julho 11, 2016

(Resenha) A Voz Do Arqueiro, by Mia Sheridan

Informações técnicas
LANÇAMENTO: 05/08/2015
TÍTULO ORIGINAL: ARCHER’S VOICE
TRADUÇÃO: ANA RODRIGUES
NÚMERO DE PÁGINAS: 336


                                      Sinopse
Cada livro da coleção Signos do Amor é inspirado nas características de um signo do Zodíaco. Baseado na mitologia de Sagitário, A voz do arqueiro é uma história sobre o poder transformador do amor.

Bree Prescott quer deixar para trás seu passado de sofrimentos e precisa de um lugar para recomeçar. Quando chega à pequena Pelion, no estado do Maine, ela se encanta pela cidade e decide ficar.

Logo seu caminho se cruza com o de Archer Hale, um rapaz mudo, de olhos profundos e músculos bem definidos, que se esconde atrás de uma aparência selvagem e parece invisível para todos do lugar. Intrigada pelo jovem, Bree se empenha em romper seu mundo de silêncio para descobrir quem ele é e que mistérios esconde.

Alternando o ponto de vista dos dois personagens, Mia Sheridan fala de um amor que incendeia e transforma vidas. De um lado, a história de uma mulher presa à lembrança de uma noite terrível. Do outro, a trajetória de um homem que convive silenciosamente com uma ferida profunda.

Archer pode ser a chave para a libertação de Bree e ela, a mulher que o ajudará a encontrar a própria voz. Juntos, os dois lutam para esquecer as marcas da violência e compreender muito mais do que as palavras poderiam expressar.



A primeira parte da sinopse me atraiu muito, por isso fiz a solicitação do livro para a Arqueiro.Como assim uma série de livros baseado nas características de signos do Zodíaco?Eu achei a ideia fabulosa.Então, escolhi o primeiro da saga.Começa com uma mitologia de Sagitário, o que dá ínicio á história.

A narração é feita em duas partes: ora por Bree,ora por Archer.A autora consegue demonstrar o que cada personagem sente em determinada situação de forma quase igual, juntando os pensamentos de ambos.Então, o livro começa com a narração de Archer falando um pouco sobre sua infância violenta: seu pai batia na sua mãe e isso fez com  que ele crescesse em meio á essas cenas tumultuadas.


"Alguns dias eu tinha a sensação de mal conseguir dar conta das minhas emoções.Acho que cada pessoa lida com o sofrimento de formas diferentes - a dor e a cura são tão individuais quanto as pessoas que as vivenciam." Página 37


No segundo capítulo, temos Bree, uma menina bonita e inteligente que escapa de sua cidade Natal( por um fato ocorrido no passado) e vai passar um tempo para espairecer a cabeça em Maine.E nesse exato momento, no primeiro dia na verdade, os dois personagens se chocam e é quando a história engata.

Os dois escondem segredos que transformam   suas vidas de maneira bruta e dolorida, mas no entanto, quando resolvem se entregar á esse sentimento que consola e ampara, conseguem achar soluções.

Por conta do problema de Archer, Bree acaba tornando-se um porto seguro para o menino.Achei interessante a ideia de colocá-lo na mão da menina, uma vez que estamos acostumados á situação inversa não é mesmo?Mas claro, que tudo isso tem a ver com o fato naquele momento.Tem uma explicação, um motivo pelo qual as coisas acontecem dessa maneira tão contraditória.

O livro também apresenta cenas de sexo e por mais que, hm, a autora detalhe cada movimento dos personagens, não torna a escrita pesada ou depravada como tenho visto por ai.As palavras são "leves".No entanto, voltando o foco para o trama da história, constatei que tem muuuuita cena de sexo, o que não é muito bom.Não sei bem como explicar, mas acho que a autora exagerou um pouco nesse quesito.Poderia ter focado em outras coisas.

Em suma, gostei da forma como o enredo foi traçado.Faz pensarmos em como passamos por certas situações o tempo todo e nunca reparamos como algumas pessoas querem nos ajudar, não é mesmo?Ou então, como um cara que nem conhecemos, pode aparecer nesse momento e mudar nosso futuro para sempre.É bonito,lindo e ás vezes, trágico, dependendo do quê aquele casal já passou.

Espero que tenham gostado da resenha.

Xoxo,

Carol.



 








4 comentários:

Luiza Helena Vieira disse...

Oi, Carol!
Todos falam muito bem desse livro, mas ainda não bateu a vontade de ler, sabe?
Beijos
Balaio de Babados
Participe da promoção de aniversário do blog Crônica sem Eira

Marcy Moraes disse...

Ainda não tinha ouvido falar desse livro, mas parece ser interessante.

Blog Marcy Moraes

Ariana Coimbra disse...

Eu nunca vi esse livro, não é o tipo de leitura que estou habituada, mas agora nas férias, quem sabe eu leia. rs

Beijo

Priscila Tavares disse...

Oi Carol, eu não sou tão ligada nesse lance de signos mas achei a proposta bem legal. E que bom que as descrições dessas cenas não afetam a qualidade do livro, porque menina, fui obrigada a abandonar um livro semana passada por conta disso.
Beijos
Quanto Mais Livros Melhor

Postar um comentário