abril 30, 2016

(Novidades) Editora DarkSide

E aí galera, tudo bem?Espero que sim.Conhecem este livro? Cliquem aqui para saber mais.A novidade é que a pré-venda já está rolando e no começo de maio o livro será lançado.Arrasou né?







Xoxo,

Carol.

abril 29, 2016

(Uma tal de Paula) Não era pra ser sobre você, mas é:

Gosto de gostos, 
Sabores e amores,
A vida podia se resumir a:
Pijamas e frio
Um café ou chá
Música leve
Estilo folk
Sou suspeita quanto a isso...
Amo a vida e seus sabores
Amo os sabores e seus amores
Ei, de-me um drink, uma bebida quente ou gelada
Me faça companhia, me ame
Fique e se faça estar...
Meus textos sempre lhe imploram pra que fique, mais cinco minutos ou quem sabe a vida, fica! Olha eu implorando de novo...
Esse texto que já nem sei o que é, poesia? Prosa? Amor? Você? Eu? Nós?
Bagunça! 
Tem tudo de você e seus olhos castanhos,
Esse olhar penetrante e envolvente que me faz ficar cada dia mais dependente
Faz sentido?
Talvez, só na minha cabeça... Ou nem isso.



PS:Gente, a Paula não sou eu ok?É uma garota que conheci no facebook e por gostar muito dos textos que produz, resolvi colocar sempre essas poesias lindas aqui tá? ahahahahahha. 


Xoxo,

Carol

abril 28, 2016

(Apoio á Literatura Nacional) Luene Langhammer Alves

L. L. Alves, nome artístico de Luene Langhammer Alves, é formada em Letras - Língua e Literaturas Inglesa pela Universidade Federal de Santa Catarina. Apaixonada pelo mundo das letras, mescla seus dias entre leituras e escritas. Ao todo, já escreveu mais de dez livros, variando entre fantasia, romance e chick-lit.

A autora está sempre com novos projetos, seja sua primeira trilogia ambientada em um novo universo, livros únicos, contos ou pequenos textos.
Ela pretende continuar escrevendo cada vez mais livros intrigando o mundo com seus mistérios e fantasia e nunca deixando a vontade de chegar à última página passar.




abril 27, 2016

(Novidades) Editora Companhia das Letras



Conheça o lançamento Nasce um empreendedor!

Construir um negócio de sucesso não é fácil. Por onde começar? Como se preparar para a montanha-russa emocional e financeira pela qual você deve passar? Quais são as principais armadilhas a serem evitadas?
Em Nasce um empreendedor, Dony De Nuccio e Bob Wollheim respondem a essas perguntas de forma simples, direta e divertida. De quebra, ainda reúnem os maiores e mais influentes empreendedores do país, que dão dicas e depoimentos imperdíveis para quem quer se aventurar nesse universo tão desafiador e fascinante.


Gostou da novidade?Saibam mais aqui 



Xoxo,

Carol

abril 26, 2016

(Day Together) Day Seven

Você sabe disso?Tem a consciência limpa por esse pequeno fato?Que com apenas um sutil olhar, você carrega meu mundo inteiro em suas mãos?"Segura a onda", você disse.Quando estou fora do seu íris, sou uma alma desajeitada pisando em pedras.Isso machuca.E eu juro que quase despenco pedaço por pedaço nessas suas palavras.Foram tão delicadas e ainda sim, esmagaram meu corpo inteiro.Pensei que ia chorar, mas sou durona lembra?

Você tem noção do que me pediu?Do tamanho do seu coração quando enxerga minha fraqueza?Você disse isso em voz alta.Respirei fundo e nem elaborei uma resposta.Simplesmente soltou as palavras e não sei como mergulhei nessas ondas durante essas últimas semanas.Nunca parei para pensar, até você dizer essas três palavrinhas.Irmã,melhor amiga,faculdade,emprego, e nós dois entre a distância.Céus, como você teve a audácia de me pedir pra "segurar a onda"?Eu estou enfrentando a tempestade toda e eu nem quero a droga do guarda-chuva.Argh,ok.Nem começou o granizo e já quero procurar um abrigo para ficar.Ainda bem que seu coração é grande.

"A menina do passado não agüentaria essa pressão", você disse outra noite.Afirmo e ás vezes sinto falta da inocência dos tempos em que eu amava ficar em casa."Fugimos hoje,mas você  não pode fazer isso sempre".Você me alerta sobre a outra noite.McDonald's de novo.Você, com suas palavras doces e quase aninhando meus medos.Eu, com minhas loucuras e quase acobertando seus secretos desejos de brotar um sentimento verdadeiro em meus lábios.Ok,não posso fugir.Ok, sou forte agora,mas...nem sei como resolver a situação.Estou tentando não pirar apenas.E sabemos como isso é díficil né,meu bem?Músicas brincalhonas, poesias desconexas e até umas caretas estranhas.Forró,balada,bebibas.Meras distrações que nunca resolvem meu problema.Minha solução é o sorriso que nunca mais voltou.

"Ok,eu vou segurar a onda". Respondo e te vejo partir.Já falei que sinto saudades toda vez que precisa voltar para a cidade maravilhosa?Porque eu sinto.Cada minuto longe do seu abraço.Mas ok, sem problemas.Seu olhar me deixou mais forte.Mais corajosa.Eu vou segurar a onda.Você me conhece melhor do que ninguém.

Eu te espero,


Meu doce de goiaba.

abril 25, 2016

Lançamentos de Abril - Editora Rocco

 Quando um misterioso pacote é entregue a Robin Ellacott, ela fica horrorizada ao descobrir que contém a perna decepada de uma mulher. Seu chefe, o detetive particular Cormoran Strike, fica menos surpreso, mas não menos alarmado. Há quatro pessoas de seu passado que ele acredita que poderiam ser responsáveis por tal crime – e Strike sabe que qualquer uma delas seria capaz de tamanha brutalidade. Mas quando a polícia foca no suspeito que Strike tem cada vez mais certeza de que não é o criminoso, ele e Robin precisam correr contra o tempo para descobrir a verdade.

Terceiro livro da aclamada série escrita por Robert Galbraith, pseudônimo de J. K. Rowling, e protagonizada pelo detetive particular Cormoran Strike e por sua assistente Robin Ellacott,  Vocação para o mal é um suspense diabolicamente inteligente, com reviravoltas inesperadas a cada página, e também a emocionante história de um homem e de uma mulher numa encruzilhada em suas vidas pessoais e profissionais. O livro estreou em segundo lugar na lista dos mais vendidos do The New York Times e alcançou os principais rankings nos Estados Unidos e na Inglaterra. A série protagonizada por Cormoran Strike ganhará adaptação para a BBC One, com produção da Brontë Film and Television.

Com o título e os nomes dos capítulos retirados de músicas da banda Blue Öyster Cult, cujas letras são baseadas na literatura de horror e tratam de temas como maldições e ocultismo, Vocação para o mal tem um clima sombrio, que mistura pedofilia, assassinatos em série e Transtorno de Identidade da Integridade Corporal (TIIC), distúrbio psicológico raro que faz uma pessoa querer amputar seus membros saudáveis. Será que a dupla de investigadores consegue identificar seu perseguidor e sair ilesa? 





