria
Não estranhe ao se encantar com algum lugar, sem nunca ter estado lá, pois vê com meus olhos
Viverás os meus sonhos como se fossemos um só
As palavras nos fazem viajar pelo tempo e pelos sentimentos
Será capaz de sentir saudades, do tempo em que nem mesmo viveu
Odiará a pessoa, que nem uma palha te moveu
Viverás entre a terra e o céu
E por alguns minutos percorrerá os caminhos da vida
Sem saber o que é realidade ou fantasia

Autor: Marcelo Tadeu Costa

fevereiro 25, 2017

(Resenha #Desafio12MesesLiterários)Eu não sei nada sobre o amor, by Bruna Vieira



Informações técnicas
Ano: 2015 / Páginas: 144
Idioma: português 
Editora: Abril

                                           Sinopse
"Se para a foto a gente faz a melhor pose, para a vida o melhor é simplesmente sorrir." Bruna Vieira parece nos enxergar lá dentro, bem depois do fundo dos olhos, em cada um dos textos que escreveu especialmente para a revista Capricho. Amor, escola, autoestima, nada escapa do olhar atento da blogueira e autora que, com sensibilidade e muito talento, descobriu um caminho direto para o nosso coração."




Eu gosto da Bruna Vieira como pessoa, como blogueira e youtuber.E claro, a amo como escritora também.Acho o máximo a forma como consegue se comunicar com as pessoas através de palavras tão simples, e ainda sim repletas de significados importantes para cada um.E foi por isso que escolhi esse livro para o segundo mês do Desafio12MesesLiterário.

Bruna Vieira escrevia textos aleatórios para uma coluna na revista Capricho.E na verdade, foi  quando descobri seu trabalho com a escrita e depois me aprofundei na sua vida blogueira,rs.

O livro é recheado de contos e crônicas publicados pela revista.


"Ok, eu sei que na escola  as fórmulas de matemática costumam ser tão complexas quanto a cabeça dos garotos.Ou quanto seu próprio coração.Porque, na época do colégio,para resolver nossos problemas,sempre teremos mais alguns minutos antes de o sinal tocar, não é?Ainda bem"."  Página 13 


No primeiro texto a típica vida de uma adolescente é retratada: uma menina apaixonada pelo seu melhor amigo, e não se achando bonita o suficiente, pois é considerada a "diferentona" da escola.Quem nunca passou por isso né?Quem nunca se interessou pelo garoto mais simpático da sala?Quem nunca teve a pior nota numa prova qualquer?Quem nunca chorou,gritou, ficou feliz e por aí vai..?O legal do livro é isso: todos os textos abordam um aspecto diferente dessa idade tão tumultuada e louca.E Bruna faz isso como se fosse uma terapeuta, tipo: - olha, não fique assim.É só uma fase.O leitor sente-se como se realmente estivesse desabafando seus problemas para uma amiga próxima.

Não é um livro que possamos esperar muuuuuita coisa, mas eu gosto dos textos da Bruna.Tem um toque único de singularidade e simplicidade.Eu, pelo menos, me sinto confortável lendo seus inúmeros textos.

Em suma, o livro aborda os seguintes assuntos: família,amor,amizade,nossa relação conosco mesma e claro, os probleminhas cotidianos que encontramos frente á isso.

Espero que tenham gostado da resenha,

Xoxo,

Carol

fevereiro 24, 2017

(Resenha) Escolha sua vida, by Paula Abreu

Informações técnicas
LANÇAMENTO: 06/02/2017 
TÍTULO ORIGINAL: ESCOLHA SUA VIDA 
TRADUÇÃO: NÃO ESPECIFICADO 
FORMATO: 14 X 21CM 
NÚMERO DE PÁGINAS: 144 
PREÇO: R$ 29.90

                           Sinopse
Todos os dias a vida nos dá uma nova chance de recomeçar. Mas em geral o medo, a insegurança e a falta de tempo nos impedem de aproveitar essa oportunidade.

Ao ler este livro, você vai descobrir como se abrir para essas mudanças, sair da inércia e começar a viver a vida segundo as próprias regras. Isso significa reafirmar seus valores, abandonar crenças limitadoras, definir sua noção de felicidade e ir à luta.

Não espere mais. Mude – mesmo que ainda não se sinta pronto. O importante é dar o primeiro passo. Escolha sua vida traz exercícios práticos e diversas reflexões para ajudar você a iniciar essa jornada.


