janeiro 04, 2017

(Textos Dele) O Ano Novo

Ainda me lembro muito bem do nosso último réveillon. Rio das Ostras foi uma ótima escolha apesar do transtorno do trânsito.Nós chegamos e ficamos bem. Foi incrível como tudo estava no seu devido lugar, até o simples fato de estarmos juntos naquele último dia de translação da Terra  no ciclo de 2015. Sim,incrível. Já na areia da praia, estávamos abraçados antes da meia noite esperando o momento do nosso beijo as zero hora do ciclo novo. Com nosso beijo e os fogos coloridos pintando o céu, veio também ela a madrinha desde sempre de tudo que temos. A Lua, primeiro vestiu tons de amor vermelho e depois ficou branca e prata em paz no céu. Ela e eu concordamos que o ano seria bom.

E no primeiro dia do ano fomos passear na praia de águas cristalinas. O mar estava calmo e o sol brilhava forte, a nossa caminhada foi repleta de brincadeiras, muitos pensamentos e paz. Estar lá no mini paraíso com ela me levou mesmo ao céu. Nos sentamos para verificar a tal água cristalina, ela vinha beijava nossos pés e voltava e quando vinha trazia consigo conchinhas do mar, ela achou fofa e sob a recompensa de beijos eu as cacei no mar somente para agrada-la, a recompensa foi bônus. Sei que ela ainda tem essas conchinhas. Sentados na areia refletimos até sobre o verdadeiro gênero do mar, conclui que devia ser menina mesmo por que “a mar” me parece muito certo. 

No segundo dia do movimento sideral anual, convenci ela a sair cedinho para ver o sol nascer na praia comigo e uma garrafa de champanhe, pois o nascer ali devia ser poderoso e trazia consigo tantas energias quanto a nossa madrinha Lua. Saímos cedinho pela estrada ainda escura para ver o Sol se levantar... mas ele se escondeu, bom ainda tínhamos o champanhe e a presença um do outro, e foi o suficiente pra comemorarmos. Não sei se foi a melhor ideia do mundo, mas o ficamos um pouco altos e isso no rendeu risadas tão maravilhosas quanto esses dias todos. O sol veio depois que voltamos para a pousada, e como se quisesse se desculpar nos garantiu uma tarde maravilhosa e divertida na piscina. E mesmo se o Sol não viesse o sorriso dela pelo meu cafuné seria capaz de iluminar até a própria lua.

Essa energia ficou conosco durante todo o caminhar da Terra ao redor do Sol, vivemos muitos outros momentos e o sorriso dela foi suficiente inúmeras vezes para que o meu simplesmente brotasse. Hoje o ciclo mudou novamente, mas essa energia ainda flui em nos e nossos corações bobam esta energia pelo nosso corpo, e só de segurar a mão dela, beijar o rosto dela posso sentir isso se multiplicar. Eu a amei em 2015, a amei em 2016 e amarei além de 2017.

By Jorge Filho

PS:Sim, esse texto aqui foi escrito pelo meu namorado e vocês o verão com mais frequência no blog.Espero que tenham gostado e ficado tão apaixonada quanto eu nesse dia <3
Xoxo,

Carol

1 comentários:

Alana Marques disse...

Oi Carol.

Belo texto, muito romântico e toques narrativos de um escritos de estórias.
Espero ver mais textos dele aqui também.

Beijos.
Alana Marques
colecionadoresdelivross.blogspot.com.br

Postar um comentário