Chamada de ‘Oliver Sacks de saia’ e palestrante assídua no circuito TED, Sharot investiga como expectativas e fatores sociais influenciam emoções, motivações, decisões e até memórias. E atesta: o otimismo é crucial para a existência humana. Ela dá como exemplo um jovem estudante do ensino médio, que sonha ser um médico respeitado, quem sabe o descobridor da cura do câncer.  Esse mesmo jovem também se pega imaginando como é difícil estudar medicina, os tempos de lazer tomados, os custos altos e o sacrifício da família para manutenção dos estudos, as condições insalubres e falta de estrutura dos hospitais e, por fim, a quantidade de vidas que vão se esvair em suas mãos. São muitas as questões reais que ele terá que enfrentar no dia a dia, mas, sem a habilidade que todo ser humano tem de agir de forma otimista e projetar um futuro melhor, esse jovem terá enorme chance de jamais tornar-se médico. E o mundo pode perder a chance de jamais conhecer o descobridor do câncer.

O viés do otimismo é definido por Sharot como a tendência do ser humano de superestimar a probabilidade de acontecimentos positivos e subestimar a probabilidade dos negativos. Esse bem protege o ser humano de ter suas ações impedidas e desestimuladas pelas tribulações inevitáveis da vida cotidiana ou de perceber que as opções são, de alguma forma, limitadas. Por isso mesmo, ajuda o ser humano a relaxar, melhorar a saúde e a agir. Mais do que isso, uma boa dose de otimismo pode levar a “profecias autorrealizáveis”, caso de um time de basquete americano cujo técnico assegurou em entrevista que sua equipe ganharia o campeonato da temporada seguinte. A determinação do técnico levou o time a treinar com afinco no intuito de garantir o que seu líder prometera evitando a humilhação.





Cleary Wolters estava prestes a desligar a televisão quando se deparou com seu próprio passado: prisão, drogas, homossexualidade. E não era apenas um programa com o qual ela pudesse se identificar, mas literalmente a história de sua vida. Tratava-se de um anúncio da então nova série Orange is the new black, baseada nas memórias de sua ex-amante Piper Kerman. Com o sobrenome de Piper trocado para Chapman e Cleary transformada em Alex Vouse, o sucesso foi imediato – a cada episódio, no entanto, a trama se distanciava mais e mais dos fatos. Mas Out of orange vai muito além de mostrar a “versão da amante lésbica”: com força e precisão narrativa, a verdadeira mulher por trás dos óculos de aros grossos tece lembranças e ideias sobre transgressões, punições, escolhas, erros e relações humanas.

O relato tem início na França, em 1993, entre cápsulas de heroína, paletós recheados de drogas e envelopes repletos de dólares. Junto a detalhes impressionantes e muitas vezes tragicômicos sobre os bastidores do tráfico internacional, surge uma moça de olhos azuis e cabelo loiro avermelhado. Na volta de Cleary a Northampton, Massachusetts, a bela e doce Piper foi primeiro uma excelente babá de felinos, comprometendo-se a cuidar de suas gatas durante as aventuras ilícitas à Europa, mas logo se transformou em parceira no crime e na cama. Tudo, porém, foi tão intenso quanto rápido. As duas se reencontraram dois anos e meio depois, na cadeia – mas, ao contrário do que mostra Orange is the new black, nunca fizeram sexo atrás das grades. E essa não é a única diferença entre realidade e ficção.





Assunto recorrente entre educadores e psicólogos, e cada vez mais frequente na imprensa e nas redes sociais, o excesso de proteção e interferência dos pais na vida dos filhos está criando uma geração cada vez menos preparada para lidar com os desafios da vida adulta. São jovens que chegam às universidades, mas não têm o controle de sua vida acadêmica; que chegam ao mercado de trabalho, mas não conseguem se ajustar às exigências e dificuldades que a vida profissional exige, para além da competência técnica. Muito provavelmente são filhos de pais-helicóptero, que estão sempre voando baixinho e prontos para pousar e prestar socorro ao menor sinal de problema. Decana de calouros da Universidade de Stanford, Julie Lythcott-Haims reflete, em Como criar um adulto, sobre as angústias que levam os pais a esse tipo de postura e apresenta estratégias que os ajudam a entender a importância de permitir aos filhos cometer seus próprios erros para que se tornem adultos plenos. 





O ano é 2059. Desde o reinado de Edward VII, videntes e atividades paranormais são realidade na Inglaterra, mas nem por isso são bem aceitos. Chamados de desnaturais, eles são marginalizados e perseguidos pela sociedade. A jovem irlandesa Paige Mahonney é uma vidente, uma andarilha onírica, um dos tipos mais raros de videntes.

Fantasia distópica com toques paranormais, Temporada dos ossos é o primeiro de uma saga de sete livros, escrito enquanto Samantha Shannon ainda estava na universidade, aos 21 anos.  Shannon foi publicada na Inglaterra pela Bloomsbury, casa editorial responsável pelo sucesso Harry Potter, o que rendeu à autora comparações imediatas com J. K. Rowling. Para além das coincidências, a autora foi apontada pela crítica como uma nova e vigorosa voz da literatura fantástica contemporânea, “a melhor criação mitológica desde que Harry Potter aportou em sua Nimbus 2000”, afirma o USA Today, por sua combinação de horror e ficção científica, com um inovador e surpreendente código de combate para os personagens. 

Shannon apresenta aos leitores uma nova heroína: Paige Mahoney, uma criminosa que age na área de Seven Dials, em Scion Londres, uma cidade sitiada pelo medo e pela desconfiança. Sob o comando de Jaxon Hall, um dos chefões do submundo londrino, Paige ganha a vida “roubando” informações das mentes das pessoas com o seu dom.

Mas após um incidente no metrô que leva dois oficiais à morte, Paige é atacada e capturada pela Divisão de Vigilância Noturna, DVN, e enviada para Oxford, agora conhecida como Sheol I, uma cidade prisão. Oculto por duzentos anos, o complexo é dominado por uma poderosa raça de outro mundo conhecida como Rephaim. Cada vidente capturado e levado para Sheol I é escolhido pelos Rephaim, e Paige fica junto do Mestre, o consorte de sangue. Um membro da elite rephaite.

Assim começa uma conturbada relação entre os dois. À medida que o tempo passa, Paige descobre um pouco mais sobre os rephaites e seu plano de dominação do planeta. E para conquistar sua liberdade, a jovem precisa aprender a confiar, na prisão onde ela está destinada a morrer. Samantha Shannon apresenta aos leitores um romance surpreendente e arrebatador, e mostra por que é considerada um dos principais nomes da literatura de fantasia atual. 




Com a mãe fora de casa, os irmãos estão sob os cuidados do pai. Para evitar sustos, ela deixou tudo anotado e a comida etiquetada. Entretanto, logo na primeira noite, eles queimam o jantar e vão a um restaurante indiano. Na manhã seguinte, o leite acaba. E como todos sabem, não se pode comer cereal matinal sem leite (nem tomar o chá do papai). Então, o pai sai para comprar mais – não aquele desnatado que tem gosto de água. E o que encontra pelo caminho é muito mais do que um simples acompanhamento para o lanche da manhã. 