Li Primavera Eterna da Paula e simplesmente me apaixonei pela escrita dela.Eu ainda não sabia o quê esperar dessa escritora, mas depois de solicitar esse livro pra Sextante, percebi que a atrasada em questão sou eu.A mulher deu uma reviravolta imensa em sua volta, e aquele romance que eu li antes desse foi apenas uma etapa do longo processo que ela precisou passar para chegar aonde queria.

"Vou apontar para o seu nariz e mostrar que você não é uma vítima do mundo,da sociedade, da família, do emprego chato.E vou provar-lhe que você já tem todos os recursos de que precisa para dar o primeiro passo em direção á mudança." Página 11


Claro que é um livro de auto-ajuda, mas posso garantir que as palavras de Paula são tão fortes que essas páginas vão ajudá-lo á motivar seus maiores sonhos e não morrer de sono,rs.

No trecho acima, já percebemos que esse livro mexerá com suas estruturas - e sério, ela é capaz de fazer isso com um simples romance.

Paula é coach.Paula é uma mulher que descobriu nascer para motivar ás pessoas seguirem seus sonhos e não desistirem de nada.E descobrimos isso no decorrer do livro, quando ela relata suas experiências mais malucas.

Paula aborda uma questão essencial no começo: você é feliz no seu trabalho?Muitos julgam aquelas pessoas que largam tudo para mudar de vida, mas isso é o que todo mundo deve fazer: se conhecer melhor.A partir dessa mudança interior, começamos a perceber nossos gostos, habilidades e o que podemos ou não fazer pelo resto de nossas vidas.Ah sim, um ponto chave para desencadear tudo isso é o que citei acima: conhecer á si mesma.Se não soubermos quem somos e quais os nossos objetivos, como vamos avançar nessa reforma íntima diária?

Paula se divorciou.Perdeu o emprego, e tinha acabado de adotar um filho.Parece tudo bem errado para uma pessoa bem conceituada profissionalmente né?Mas estamos errados(as).Ela resolveu dedicar o tempo que sobrara para criar um mundo.Para criar o mundo dela.Ela tinha tudo do bom e do melhor: luxo ao extremo.E essa "caída" dela foi para fazê-la perceber que na verdade tudo que precisava era: força e coragem para enfrentar cada dia.E não de carros ou sapatos lindos e super caros.

Gostei muito desse livro.Me pegou numa fase em que eu estava meio cabisbaixa e preocupada com algumas questões pessoais, e elevou minha alma para uma conexão bonita e leve com o Universo.Ah sim, ela diz que quando emitimos nossas energias boas para o mundo, o Universo nos devolve com muito prazer.Fora os conselhos e todas as dicas propostas ali no livro que só quando vocês se aprofundarem nessa questão, vão me entender.

Espero que tenham gostado da resenha.

Xoxo,

Carol

fevereiro 23, 2017

(Resenha) Meu jeito certo de fazer tudo errado, by Luiza Trigo e Klara Castanho

                         

Informações técnicas
LANÇAMENTO: 08/02/2017 
TÍTULO ORIGINAL: MEU JEITO CERTO DE FAZER TUDO ERRADO 
NÚMERO DE PÁGINAS: 384 
PREÇO: R$ 39.90


                         Sinopse
Em 2014, na Bienal do Livro de São Paulo, Klara Castanho foi pedir um autógrafo para Luiza Trigo, que estava lançando seu novo livro. Desse encontro nasceu uma amizade.

Um ano depois, inquieta e cheia de ideias, Klara pediu ajuda de Luiza com o conteúdo de um programa jovem de entrevistas que planejava fazer na internet, baseado no que via no dia a dia. Depois de trabalhar um pouco no que Klara havia escrito, Luiza sugeriu: “Que tal pegarmos esses textos e transformarmos em um livro?”. Klara adorou. Assim surgiu a história de Giovanna, uma garota que acaba de se mudar com a família para São Paulo e que, de quebra, precisa encarar os dilemas da adolescência. Obedecer sempre aos pais controladores ou se aventurar em busca de independência? Ignorar suas convicções para andar com o grupinho popular do colégio, ou isolar-se com a amiga tímida e solitária? Viver um grande amor e perder o amigo, ou contentar-se com a friendzone?

O resultado disso tudo são situações e personagens coloridos e autênticos, já que suas dúvidas, erros e acertos foram inspirados nas vivências das próprias autoras. E isso mostra um pouco do motivo pelo qual elas compartilham a paixão pela leitura: com ficção podemos exprimir grandes verdades.

Me interessei por esse livro porque conheço um pouco do trabalho da Luly como youtuber e fiquei curiosa para saber o resultado da atriz com Luíza.
A diagramação foi muito bem trabalhada e representa bem o público juvenil.
Giovanna(Nanna) está se mudando para São Paulo porque o negócio dos pais está expandindo: eles têm uma agência de modelos e pretendem investir nisso.Nanna sente um baque grande quando sai de Campinas e vai para a Grande São Paulo.A menina de quinze anos sabia que aquela era sua grande oportunidade de fazer novos amigos( em Campinas, seus BFF's eram os primos) e encontrar outros caminhos para sua vida.

Nanna é uma adolescente normal.Gosta de escrever poesia( choreiiii demais,rs), ama desenhar e criar roupas e ainda tem um amor platônico por cachorros.Por isso, quando ganha Criss, a menina não se aguenta de tanta felicidade.E a sua energia boa atrai o cachorro do seu vizinho; um menino lindo e fofo
Motivos para amar Nanna: a) ela é diferente de todo mundo.b)Ela é meiga e rebelde.c)Ela pode ser eu,você, sua amiga.

Nanna vira amiga de Giselle no primeiro dia de aula e logo se apaixona por Miguel, um menino super descolado, mas que anda com a galera da pesada: os populares da escola.

" - Existem vários tons  entre o preto e o branco.Você precisa parar de achar que só existem essas duas cores." Página 84


Nanna se vê vulnerável com o que acontece e abre o coração com o vizinho.Os dois acabam virando melhores amigos, após ela relatar que está perdida: sofreu bullying na escola,brigou com Giselle e de repente, a garota mais popular da escola resolver ser sua nova amiga.

Nós vemos Nanna fazer de tudo para se encaixar naquele novo mundo:anda com o grupo popular, fuma e bebe para se mostrar "legal" e se esquece de quem é.Completamente.
E a última questão abordada nessa história é a falta de presença dos pais da Manu.Eles nunca aparecem, pois estão preocupados demais com a aparência social deles( e isso significa viver viajando por aí, atrás de fama e glamour) e por isso nunca fica um segundo com a filha.Nanna reclama disso, mas logo percebe que está esquecendo seus reais valores.

Em suma, o livro é bem adolescente e nos faz refletir sobre várias coisas das quais já passamos.É bom quando o livro nos recorda de algumas decisões boas e erradas que tomamos no passado né?Ainda bem que tudo passa!

Espero que tenham gostado da resenha,

Xoxo,

Carol

fevereiro 22, 2017

(#Chegoooooooooooooooooooooooooooou! 15)

 Olá galerinha, tudo bem? Ai ai, felicidade é meu sobrenome quando o correio chega.Incrível a habilidade que essa editora parceira tem de me fazer suspirar quando tenho um dia estressante sabe?Porque quinta-feira foi um desastre total.Olhei para o pacotinho e agradeci demais por ter isso :) 
Espero que estejam ansiosos para as resenhas!


































Xoxo,

Carol

fevereiro 21, 2017

(Textos Dele) Valentine's Day!

Eu sei que nossos dias tem sido cheios, os afazeres, as preocupações. Mas mesmo que esta data tenha passado quase despercebida, por nos dois, ainda é tempo de falar sobre. 

Sabe São Valentim morreu defendendo o amor frente a um rei mal amado que queria homens mais focados na batalha. Temos lutado as nossas guerras diárias, e ouso dizer que nossas forças se estabelecem com mensagens de bom dia e eu te amo pela manhã. Com uma munição dessas sou capaz de enfrentar qualquer reinado como São Valentim o fez.  Acho que ele deve estar orgulho de nós lá do céu sabe, eu e ela aprendemos a nos amar nas situações mais inusitadas. E se nos desentendemos, por amor compreendemos o outro e coração fica leve e livre. 

Nós sempre fugimos do padrão das datas comemorativas de casais, não fizemos disso obrigação. Mas o simples fato de poder tê-la por perto, independentemente da data, faz meu me dia especial e qualquer dia ficar incrível. Comemoramos isso com mimos, presentes, rosas, beijos, declarações infinitas por todos os lugares, em texto, poesia e prosa espontâneos, decorados ou cantados.

Quando nos vermos novamente, saudaremos tardiamente o mártir por sua data e pelo que fez aos amantes da época. Mas não será tardia a nossa vez de se amar e permanecer juntos antes das nossas batalhas. Ama-la me deu força suficiente vencer tudo necessário para vê-la de novo e assim será. Pobre imperador Claudio II, não entendeu que as forças de homens apaixonados são superiores à de homens sem propósito, apenas ambição.