Felizmente, o leite é o novo livro do britânico Neil Gaiman, autor de Os lobos dentro das paredes, Coraline, O livro do cemitério, entre outros. Cultuado no mundo inteiro, ganhador de inúmeros prêmios, entre eles o Newberry Medal, Gaiman mostra mais uma vez do que é capaz nesta hilariante aventura em que um simples pai de família sai para ir até a esquina comprar leite para o café da manhã dos filhos e leva mais de mil horas para voltar.

A preocupação crescente dos irmãos com a demora vira incredulidade quando o pai conta a mirabolante aventura por que passou até chegar em casa (com o leite, felizmente). Uma fantástica história com um disco voador e seus tripulantes, gosmentos alienígenas verdes, um deus do vulcão chamado Esplod, piratas, vampiros, uma patrulha galáctica formada por dinossauros e Esteg, o estegossauro cientista e seu balão/máquina do tempo.

Gaiman leva o pai em um louca viagem no tempo e espaço repleta de absurdos, paradoxos e ação frenética. Com o apoio do talentoso ilustrador Skottie Young, responsável pelos desenhos bem-humorados e ricos em detalhes, o escritor apresenta mais uma obra única. Felizmente, o leite é Neil Gaiman no seu melhor estado e um deleite para os fãs de todas as idades.



Querem saber mais novidades?Entrem aqui



abril 23, 2016

(Primeiras Impressões) As GRANDES aventuras de Daniella

 Tenho a Luene há um tempo no facebook, mas nunca tinha lido algo sobre o que escrevia.Nãao por desprezo ou por notar alguma coisa que seja fora dos meus gêneros literários,mas porque os livros da parceria( entre outras coisas) me prendem muito.E quando ela disse que liberaria os primeiros capítulos da história que escreveu e nossa missão era escrever as nossas impressões,topei na hora.O prazo está curto( até dia 25), e quase me enrolei para conseguir ler(hihihihi), mas o que posso dizer?Sei que esse livro está lá no amazon e vou correndo ler, sem dúvidas.


As GRANDES aventuras da Daniella é narrada pela própria protagonista Dani e conta a história de uma menina "gordinha" que tem zilhões de inseguranças.Acho que quando nos sentimos inseguras com apenas uma coisa( e no caso da Dani, com uns quilinhos á mais) parece que nosso mundo inteiro é um campo minado né?Ela está prestes á realizar uma grande mudança: sair do emprego antigo para estabilizar sua vida com seu (quem sabe?) futuro marido chamado Thiago.Ele acabou de abrir um negócio e chamou a namorada para ajudá-lo.Dani vai sentir falta de Paula e Sabrina( suas companheiras do antigo trabalho), mas acredita que a sua enorme mudança vai transformar muitas coisas ao seu redor.Tudo estava bem, até que uma tal de Fernanda( a nova recepcionista) começa a dar em cima do Thi.A Dani( por conta de suas inseguranças também) começa a suspeitar da amizade dos dois e começa a ficar furiosa com a intimidade deles.


Dani sofre bullying durante a vida toda por causa do seu problema com a saúde.E até consigo mesma ela  se zoa.E pode até ser uma espécie de brincadeira para esquecer que isso lhe incomoda, mas a garota tem certeza que o Thi a está largando por conta desse "defeito".Isso nos faz pensar,certo?Sobre como a sociedade gosta de nos julgar e de como isso nos influencia integralmente.

Gostei muito da escrita da Lu( é simples,direta e "limpa"), porque consegue apresentar todas as qualidades da nossa querida personagem e ainda sim fazer com que nossas cabeças mergulhem nessa história fantástica sobre preconceitos e amores( com outro homem e próprio).


Essa foi a minha primeira impressão.Prometo que logo mais tem a resenha completa aqui no blog :)


Espero que tenham gostado,

Xoxo,

Carol.

abril 22, 2016

(Novidades) Editora Vestígio

       


 Já conhecem essa obra?Saibam mais aqui




abril 21, 2016

Lançamentos de Abril (Grupo Autêntica) - Gutenberg,Nemo e Autêntica

O que algumas pessoas têm em comum? O que as difere das outras? Genialidade? Fama? Ou uma habilidade única de enxergar cada problema não como uma crise, mas como oportunidade de crescimento?

Abandonar o barco antes de um grande fiasco, ou continuar as filmagens com os recursos que tinha e produzir o que poderia ser a maior chacota cinematográfica de todos os tempos? Trabalhando contra o tempo, com um orçamento apertado e com um projeto de tubarão branco robótico que se parecia com um grande marshmallow molhado, o então jovem diretor Steven Spielberg se viu diante de um possível fracasso. Mas, ao decidir que não se focaria nos problemas, ele criou Tubarão, uma obra-prima imortal do cinema, vencedora de três Oscar.

Nenhum professor prezava as ideias notáveis e as perspectivas totalmente originais que um aluno problemático era capaz de produzir, pois se admitisse que aquele garoto chamado John Lennon era brilhante e uma grande promessa, teria de reconhecer que ele podia ter mais a lhe ensinar do que o contrário.

Clint Eastwood dirigiu diferentes atores, como Gene Hackman, Sean Penn, Tim Robbins, Morgan Freeman e Hilary Swank. Como ele extraiu de todos eles atuações vencedoras do Oscar?

Com uma narrativa simples e prática, David Niven desvenda a fórmula infalível para se resolver qualquer problema e nos mostra a importância de deixar para trás posturas e comportamentos que nos condicionam a pensar e agir sempre do mesmo modo ineficiente.

Após ler Click, você começará a pensar fora da caixa e vai se juntar a Albert Einstein, Clint Eastwood, Warren Buffett e Steven Spielberg no ilustre time de pessoas que encontraram soluções extraordinárias para problemas cotidianos.




Ler esse livro é se deparar com uma surpresa em cada tópico; é conhecer a capacidade que alguns indivíduos têm de vencer uma discussão pelo brilho da intervenção, mesmo quando lançam mão de argumentos claramente improcedentes; é admirar a rapidez vertiginosa com que a mente humana consegue engendrar verdadeiras preciosidades; é, enfim, assistir ao desempenho dos Usain Bolts do raciocínio.

O autor, Márcio Bueno, jornalista apaixonado pelas palavras – tem dois livros publicados na área da etimologia, pesquisou durante anos sobre a produção dos que têm essa habilidade para, de bate-pronto, serem capazes de organizar o pensamento e as palavras, compondo frases magistrais.

Tomando conhecimento do que muitos figurantes deste livro produzem nesse campo, chega-se à conclusão, segundo o autor, de que “são capazes de dar laço no vento, nó em pingo d‘água e, se cair um raio, antes de escaparem ilesos ainda aproveitam a oportunidade para acender o cigarro”.

Neste trabalho, é possível constatar que essa capacidade de surpreender, de impactar com as palavras, independe do grau de escolarização. Indivíduos que nunca tiveram a oportunidade de avançar na educação formal destacam-se como se fossem verdadeiros doutores. Alguns exemplos: Dadá Maravilha, Romário e Tim Maia.