PS: Geeeeeeeeeente, esses textos que coloco como "textos dele" é o meu namorado que escreve viu? Não sou eu não.No último post muita gente se confundiu ahahahah! 

Xoxo,

Carol

fevereiro 20, 2017

(Resenha) Amaldiçoadas, by Jessica Spotswood

                 
Informações técnicas
Assunto Romance
Editora Arqueiro
Edição
Complemento de edição Volume 2
Coleções e séries Coleção As Crônicas da Irmãs Bruxas
Número de Páginas 288
Idioma Português

                                             Sinopse
Cate Cahill tomou a decisão mais difícil de sua vida e resolveu largar tudo para proteger aqueles a quem amava, mas não poderia imaginar os obstáculos que ainda teria pela frente.

Agora, vivendo disfarçada entre as outras moças da Irmandade, ela precisa se manter a salvo dos implacáveis caçadores de bruxas e lidar com grandes dilemas pessoais, como a distância de seu grande amor e os conflitos que envolvem suas irmãs – Tess, uma menina doce e ingênua que guarda um grande segredo, e Maura, a jovem bela e ambiciosa que pretende fazer de tudo para se tornar o centro das atenções.

Será que Cate está pronta para liderar as bruxas de sua geração e ganhar o respeito de uma sociedade que condena a feitiçaria? E seria ela a bruxa da profecia, a mulher mais poderosa já nascida em muitos séculos e capaz de revolucionar a história do mundo?

Envolva-se ainda mais na história de Cate e de todas as mulheres fortes que a cercam e segure seu coração para torcer pelo amor de Cate e Finn neste volume que traz revelações imperdíveis antes da conclusão da saga das irmãs Cahill.

Ok. Não sei muito bem o quê falar sobre um gênero que desprezava, e agora amo, porque essa trilogia está me deixando muito doida,rs. Acho que o diferencial dessa história é que a autora consegue trazer para a atualidade uma história que poderia ser muito chata se não fosse bem escrita e elaborada.
O livro começa com Cat completamente imersa na Irmandade, longe de seus irmãos. Determinada em proteger sua família e seu grande amor Finn, ela faz de tudo para que tudo fique bem e estável. 

O segundo volume da trilogia traz um mistério que me deixou mega curiosa para ler o último livro: quem é a bruxa da profecia?São três irmãs e uma delas têm um poder que se chama magia mental.É basicamente utilizado para apagar as memórias das pessoas em momentos caoticos ou situações de guerra, por exemplo.Mas apenas uma  possuirá esse dom e as outras duas irão morrer. E enquanto isso, a Maura, uma das irmãs, faz de tudo para ser escolhida a bruxa, como se alguém pudesse fazer isso. E a partir dessa obsessão pelo poder sobrenatural, ela e Cate acabam criando uma espécie de competição para saber qual era a melhor e quem poderia agir de forma mais consciente na hora de um atarque.A briga é constante. É um dom natural que uma delas recebe e precisa executá-lo á partir de tal idade.Bem louco,hm?


"O nome dele está escondido em sua sombra de seu capuz preto,mas eu reconheceria aquela voz em qualquer lugar;só que nunca a escutei tão furiosa comigo". Página 62


Cate reencontra Finn e descobre que seu amado está na Fraternidade para lhe proteger e passar algumas informações sobre o ataque que estão planejando( para quem não sabe, a Fraternidade é repleto de caçadores de bruxas) e outras coisas importantes.Eles se reencontram nessa noite e Cate explica tudo o que acontece.


Várias coisas vão se explicando e se completando na continuação das irmãs Bruxas, mas estou com expectativas altas para o final dessa saga que me deixou um pouco maluca.É um outro mundo.Um outro mundo que está por um triz.Um mundo em que elas lutando fortemente para não acabar e vencer contra o mal.Mas quem é bom nessa história?
Espero que tenham gostado da resenha e os tenha deixado curiosos também,rs.

Xoxo,



Carol

fevereiro 16, 2017

(Entrevistando) Samantha Holtz!

Olá galera, tudo bem?Vocês se recordam da resenha do livro Quando o amor bate a sua porta?Caso não se lembrem, cliquem aqui.O negócio é que consegui uma entrevista por e-mail com a autooora e eu estou tão feliz com isso :)


1) De onde veio a inspiração para "Quando o amor bater à sua porta"?
Em primeiro lugar, obrigada pelo convite para a entrevista! :) Bem, a primeira "sementinha" da inspiração veio alguns anos atrás, conversando em casa com minha irmã. Eu desabafava com ela sobre certos tipos de homens, como podiam ser tão enganadores, e falei: "Sabe o que seria ótimo? Se eu pudesse tirar um personagem de dentro do meu livro e trazê-lo para a vida real...". Nós duas nos olhamos com o mesmo olhar de surpresa e, na hora, percebi que ela pensava o mesmo que eu: "isso daria uma história...!". Guardei a ideia, ainda sem saber como poderia desenvolvê-la - criar algo fantasioso, em que o personagem de fato "saía do livro" e surgia no mundo real, ou algo mais voltado a coincidências... por fim, esse nem foi o fator principal na história (Luiz Otávio aparece e surpreende Malu por ter o mesmo nome do protagonista que ela está criando, mas por ora é só isso), mas foi um dos pontos de partida!


2) A Malu é real (você se identifica com ela) ou não?
Ela é bastante diferente de mim, especialmente no início da história, quando é mais amarga, arrogante e difícil de lidar... vejo-me bastante diferente dela, nesse ponto! Mas alguns medos e bloqueios que ela carrega e a maneira como interferem em sua vida, com isso eu creio que todos nós possamos nos identificar. Cada um tem um fantasma a combater dentro de si. Nesse ponto, creio que não somente eu como todos poderemos nos identificar com Malu, o que a torna muito real sim!



3) Os personagens foram construídos naturalmente ou tiveram muitas características de amigos próximos?
Como em meus outros livros, todos os personagens são fictícios. Não me baseei em mim ou em pessoas que conheço para desenvolvê-los. O único que tem alguma relação com a realidade é a Thais, atendente do asilo Lar dos Anjos, pois o lugar é real, mas não conheço pessoalmente (fica em São José dos Pinhais - PR). Quem me ajudou com as informações de lá foi a atendente Thais e, em agradecimento à ajuda dela, eu a "coloquei" na história, nos momentos em que a Malu visitava o avô nesse lugar! (risos)



4) Uma característica muito legal do livro é que a história é tratada como se a escrita realmente fosse valorizada aqui no Brasil. Você acha que o mercado editorial brasileiro melhorou ou ainda é preciso lutar muito?
Quando tentei publicar pela primeira vez, ainda adolescente, o mercado literário era bastante restrito para novos escritores. Publicar era muito mais difícil do que é hoje em dia, o que vejo como um ganho no sentido de mais oportunidades, apesar de muitas editoras não oferecerem ainda um trabalho de verdadeira qualidade aos novos autores, tampouco suporte na distribuição, marketing etc. Também temos bastante a melhorar, ainda, no sentido de valorização da literatura nacional. Isso não é uma luta somente dos escritores ou das editoras, mas dos leitores também (para quebrar a equivocada imagem de que "o que é do Brasil não presta"). Apesar disso, desde que fiz minhas primeiras tentativas de publicação até agora, já vi muita coisa melhorar, e sei que continuaremos nesse caminho, pois as editoras e livrarias têm percebido a força da nova geração da nossa literatura e, pouco a pouco, os leitores também (ainda mais com a ajuda de vocês, blogueiros queridos! <3). A quantidade cada vez maior de nomes brasileiros em grandes editoras e em vitrines de livrarias é um claro reflexo disso!



5) Qual a SUA história com a escrita? Quando começou e qual foi a primeira coisa que escreveu na vida?
A paixão por contar histórias começou aos sete anos de idade, quando decidi que queria ser redatora do Mauricio de Sousa, quando crescesse. Então, comecei a escrever minhas próprias histórias em quadrinho: eu juntava um monte de folhas sulfite, grampeava no meio e escrevia minhas historinhas! Creio que tenham sido minhas primeiras criações, e minha mãe ainda tem várias delas guardadas em uma caixa (risos). Com o tempo, fui lotando cadernos com poesias, reflexões e pequenos contos, muitos dos quais eu dava de presente aos professores... até que, aos 14 anos, escrevi um conto que cresceu, cresceu e virou um romance – mais precisamente, a primeira versão de “Renascer de um Outono”. Daí em diante, não consegui mais parar de escrever romances!