Os personagens estão agrupados por atividades e as tiradas, por personagens. Em relação a alguns, há uma introdução, uma breve biografia e, em seguida, suas faíscas verbais. Se o leitor quiser saber em quais páginas um determinado indivíduo aparece, sendo o ator principal ou não, basta consultar o Índice Onomástico.

A clareza e a elegância são traços marcantes do texto do autor, jornalista e escritor experiente. De forma agradável, mas respeitando o protagonismo de quem tem que brilhar, que são os personagens, Márcio Bueno situa os episódios, mostra em que circunstâncias foram geradas as frases surpreendentes, impactantes. Quem mais se beneficia desse método, sem dúvida alguma, é o leitor.




O circuito dos afetos gostaria de fornecer a filosofia necessária para uma teoria política da transformação. Transformações políticas efetivas não são apenas modificações nos modelos de circulação de bens e de distribuição de riquezas. São modificações na estrutura dos sujeitos, em seus modos de determinação, nos regimes de suas economias psíquicas e nas dinâmicas de seus vínculos sociais. Pois uma transformação política não muda apenas o circuito dos bens. Modifica também o circuito de afetos que produzem corpos políticos, individuais e coletivos. Por isso, se quisermos ver a força de transformação de acontecimentos que começam novamente a se fazer sentir, é necessário que nos deixemos afetar pelo que pode instaurar novas corporeidades e formas de ser.









No Brasil, Simón Rodríguez é um ilustre desconhecido. Suas obras não foram traduzidas para o português e têm sido muito pouco lidas nestas terras. Em certo sentido, não parece um dado menos importante que, nas paragens de Paulo Freire, Simón Rodríguez – que deu um sustento filosófico notável à educação popular no século XIX e talvez seja o primeiro idealizador e realizador de uma escola popular de verdade, absoluta, sem condições – quase não tenha sido lido no Brasil. Acreditamos que é necessário impulsionar essa leitura e confiamos que a tradução da antologia que apresentamos aqui seja um dos primeiros passos de um caminho muito mais extenso.

Maximiliano Duran
Walter Kohan

Mestre, andarilho, ímpar em sua maneira de viver e entender o mundo, Simón Rodríguez foi sobretudo um pensador original. Sua abundante produção está atravessada pela defesa da causa social: em vez de proclamar a liberdade e a igualdade de forma abstrata, ele as coloca como base para a transformação da economia e da organização social, criando, por meio da educação, os cidadãos das novas repúblicas.




Michel Foucault é um dos pensadores franceses contemporâneos mais potentes, não apenas pela sua produção teórica, mas, sobretudo, pelo seu modo de conceber e afirmar uma posição para o intelectual. Nesse sentido, Foucault faz do pensamento uma prática ativa de problematizar as questões do seu tempo. Poucos escritos sobre Foucault merecem tanto o nome de “caixa de ferramentas” como este livro de Edgardo Castro. Produto de um rigoroso e exaustivo estudo, não hesitamos em afirmar que se trata de um instrumento de trabalho precioso, fundamental, utilíssimo para os interessados em pensar com o filósofo e a partir dele. Com efeito, o leitor tem em mão um sofisticado mapa de suas principais temáticas e questões. Cada verbete não apenas “faz referência a onde, nos escritos de Foucault, aparece cada termo, mas quer, ademais, oferecer uma indicação (às vezes sucinta, às vezes extensa) de seus usos e contextos”. Algo assim como o mais completo “motor de busca” para visitar os caminhos de seu pensamento.

Ingrid Müller Xavier
Walter Omar Kohan
Alfredo Veiga-Neto





Passados mais de quinze anos de sua primeira edição, os delicados textos de Stallybrass continuam inspirando e comovendo muita gente. A presente edição, de cara nova e com traduções refeitas, vem para o deleite da releitura dos que os leram em sua outra encarnação e para o encanto de uma primeira leitura dos que ainda não tinham tido a oportunidade de encontrá-lo.

Em O casaco de Marx, Peter Stallybrass, em três ensaios que misturam teoria social e lirismo, política cultural e histórias pessoais, literatura e teoria econômica, traça um amplo panorama da poética e da política da roupa. Ele nos faz pensar sobre nossa relação com as roupas e com as coisas em geral. Descreve as roupas como objetos que se moldam à nossa forma humana, à nossa memória, e que carregam a nossa marca. Essa marca se torna mais evidente quando temos de lidar com as roupas deixadas por nossos mortos. Além de lançar mão de episódios de sua própria vida, Stallybrass percorre a vida de Karl Marx para saber o que acontecia com seu casaco quando escrevia O capital.







Lima Barreto, como se sabe, era um pote até aqui de mágoa. Motivos, os tinha de sobra. Mais do que meros revezes biográficos, ressentimento e frustração tiveram papel estruturante na obra do negro despossuído que, ciente de seu formidável arsenal intelectual e estilístico, tentou em vão interromper o pesadelo bacharelesco do qual até hoje não conseguimos despertar completamente.

Neste livro pioneiro, Beatriz Resende restitui ao autor de Policarpo Quaresma o que lhe é próprio, ou seja, a enraizada força de insurreição contra os cânones, o literário e tantos outros que ainda produzem exclusões de toda ordem. Prosseguia assim o trabalho de Francisco Assis Barbosa, que como biógrafo e editor das obras completas de Lima, talhou para ele o figurino do “grande autor”.

Este ensaio parte daí, do reconhecimento póstumo, para apontar seus limites. E lembrar que o princípio ativo de Lima Barreto está também, ou sobretudo, no acabamento provisório da crônica ou no jorro dos diários íntimos. Numa periferia de gêneros e classificações que pode ter contribuído para seu esquecimento mas que, paradoxalmente, cimentou sua impressionante resistência, uma vez passado o rolo compressor do modernismo.

Lima Barreto implodiu convenções e, com elas, as representações do Rio de Janeiro. Beatriz Resende soube reunir estes fragmentos e, mais do que isso, nos mostrar, na primeira hora, sua rigorosa arquitetura. Aquela que hoje temos o privilégio de contemplar como o desenho nítido e delicado de uma constelação.





Pela violência de seus atentados em solo francês e por sua expansão territorial no Iraque e na Síria, o Estado Islâmico não apenas aterroriza como também intriga. Quais são os objetivos dessa organização que afirma querer restabelecer o califado do século VIII a que toma emprestadas a bandeira preta, a perseguição sanguinolenta aos infiéis e a prática da decapitação? Quem são os pais e os padrinhos desse monstro apocalíptico que cultua a morte mais do que o islã, cujo espírito deturpa? Como o EI – ou Daesh – reabre as feridas deixadas pelas guerras norte-americanas no Oriente Médio? Como se aproveita da fratura ideológica entre xiitas e sunitas? Que estratégias adotar para combatê-lo? Através das análises de especialistas em Oriente Médio e islã, de textos de historiadores, escritores, e filósofos reunidos pelo semanário Le 1 e de um dossiê contendo informações essenciais para compreender a natureza do Daesh e sua história, este livro oferece uma visão rica e esclarecida desse estranho e amedrontador grupo que irrompeu na cena mundial, suplantando a Al-Qaeda como nova potência do terrorismo internacional.