6) Qual foi a sua grande motivação enquanto escrevia? E qual é a pior parte na hora de escrever e a melhor?
A motivação é sempre oferecer ao leitor uma história viciante e gostosa de acompanhar, pensando não somente no entretenimento que ofereceremos mas nas lições, reflexões e inspirações que eles irão tirar daquilo que você escreveu. Desde pequena, quando eu sonhava ser escritora, meu maior intuito não era ficar rica, famosa nem nada do gênero... e sim ver minhas palavras espalhadas Brasil (quem sabe mundo) afora, levando bons sentimentos. É o que mais me motiva! A melhor parte na hora de escrever é o momento em que a ideia embala e você nem vê a hora passar... sempre que você para porque precisa comer, beber água ou fazer alguma coisa, a história fica pulsando em sua cabeça e você não vê a hora de continuar - sentimento parecido com o de quando estamos viciados em um livro ou série. Você não para de pensar naquilo! Amo quando alcanço este momento. O pior momento, em contrapartida, é quando enfrentamos algum bloqueio criativo ou encruzilhada para continuar a história... algum detalhe que não estamos conseguindo fechar, algo que não fez sentido, uma mudança que sabemos ser necessária, mas não sabemos como fazer. É péssimo sentar-se diante do computador e não ter ânimo para escrever porque não sabemos ao certo o que faremos! (risos) Ainda bem que é um sentimento sempre passageiro.



7) Muuuuito obrigada pela entrevista. Amo autores que têm esse contato direto com os leitores. É importante e me deixa muuuito feliz. Dê aqui uma dica para quem sonha em viver de romance, rs!
Eu que agradeço, querida, por ter me convidado! Adorei responder! :) Para quem sonha viver de livros, meu conselho é: paciência, persistência e dedicação. Não escreva com a única e exclusiva finalidade de publicar e fazer sucesso. Escreva porque é o que você ama fazer. O resto é consequência, e sua verdadeira realização deve ser ver uma obra concluída, independentemente do que acontecerá com ela depois. Não digo que você não deve sonhar, muito pelo contrário; busque muito! Apenas saiba que você deve ser movido por seu amor à arte, mais do que pelo amor ao status ou ao reconhecimento que deseja ter, senão você enfrentará frustrações e impaciências que irão, pouco a pouco, fazê-lo desanimar de continuar. Os resultados na carreira literária costumam ser lentos e cheios de altos e baixos, como tantas outras profissões, então mantenha o foco no amor que você tem pela arte. É o que te manterá em pé quando tudo parecer difícil. Para quem quiser mais dicas sobre escrita, publicação, vendas de livros e outros assuntos, tenho um canal com atualização semanal no Youtube: http://youtube.com/c/samantaholtz
Espero que possa ajudar muitos novos escritores em nosso país! :)
SUCESSO!!! :*

Gostaram?

Xoxo,

Carol

fevereiro 15, 2017

(Além dos Versos) O maior dos poetas, by Marcelo Tadeu

Olá galera, tudo bem?Hoje trouxe mais um amigo poeta.Conheci o Marcelo quando fiz uma oficina literária com Paulo D'Auria e acabamos nos aprofundando na poesia.Uma grande amizade surgiu dali e considero ele meu parça! :) 








                           O maior dos poetas
Em um dia inspirado
O poeta escreveu
Aquela que seria
A melhor das poesias
No céu uma grande bola de fogo
Que surge nas manhãs
Dando luz, calor
Iluminando a vida
E quando ela se vai
Eis que então
Uma luz discreta
Não bastasse toda sua beleza
Ainda se enfeita de estrelas
Salve o maior dos poetas!
Que em seus simples e perfeitos versos
Transmite o exato significado
Salve todos os poetas!
Que fazem poesia da poesia
E sem contar
Que em um dia inspirado
O maior dos poetas escreveu você
Poesia também.


Autor: Marcelo Tadeu Costa

Xoxo,

Carol

fevereiro 14, 2017

(Projeto Escrevendo Sem Medo) Fevereiro!


2) Fevereiro:  O poema da festa perfeita.
O tema é um desafio. Eu tenho dificuldades para escrever poemas, então decidi me desafiar. Aqui, você vai escrever um poema descrevendo como seria a festa perfeita para você. Faça da forma como desejar!











Poesia é a festa
Que habito
Em corações alheios:
Pensamentos derradeiros,
Vasos derrubados,
Em lugares Inimagináveis.
Sorriso no contra-piso
Da casa que construí
De muralhas.
De vidas passadas.
Poesia é a purpurina
Que jogo
No teu cabelo vermelho,
Enquanto sua risada
Preenche a sala inteira.
Poesia é aquela melhor amiga,
Que puxa sua cadeira,
Destrói seu coração de madeira,
E ainda lhe pergunta o quê faz aqui:
Nesse mundo de anjos caídos,
E estrelas coloridas.
Poesia é confete,
Lhe reveste,
Lhe compete,
Á nunca debater sobre.
A nunca combater em nome.
De qualquer santidade dita.
De qualquer identidade perdida.