Até agora inéditos no Brasil, O belo perigo e A grande estrangeira não são textos filosóficos convencionais, têm a singularidade de proporcionar ao leitor a chance de apreciar um dos maiores filósofos contemporâneos falando de si na primeira pessoa. Aqui, manifesta-se um Michel Foucault até então invisível para os leitores.

O belo perigo é um pequeno grande livro que aborda a relação afetiva de Foucault com a arte da escrita – suas potencialidades, limitações e perigos. Em uma entrevista brilhantemente conduzida pelo crítico literário da revista Arts, Claude Bonnefoy, em 1968, destaca-se o Foucault escritor, pensador engajado e crítico permanente de seu próprio pensamento.

A grande estrangeira traz registros de intervenções orais de Foucault realizadas entre 1963 e 1970. Os primeiros textos são transcrições de dois programas de rádio transmitidos em janeiro de 1963, em que o filósofo prolonga suas reflexões de A história da loucura. Há aqui também duas conferências: uma de 1964, sobre linguagem e literatura, e a segunda, de 1970, dedicada ao Marquês de Sade. O livro nos permite descobrir o Foucault leitor – voraz, exigente e brilhante –, além de sua complexa, crítica e estratégica relação com a literatura.





Nesta inebriante graphic novel autobiográfica, Julia Wertz (criadora da cultuada HQ The Fart Party) documenta o ano em que decidiu ir embora de São Francisco, sua cidade natal, para ganhar as ruas desconhecidas de Nova York. Mas não se engane: esta não é aquela história manjada de redenção da jovem que supera todas as adversidades ou bobagens desse tipo. É um livro pra lá de engraçado – às vezes incisivo, é verdade –, repleto de ilustrações divertidas, de um humor ácido e de muita autodepreciação. De quadrinho em quadrinho, Wertz passa por quatro apartamentos toscos, sete empregos sofríveis, problemas familiares, viagens fracassadas e uma infinidade de garrafas de uísque.









Querem saber mais?Entrem aqui




abril 20, 2016

(Resenha) O que eu sei de verdade, by Oprah Winfrey

Informações técnicas
Título: O QUE EU SEI DE VERDADE
Título original: What I Know for Sure.
Idioma: Português
Páginas: 192
Ano de edição: 2014
Ano copyright: 2014
Edição: 1ª
Editora:Sextante

“O que eu sei de verdade é: sua jornada começa com a decisão de se levantar, sair e viver plenamente.” – Oprah Winfrey

Entre os talentos de Oprah Winfrey está sua capacidade de compreender a natureza humana como poucos e, ao mesmo tempo, colocar essa sabedoria em palavras. Desde que foi questionada sobre as coisas de que tinha certeza na vida, ela passou a escrever uma coluna mensal em sua revista com reflexões sobre relacionamentos amorosos, família, autoestima, medos, fracassos e superação.

Neste livro, você irá encontrar uma seleção, feita pela própria autora, das melhores crônicas lançadas ao longo dos 14 anos de existência da coluna. Em textos curtos, Oprah oferece mensagens profundas que vão ajudá-lo a fazer as pazes com seu corpo, a construir relacionamentos mais harmoniosos e a mudar sua maneira de encarar os problemas. Ao fim da leitura, você se sentirá inspirado a se tornar uma pessoa melhor e extrair o máximo do que a vida tem a oferecer.


Quando escolhi pedi esse livro na Arqueiro mês passado, sabia que algo esplendor e reflexivo estava por vir.Sempre adorei o programa que a Oprah tinha na TV fechada e do modo como incentivava as pessoas com seus sonhos e objetivos.Ao mesmo tempo que revela suas experiências( as maiores e mais estrondosas), também nos ajuda a refletir sobre muitos aspectos da vida.


"Tomara que no futuro você olhe para trás e se lembre de hoje como o dia em que decidiu fazer cada um de seus momentos valer a pena,aproveitar cada hora como se fosse a última." Página 14.


Ela escreve sobre os acontecimentos mais importantes de sua vida, e isso quer dizer, aqueles dias em que tudo mudou ou precisou mudar ou simplesmente acabou.A tranformação é o maior presente que podemos receber da vida,certo?Com isso, nos mudamos e conseguimos enxergar as coisas de outros ângulos e perspectivas.E no final de cada texto, há uma lição que podemos aprender com a ex-apresentadora.Não é um livro de auto-ajuda e sim, uma conversa entre o leitor e o autor.

Fala sobre amor canino( sério, e essa parte é fabulosa) e superações,fracassos,vitórias e pensamentos aleatórios.





                                                    PS:Se liga nessa diagramação.




Oprah é um espírito iluminado.Completamente imersa no bem.E isso é tão bonito de perceber no modo como escrever.E sim, eu recomendo muito a leitura desses textos que impulsionam nosso cotidiano.Eu me senti renovada após acabar o livro.

Espero que tenham gostado.

Xoxo,


Carol

abril 19, 2016

(Rapidinhas Literárias) Blog Sextante

E aí, beleza people?Espero que sim.Eu vim contar uma novidade legal.A editora Sextante tem um blog a partir de agora e já começou bombando com vários sorteios.Bora conferir aqui?


Xoxo,

Carol

abril 18, 2016

(Novidades) Companhia das Letras

Gideon Cross. A coisa mais fácil que já fiz foi me apaixonar por ele. Aconteceu instantaneamente, de forma completa e irrevogável. Casar com ele foi um sonho realizado. Continuar casada com ele é a maior batalha da minha vida. O amor transforma, e o nosso é um refúgio e também a pior tempestade. Duas almas danificadas que se entrelaçaram. Nossos votos foram apenas o começo. Lutar por esse casamento pode nos libertar... Ou nos separar de vez.
Sedutor e comovente, Todo Seu é a quinta e última parte da saga Crossfire, uma história de amor que cativou milhões de leitores ao redor do mundo.






“Eu estava com medo”, contei. Ele se aproximou um pouco mais, com um olhar intenso no rosto. “E agora não está mais.” “Não.” “Hoje à noite você me conta por quê.” “Tá”, eu disse, concordando com a cabeça. Gideon segurou minha nuca, em um gesto ao mesmo tempo possessivo e carinhoso. Seu rosto se mantinha impassível, mas seus olhos… aqueles olhos azuis… eram um turbilhão de emoções. “Nós vamos conseguir, meu anjo.” O amor tomou conta de mim, inebriante como um bom vinho. “Pode apostar.”


Esse livro é o último da saga Crossfire.

abril 15, 2016

(Projeto Blogueiras Em Ação) Projeto Cartas

        Primeiro tema: autor(a)



Olá John,tudo bem?
Espero que esteja aí,escrevendo outra história para esmagar minha alma.Tem tanta gente falando mal dos enredos que cria, mas eu só posso te agradecer.
Não sei bem a data que li A culpa é das estrelas, mas lembro que assisti ao filme primeiro(com minha irmã do meio) e em algumas cenas chorei como uma desesperada.Impossível lidar com tantas emoções ao mesmo tempo.Como assim?Ok John, vou te contar uma coisa bem clichê e completamente destrutivo.Meu pai bebeu durante toda a sua vida, e isso ocasionou uma cirrose e logo um câncer de fígado.Nossa relação sempre foi um muro entre dois corações com medo de amar.Essa doença terrível, praticamente o mal do século, atacou o cara que me ensinou a escutar country, que me levava para trabalhar com ele alguns dias.Foi com ele que eu vivi minha infância e adolescência.E quando crescemos, os valores tornaram-se responsabilidade e tudo pareceu meio confuso e impaciente.Eu não tinha mais paciência para o amor.E eu quase o perdi.Juro que foi por bem pouco.E lembro que na época isso acabou com cada pedaço da minha alma.Rezei como nunca havia rezado durante toda a vida.Chorei.Desacreditei.E ele ficou bom.Ele se recuperou.

Tivemos algumas brigas durante os últimos meses, mas Deus me disse para lhe dar uma chance.E quando chego do trabalho, conversamos sobre o dólar, sobre a vida em geral e em como estou brava por não conseguir minhas tão merecidas férias daquele inferno chamado emprego.E o que isso tem a ver com você?Depois de ler esse livro, despertei.Passei tanto me preocupando com os desentendimentos, que nem me deparei com a possibilidade de perdê-lo.Estou criando novas memórias.Sorrindo mais.Sentando ao seu lado e perguntando “como está”? Ainda é complicado.Ás vezes, algo fora do contexto me machuca.Mas se amar é sentir essa paz...Obrigada por me lembrar disso.Que NADA é maior do que um amor verdadeiro.Eu te amo daqui até a lua,John.Você mudou minha vida.
Com amor,

Karina.



PS:Foram longas semanas discutindo sobre as ideias, os temas das cartas e o formato e tudo o mais, com essas garotas.O quê dizer?Elas me livraram de noites chatas e mal sabem.Me trouxeram felicidade( e ainda trazem né,rs) quando me davam um "oi" por mensagem.Sério,gostaria de agradecer MUITO, de novo, as envolvidas nessa loucura que criei.Obrigada por confiarem em mim.

E ei, aos que tem vontade de embarcar nisso com a gente, comentem aqui.É uma sintonia tão boa com essas malucas <3
Ainda não entendeu como funciona?Para saber os blogs participantes e como funciona cliquem aqui


Beeijos e até a próxima carta! :)

Carol.

abril 13, 2016

(Day Together) Day Five

A música de domingo. Canto baixinho com a voz desafinada, de sono.Espreguiço meus problemas e acordo os sonhos.Delícia esse queixo encostado na minha pele.Concordamos com o resultado da noite passada.Que encanto as estrelas iluminando nossos sorrisos escondidos.O sol perdeu força diante do nosso amor, e tudo bem.Ficou contente com as mãos dadas e os beijos dados no meio da rua.Sábado.Rio de Janeiro.Tranquilidade;sossego.Essa sintonia imensa rodeando os passos que demos em meio ao nada.Cabelo bagunçado.Maiô colorido.Óculos escuro.Corpo suado.Alegria estampada.Noite meio clara.Dormi no instante em que seu carinho acalmou minhas preocupações.Sol quente.Cabeça doendo.Coração fervendo.A lua caiu e a luz veio do seu beijo intenso.Você acendeu minha esperança.Nas risadas meio escandalosas, nas músicas que cantamos em pensamentos clichês.

Somos as melhores conversas de madrugada.As risadas mais sinceras.Os olhares cruzados.Os obstáculos enfrentados.Somos a lua.O sol.A eclipse.O apocalipse.Somos as músicas que nunca conhecemos.Somos as letras mais simples.Somos as poesias mais complexas.Somos os cabelos embaraçados.Somos uma briga mal elaborada.Somos uma paisagem linda.Somos o melhor abraço.O melhor minuto da hora mais longa.O pingo de chuva que a tempestade carrega.O arco-íris.A saudade bruta.A saudade infinita.O calor.A dor.O choro.A tristeza.Somos a junção de um arsenal de corações entrelaçados com a eternidade.Somos tão...nós.

Dia de aniversário de namoro.Uma semana antes planejo algo meio maluco.Mando uma mensagem três dias antes."Não acho justo passar o dia 9 longe de você.Por isso, eu sou o presente junto com uma passagem de ônibus para te ver." Não sabia o que esperar de você.Da reação.Você ficou feliz e prometeu comigo não pensar em nada nos dois dias.Nada desmanchou nossa ansiedade.Eu faria tudo de novo.Cada segundo de destruição total.Cada minuto que não passava logo.Semana quebrada por algumas palavras que me machucaram - tenho segurado um mar inteiro.E só queria ver seu rosto.Sentir seu amor.Fugi.Como nunca antes.E o mais incrível é que...eu corri para dentro de mim mesma.Obrigada por me amar cada milésimo do sabado.Obrigada por estar do outro lado do estado.Por eu poder ir de encontro ao seu carinho.

E na ponte de madeira no meio de uma lagoa, canto um rap.Decorei a semana inteira para te surpreender.Para te envolver.E você sorri.E eu fecho os olhos.Imploro por essa sensação não passar nunca mais.E você beija meu rosto.Acho que estamos amando.De novo.Como é possível o mesmo sentimento nos cativar duas vezes?Eu não sei dizer o que aconteceu nesse dia, mas posso afirmar que somos um outro  casal.Mais apaixonados.Mais cegos pelas maldades da vida.Mais certos de que a poesia é um lugar e nosso beijo virou o verso mais longo.

Eu te amo,meu dengo.E isso nunca vai ser apenas uma expressão.

Escutar: Dengo, by Anavitória.

Xoxo,

Carol.

abril 12, 2016

Lançamentos de Abril - Arqueiro e Sextante

“Assim que me livrei do açúcar, encontrei bem-estar e o tipo de energia que eu tinha quando era criança. Não acredito que dietas e restrição de alimentos sejam eficazes para emagrecer – você deve mudar o seu estilo de vida. Com a ajuda do programa de oito semanas e as receitas que ofereço neste livro, você irá alcançar mudanças fundamentais na alimentação.” – Sarah Wilson 

Publicado pela primeira vez na Austrália, Chega de açúcar foi um fenômeno de vendas e alcançou grande sucesso também nos Estados Unidos e na Inglaterra. 

Sarah Wilson sempre achou que sua alimentação era relativamente saudável – até saber a quantidade de açúcar escondido na comida e quanto isso afetava a sua vida. Quando ela se deu conta de que o consumo de açúcar poderia estar associado a oscilações de humor, ganho de peso, problemas de sono e doenças relacionadas à tireoide, decidiu acabar com isso de vez. 

O que começou como uma experiência logo se tornou uma missão: alertar

sobre os perigos da substância e oferecer alternativas saudáveis e saborosas. Neste livro, a autora conta o que fez para conseguir se livrar da dependência, compartilhando ferramentas, truques e dicas inspiradoras. 





A série Diário de um zumbi do Minecraft já vendeu mais de 300 mil livros no Brasil. 

Conheça o pior pesadelo para um jovem zumbi: o Acampamento dos Horrores! 

Nosso amigo zumbi tentou, tentou e tentou... 