_


fevereiro 13, 2017

(Resenha) Ninfeias Negras, by Michel Bussi

Informações técnicas
LANÇAMENTO: 09/01/2017 
TÍTULO ORIGINAL: NYMPHÉAS NOIRS
TRADUÇÃO: FERNANDA ABREU 
NÚMERO DE PÁGINAS: 352 PÁGINAS 

                            Sinopse
“Uma obra-prima deslumbrante, inesperada e assombrosa.” – Daily Mail

Vencedor de cinco prêmios literários, Ninfeias negras foi o romance policial mais premiado da França em seu lançamento.

Giverny é uma cidadezinha mundialmente conhecida, que atrai multidões de turistas todos os anos. Afinal, Claude Monet, um dos maiores nomes do Impressionismo, a imortalizou em seus quadros, com seus jardins, a ponte japonesa e as ninfeias no laguinho.

É nesse cenário que um respeitado médico é encontrado morto, e os investigadores encarregados do crime se veem enredados numa trama em que nada é o que parece à primeira vista. Como numa tela impressionista, as pinceladas da narrativa se confundem para, enfim, darem forma a uma história envolvente de morte e mistério em que cada personagem é um enigma à parte – principalmente as protagonistas.

Três mulheres intensas, ligadas pelo mistério. Uma menina prodígio de 11 anos que sonha ser uma grande pintora. A professora da única escola local, que deseja uma paixão verdadeira e vida nova, mas está presa num casamento sem amor. E, no centro de tudo, uma senhora idosa que observa o mundo do alto de sua janela.

Esse livro foi a minha primeira experiência com o romance policial, então vamos relatar aqui o que senti.
Para começar, vocês sabem o que é o movimento Impressionismo? "Os impressionistas buscavam retratar em suas obras os efeitos da luz do sol sobre a natureza, por isso, quase sempre pintavam ao ar livre. A ênfase, portanto, era dada na capacidade da luz solar em modificar todas as cores de um ambiente, assim, a retratação de uma imagem mais de uma vez, porém em horários e luminosidades diferentes, era algo normal. O impressionismo explora os contrastes e a claridade das cores, resplandecendo a ideia de felicidade e harmonia." ( retirada desse site aqui aonde vocês encontram mais informações).O que me intrigou quando solicitei esse livro pra Arqueiro, foi que na minha cabeça a coisa não se completava direito.Tipo, como um autor conseguiria pegar o movimento Impressionismo e colocar suas características de uma forma metáforica?Porque ok, é facil falar sobre um assassinato que teve envolvendo um quadro importante do Monet( o cara que ficou mais famoso nesse movimento),mas como o autor conseguiu povoar a história com as paisagens, e as entrelinhas, assim como os quadros do Monet representa?E ainda por cima distorce das características presentes.Por exemplo, encontramos nessa história um homem importante que morre e há todo um clima sombrio envolta desse mistério.É um quadro negro, assim como o título sugere.


"Vocês já entenderam.As três eram bem diferentes.Tinha,porém,um ponto em comum, um segredo,de certa forma: todas elas sonhavam em ir embora." Página 11


A primeira era ruim e não revela seu nome de imediato.A segunda era mentirosa e se chamava Stéphanie Dupain; e a terceira se chamava Fanette e era egoísta.
A história é narrada pela primeira mulher, mas ás vezes, parece que seus pensamentos se confundem com um narrador qualquer ou com um dos personagens.Acho que essa é a maneira de causar uma certa tensão na história né?

Temos um primeiro choque nas primeiras páginas: Jérôme Morval é assassinado e ninguém sabe o motivo.É claro que os investigadores descobrem que o cara tinha algumas amantes e uma obsessão estranha pelos quadros de Monet, e um deles, é a Ninfeia.Um quadro super conhecido do pintor, e que convenhamos, eu não sabia da existência até caçar no google,rs.A forma como tudo é descrito aparenta uma paisagem impressionista: há belas paisagens em Giverny, e em contraste com isso, um trama dark repleto de mistérios e histórias cabeludas.

Confesso que esperava bem mais da história.Fiquei um pouco impressionada com o desfecho, mas sei lá, sempre temos esperança que haja um final MEGA ULTRA BLASTER enigmático né? ahahahaha. Mas foi o primeiro contato com esse gênero e pretendo continuar desvendando mais casos por aí e descobrindo mais livros voltados para esse lado mais policial.

Espero que tenham gostado :)

Xoxo,

Carol

fevereiro 11, 2017

(Wattpad) 2017 chegooooooooouu!