Apesar de todos os planos mirabolantes e da ajuda de seus amigos Steve, Esquely, Slimey e Creepy, ele não conseguiu escapar do terrível destino de passar parte de suas férias no acampamento. 

Mas esse não é um acampamento comum! Os monitores são criaturas devoradoras de cérebro e a enfermeira é uma bruxa que gosta de comer carne podre! Será que zumbi, Creepy e Steve sobreviverão aos terrores de lá? E como vão se preparar para as moblimpíadas, que acontecerão em poucas semanas? 

Novos amigos e novos rivais no sexto livro da série! 

Mas cuidado... O temível monstro de comida do refeitório pode estar atrás de você! 

NESTE VOLUME: O MAIOR SEGREDO DO CREEPY É REVELADO!






“O livro que você tem nas mãos contém alguns dos mais formidáveis ensinamentos. Senti-me profundamente tocado e influenciado pelas mensagens que Abraham oferece.” – Dr. Wayne Dyer, autor de A força da intenção 

“Peça e será atendido vai mostrar como qualquer coisa que pedimos nos é concedida. Também é o primeiro livro a dar uma fórmula prática e simples que ensina como pedir e como receber o que desejamos ser, fazer ou ter.” – Jerry Hicks 

Quando desejamos alguma coisa, é comum ficarmos mais concentrados na ideia de que não a temos do que na vontade de tê-la. Embora esta seja uma atitude inconsciente, ela é a principal responsável pela dificuldade que temos em alcançar nossos objetivos. 

Como os pensamentos deveriam ser a expressão de nossos desejos, toda essa negatividade acaba atraindo o oposto do que queremos. 

Essa é a ideia principal de Peça e será atendido, que nos estimula a identificar nossos verdadeiros sonhos e a criar as condições para realizá-los. A fonte dessas revelações é Abraham, o guia espiritual que inspirou Esther e Jerry Hicks a compartilhar essas valiosas lições. 

Com sensibilidade e clareza, os autores mostram o que devemos fazer para atrair aquilo que queremos – melhorar a saúde, equilibrar as finanças, redefinir prioridades, aumentar a autoestima ou aprimorar os relacionamentos. 

Os ensinamentos de Abraham apresentam uma visão do mundo capaz de transformar nossa vida, substituindo a negatividade por otimismo, coragem e alegria, ingredientes fundamentais para o sucesso e a realização.






“Ele conta história do jeito que deveria ser nas escolas: sem aquele monte de datas para decorar.” – Drauzio Varella, médico e escritor 

“Tornei-me um pouco menos ignorante em relação à história do Brasil graças aos livros de Bueno. Viajei bastante com ele.” – Walter Salles Jr., cineasta 

“Uma das artes mais difíceis é a de escrever bem, de modo claro e sintético, mantendo-se fiel aos acontecimentos. Pois é isso que Eduardo Bueno consegue em uma síntese de séculos de nossa história. Não há melhor introdução para um público não especializado que queira ter uma noção da história do Brasil.” – Fernando Henrique Cardoso, sociólogo, ex-presidente do Brasil 

Embarque nas naus e caravelas da vasta frota comandada por Pedro Álvares Cabral. Circule por entre marujos lusitanos, pilotos árabes, astrólogos judeus e nobres ibéricos. Viaje com eles por mares tempestuosos, em meio a perigos desconhecidos ou calmarias enervantes.

Saiba quais forças políticas moviam a esquadra que chegou ao Brasil, mergulhando no mundo da Escola de Sagres e do misterioso infante D. Henrique, um herdeiro dos Cavaleiros Templários. 

A viagem do descobrimento, primeiro volume da coleção Brasilis, revisita os momentos inaugurais da história do nosso país descrevendo-os como a grande aventura que de fato foram. A partir de cartas, documentos e crônicas da época, assim como estudos de historiadores consagrados, o jornalista e escritor Eduardo Bueno narra com riqueza de detalhes a trajetória de homens que venceram seus limites em busca de um novo mundo. 

Lançada originalmente no final dos anos 1990, a coleção Brasilis alcançou a marca de 1 milhão de exemplares vendidos e inaugurou um estilo leve, crítico e divertido de contar a história de nosso país.







Filha de imigrantes mexicanos, Maria Sanchez é uma advogada inteligente, bonita e bem-sucedida que aprendeu cedo o valor do trabalho duro e de uma rotina regrada. Porém um trauma a faz questionar tudo em que acreditava e voltar para sua cidade natal, a pequena Wilmington. 

A cidade também é o lugar que Colin Hancock escolheu para se dar uma segunda chance. Apesar de jovem, ele sofreu mais violência e abandono do que a maioria das pessoas. Também cometeu sua parcela de erro e magoou mais gente do que gostaria. Agora está determinado a mudar de vida, tornar-se professor e dar às crianças o carinho e a atenção que ele próprio não teve. 

Colin e Maria não foram feitos um para o outro, mas um encontro casual durante uma tempestade mudará o rumo de suas histórias. Ao confrontar as diferenças entre os dois, eles questionarão as próprias convicções. E ao enxergar além das aparências, redescobrirão a capacidade de amar. 

Porém, nessa frágil busca por um recomeço, o relacionamento deles é ameaçado por uma série de incidentes suspeitos que reaviva antigos sofrimentos. E quando um perigo real começa a se impor, Colin e Maria precisam lutar para que o amor sobreviva.

Com uma trama madura e repleta de emoções e de suspense, No seu olhar mostra que o amor às vezes é forjado em crises que ameaçam nos destruir e que o primeiro passo para a felicidade é acreditar em quem podemos ser.





Emma tem 27 anos, é linda e inteligente e vive cercada de pessoas que ama. Prestes a se casar com Richard, seu namorado desde a época de escola, ela não poderia estar mais empolgada. 

Mas o que deveria ser o momento mais feliz de sua vida de repente vira uma tragédia. Emma sofre um acidente e é salva por um estranho minutos antes que o carro em que ela viajava explodisse. 

Abalada, ela decide adiar o casamento. E nesse meio-tempo descobre segredos que a fazem questionar as pessoas nas quais sempre confiara – a ponto de duvidar se deve se casar afinal. 

Para complicar, ela se sente cada vez mais ligada a Jack, o homem que a salvou e que não sai da sua cabeça. Jack é lindo, gentil e divertido, de um jeito diferente de todos que ela já conheceu. Por outro lado, é Richard quem ela sempre amou... 

Uma mulher, dois homens, tantos destinos possíveis. Como essa história vai terminar?





Jovem, estonteante e nascida em berço de ouro. É apenas isso que Gervase Ashford, o conde de Rosthorn, enxerga em Morgan Bedwyn quando a conhece, num dos bailes da alta sociedade inglesa em Bruxelas. 

Em circunstâncias normais, ele não olharia para ela duas vezes – prefere mulheres mais velhas e experientes. Porém, ao saber que Morgan é irmã de Wulfric Bedwyn, a quem Gervase culpa pelos nove anos que passou longe da Inglaterra, decide que ela é o instrumento perfeito para satisfazer seu desejo de vingança. 

Mas Morgan, apesar de jovem e inocente, também é independente e voluntariosa e, assim que entende as intenções do conde, se prepara para virar o jogo e deixar claro que não se deixará manipular por ninguém. 

Em Ligeiramente seduzidos, quarto livro da série Os Bedwyns, Mary Balogh nos brinda com mais uma história fascinante. Em uma trama repleta de traição e vingança, escândalo e sedução, ela mostra que o caminho para o amor pode ser difícil, mas que a recompensa faz cada passo valer a pena.




Max O’Hare já passou por muitos momentos difíceis na vida. Depois de perder um grande amor e ter que se internar numa clínica para se livrar das drogas, ele decide que é hora de trocar Nova York por uma cidade do interior, na tentativa de se reerguer ao lado da família.

É lá que ele conhece a deslumbrante Grace Brooks. Amante da arte e da fotografia, ela parece a mulher perfeita. Mas o que Max não sabe é que ela guarda a sete chaves a verdade sobre o próprio passado. 

Atraídos um pelo outro, mas com medo das consequências que um relacionamento sério pode trazer a suas vidas já complicadas, eles fazem um pacto para que a relação seja apenas sexual, sem sentimentos envolvidos. Até que as coisas começam a mudar entre os dois...

Presos a grandes medos e a segredos profundos, Max e Grace precisam aprender a confiar de novo e se entregar um ao outro não apenas de corpo, mas também de alma.





Na Inglaterra do século XII, Philip, um fervoroso prior, acredita que a missão de vida que Deus lhe designou é erguer uma catedral à altura da grandeza divina. Um dia, o destino o leva a conhecer Tom, um humilde e visionário construtor que partilha o mesmo sonho. Juntos, os dois se propõem a construir um templo gótico digno de entrar para a história. 

No entanto, o país está assolado por sangrentas batalhas pelo trono, deixado vago por Henrique I, e a construção de uma catedral não é prioridade para nenhum dos lados, a não ser quando pode ser usada como peça em um intricado jogo de poder. 

Os pilares da terra conta a saga das pessoas que gravitam em torno da construção da igreja, com seus dramas, fraquezas e desafios.

(Livro disponível apenas na versão ebook)





Na fronteira do Reino das Ilhas existe uma vila tranquila chamada Crydee. É lá que vive Pug, um órfão franzino que sonha ser um guerreiro Destemido a serviço do rei. Mas a vida dá voltas e Pug acaba se tornando aprendiz do misterioso mago Kulgan. Nesse dia, o destino de dois mundos se altera para sempre. 

Com sua coragem, Pug conquista um lugar na corte e no coração de uma princesa, mas subitamente a paz do reino é desfeita por misteriosos inimigos que devastam cidade após cidade. Ele, então, é arrastado para o conflito e, sem saber, inicia uma odisseia pelo desconhecido: terá de dominar os poderes inimagináveis de uma nova e estranha forma de magia… ou morrer. 

Dividida em quatro livros, A Saga do Mago é uma aventura sem igual, uma viagem por reinos distantes e ilhas misteriosas, onde conhecemos culturas exóticas, aprendemos a amar e descobrimos o verdadeiro valor da amizade. E, no fim, tudo será decidido na derradeira batalha entre as forças da Ordem e do Caos.







Passaram-se três anos desde o terrível cerco a Crydee. Os três rapazes que eram melhores amigos se encontram agora a quilômetros de distância uns dos outros. Pug, um escravo dos tsurani, está prestes a se tornar um dos maiores magos que já existiram. Tomas, um grande guerreiro entre os elfos, arrisca-se a perder sua humanidade para a armadura encantada que veste. Arutha, Príncipe de Crydee, luta desesperadamente contra invasores e traidores para salvar seu reino.

Mestre, segundo livro da série A Saga do Mago, é recheado de aventura, emoção e ameaças tão antigas quanto o próprio tempo. Nele, Raymond E. Feist volta a provar que é um dos maiores nomes da literatura fantástica contemporânea.







Durante quase um ano, a paz reinou nas terras encantadas de Midkemia. Porém, novos desafios aguardam Arutha, o Príncipe de Krondor, quando Jimmy, a Mão – o mais jovem larápio dos Zombadores, a Guilda dos Ladrões –, surpreende um sinistro Falcão Noturno prestes a assassiná-lo. 

Que poder maléfico fez com que os mortos se levantassem para combater em nome da Guilda da Morte? E que magia poderosa poderá derrotá-los? 

Mas antes de lutar contra eles o Príncipe Arutha, na companhia de um mercenário, um bardo e um jovem ladrão, terá que fazer a viagem mais perigosa da sua vida, em busca de um antídoto para o veneno que pode matar a bela Princesa no dia do próprio casamento.







Ventos malignos sopram sobre Midkemia. As legiões negras se ergueram para esmagar o Reino das Ilhas e escravizá-lo com o terrível poder de sua magia. A batalha final entre a Ordem e o Caos está prestes a começar nas ruínas de uma cidade chamada Sethanon. 

Agora Pug, o mestre conhecido por Milamber, terá à sua frente a incrível e perigosa missão de viajar até a aurora do tempo e lidar com um antigo e temível inimigo. O destino de mil mundos dependerá apenas dele. 

Enquanto isso, o Príncipe Arutha e seus companheiros reúnem as suas hostes para derrotar de uma vez por todas um misterioso demônio ancestral e o temido necromante Macros libertou mais uma vez sua magia negra. 

Neste formidável último volume de A Saga do Mago, o futuro de dois mundos será decidido numa luta colossal sob as muralhas de Sethanon, quando os laços entre Kelewan e Midkemia serão restaurados.




Janeiro de 2017. Após cinco dias desaparecido, o navio O Belo Sonhador é encontrado à deriva no golfo do México. Poderia ser só mais um caso de falha de comunicação e pane mecânica... se não fosse por um detalhe: não há uma pessoa viva sequer no cruzeiro.

As autoridades acham indícios de uma epidemia de norovírus, mas apenas descobrem os corpos de duas passageiras. Para piorar, todos os registros e gravações de bordo sofreram danos irreparáveis. 

Como milhares de pessoas podem ter sumido sem deixar rastro? Teorias da conspiração se alastram, mas só há uma certeza: 2.962 passageiros e tripulantes simplesmente desapareceram no mar do Caribe.









O sonho de Nels era ser cavaleiro do reino de Avërand. Filho obediente, ajudava como podia os moradores de sua pequena e tranquila aldeia. Querido por todos e tratado como herói, acreditava que logo seria selecionado como escudeiro da cavalaria. 

Mas isso foi antes de ser assassinado por uma figura misteriosa. 

Nels virou um fantasma, e agora só uma pessoa consegue vê-lo: a princesa Tyra, herdeira do reino e sua única esperança de entender o motivo do crime. A princípio, a jovem mimada não dá a menor confiança para o rapaz, mas, à medida que o mistério da morte dele vai se desenrolando, os dois percebem que têm em comum um segredo e um inimigo terrível, que pode se disfarçar de qualquer pessoa.

Nels e Tyra não têm escolha. Precisam fugir do castelo, desbravar um mundo oculto repleto de magia e espectros sombrios e encontrar uma agulha, a relíquia capaz de remendar o que foi descosturado na Grande Tapeçaria. E o tempo corre contra eles, pois o fio de Nels está prestes a desaparecer para sempre.