E aí galera, beleza? O negócio é que 2017 chegou e com isso a inspiração voltou( OBRIGADA DEUSSSSSSSSSSS,ahahahah).E eu resolvi postar um pedaço do quê estou escrevendo lá no wattpad.O quê acham? Preciso da opinião de vocês lá <3
Cliquem aqui para saber mais e me acompanhar.

Xoxo,


Carol


(Textos Meus) Menina Avulsa!

                   
Amar ao próximo como a ti mesmo.

As religiões falam sobre isso.Todo mundo prega essa frase alguma vez em sua vida.Todos os corações convergem para essa teoria de que nós podemos amar o nosso pior inimigo, o nosso maior amigo, respeitando as qualidades e inúmeros defeitos.Todos gritam isso.E num dia meio agitado e tumultuado, um insight surgiu na minha cabeça e refleti sobre algumas coisas da vida.

Eu me amo?Gosto das coisas que faço e imponho limites para as besteiras que cometo?Arrisco,erro, e no final, digo para mim mesma que está tudo bem porque sou apenas uma humana em fase de construção?Eu admito que aquele atitude errada pode machucar alguém que amo muito?Admito?Fico sozinha por alguns dias em qualquer lugar do mundo, sem precisar sair correndo de medo da solidão eterna?Sou uma alma livre ou uma menina com medo de ser presa numa cela onde todos parecem sujos por cometerem erros?Sendo que eu também tenho meus pecados.Os pensamentos são dark.O coração estremece.Eu me culpo.Eu me julgo.Então porque nunca consigo?Nunca olho para  mim mesma.Nunca sento num banco de praça e reflito sobre tudo que já ocorreu em minha vida.Eu sorrio de lado e penso em fulano.Tal que está com um problema imenso na família e precisa de alguém para desabar.Tal que terminou com a namorada porque ela era um fiasco no quesito amor.Tal porque apenas precisava de um abraço numa situação de desespero.Tal porque ganhou flores, mas logo em seguida, engoliu espinhos sem nem perceber.Porquê resolver as questão da vida dos amigos parece mais fácil do que resolver as nossas?Por quê?

Eu senti uma dor esses dias.E ás vezes, uma pontada em alguma região do seu corpo não é apenas uma dor.É um sinal de que precisa ser cuidadosa com aquilo que lhe foi dado, se me entende bem.Passamos a vida toda cuidando de almas perdidas, de personagens que nunca encontram seu final feliz e de amigos que sempre perdem a cabeça na resolução de um pequeno empecilho encontrado no caminho.Cuidei da minha família toda.Doei tudo que o coração tinha.Cada migalha de fé, esperança e sentimentos bons.Desmanchei os pensamentos ruins para me tornar uma pessoa boa para eles.Para quê?Para quê eu fiz isso se tudo ao redor estava borrando como uma pintura mal feita num quadro quebrado?Para quê eu esqueci de tudo que me pertencia?Eu ainda não sei.Mas na tarde seguinte, em que me encontrei com um médico qualquer para um check-up geral, descobri a resposta.

Câncer de mama.

Nunca sequer havia me preocupado com as dores constantes.
Eu não me amo.Eu não me quero.Eu não renuncio.

Eu nunca amei ninguém.

PS:Eu não sei se é apenas um texto, um conto ou uma futura história.Eu só escrevi! Espero que gostem :)

Xoxo,

Carol

fevereiro 10, 2017

(Além dos Versos) Meu sonho, by Marcelo Tadeu

Olá pessoinhas do bem, como estão?Ai ai, a vida poderia ser regada de muuuuuuuita poesia e sorrisos verdadeiros né? Bora de mais versinho com o Marcelo.














                                              Meu Sonho

Um dia sem Sol
Pois a imagem era o sol
Um dia sem céu
Pois a imagem era o céu
Difícil de explicar
A Terra parou
Olhos arregalados, encantados.

A imagem era de um homem
Vestido com um manto branco
Que mais parecia pano de chão
Sua feição era de um homem simples
Mas a sua simplicidade o tornava belo
E como um camaleão
Mudava de cor
Branco, negro, amarelo.

Não disse uma só palavra
Não fez nenhuma super mágica
E a imagem aos poucos foi sumindo
Tal como o por do sol
E depois de um minuto de absoluto silêncio
A multidão ainda encantada explode... em aplausos
E em completo fascínio todos comentavam:

- Que Maravilha!
- Que tecnologia!
- Como funciona?
- Quem Inventou?
- Você já tem o seu?
É, mais uma vez
O mundo não entendeu.

Autor: Marcelo Tadeu Costa

Xoxo,


Carol