julho 30, 2015

(Comportamento) Sobre a tal da confiança

Vivemos num mundo onde as pessoas conseguem criar rostos falsos de si mesmos.Estamos num grande campo de batalha, cujo objeto de proteção é nosso coração: sempre arriscado á tomar um belo tiro.E quando você não tem certeza se ainda possui um órgão, falta a respiração.A vida parece não fazer sentido algum e todas as palavras são vazias, pois não há pessoas completas para preenchê-las.

Eu confiei em alguém até o último fio de cabelo.Ela passou por uma história bem confusa e complicada, mas eu estava aqui sempre para dar alguns conselhos e com palavras suaves para acolher seu coração.Não esperei reconhecimento da minha doação de alma, mas confesso que nunca cheguei a cogitar a possibilidade de receber uma facada.Quando eu estava mal, corria para desabafar também, do mesmo jeito que acontecia ao contrário.Se dar conta de que ninguém é confiável parece tão fácil quando lemos histórias sobre outras pessoas em textos, mas nunca estamos preparados para acontecer o mesmo conosco.Eu não estava preparada.Fiquei desamparada.Duvidei de qualquer diálogo que tivemos depois desse dia; e ainda duvido.Quem ama está ao seu lado, quem ama corre atrás, quem ama...não te trai apenas com uma única atitude.Mas essa tal da confiança é..um saco.Você não consegue confiar em outra pessoa, seu coração parece criar uma espécie de bolha em que ninguém é forte o suficiente para estourar.Talvez seja egoísmo e errado pensar assim, mas dói.Dói mais do qualquer outro sentimento.A dor é interpretada de várias formas, maneiras, jeitos...mas quando sentimos isso,nos perguntamos qual é o sentido de viver.A confusão distorce tudo.O cara que está ao seu lado é indagado pelos seus pensamentos qual a intensidade do amor.A família, aquela que sempre esteve ao seu lado, é perguntada quantas vezes o amor pode ser triplicado.


1)      Confie em si mesma
É difícil confiar em si mesma.Normalmente, depositamos nossos sonhos e tudo que somos em outro alguém, talvez por isso seja tão impossível estabelecer uma relação saudável conosco mesma.Fique um tempo com seu silêncio.Leia.Escreva.Viaje.Saia.Veja pessoas novas.Eu garanto que em alguma esquina há alguém á sua espera.Alguém que vai lhe receber com um sorriso.Eu já virei muitas esquinas, mas nunca encontrei um sorriso permanente.


2)      Tenha seu tempo
Uma das coisas mais importantes é ter o seu tempo de chorar.Sei que tem muita coisa acumulada no coração e que temos o costume de segurar a onda para não deixar transparecer,mas...isso atrasa nossa evolução como ser humano.Chega uma hora em que a bomba explode, e nós sabemos como o resultado é insatisfatório: sempre estouramos com pessoas que merecem nosso amor, mesmo que nós não acreditemos no significado desse sentimento.


3)      Família
Passar um tempo com sua família faz você recarregar suas energias.Converse com sua mãe, troque ideias com seus irmãos e até dê um sorriso bobo para o seu pai.Todo mundo tem alguém que considere sua família.Se apegue á eles nesse momento.Vai perceber que as pessoas que mais amamos nos machucam também( e vice-versa), mas no final do dia, quem estará lá para chorar junto com você ou sorrir...serão eles.Se apegue ao amor.


4)Respire
Em momentos assim, é tão difícil controlar nossa respiração.Estamos sempre segurando esse sentimento, como citei acima, e tentando não chorar e não demonstrar que nem percebemos quanto tempo perdemos sem respirar.Fique calmo, faça algo que a distraia e entenda que a vida nunca será o conto de fadas da Disney, talvez seja algo mais como The Walking Dead.

Essas quatro dicas são conselhos que dou para qualquer pessoa que já se machucou com alguém, mas também são coisas que preservo na minha mente e tento colocar em prática todos os dias.Eu também estou aprendendo a viver comigo mesma,afinal.

Xoxo,

Carol



julho 28, 2015

(Resenha) Tudo Sobre Taylor Swift, by Editora Agir


“Tudo sobre Taylor Swift” é uma biografia resumida da nossa querida loirinha country.Publicado pela Editora Agir, temos nesse livro vários pequenos textos sobre a história de Taytay.


Porque sim, eu sou uma louca e doente e não consigo parar de comprar livros.É que poxa, a Tay estava toda linda na banca de jornal e tive que comprar.Conta tudo aquilo que já conhecemos( mas com ilustrações fabulosas,devo admitir),em que uma garota abandonou uma das maiores gravadoras do centro de Nashville para “viver seu sonho cantando e escrevendo as próprias músicas”.
Tay começou a cantar quando era pequena e isso inclui participações em festivais da escola,entre outros.Impressionada com o talento nato de Faith Hill, Tay seguiu seu rastro de sucesso e decidiu se jogar no mundo da música.Chegando na cidade country mais famosa do universo(ahahahah), Tay percebeu que todas as garotas lá queriam fazer a mesma coisa: cantar.Estudando um diferencial para conseguir realizar seu sonho, Taylor Swift escreve suas próprias músicas e aprende a tocar violão graças á um cara que vai consertar seu computador.Aprendeu um acorde e escreveu a música “Luck You”, que nada mais é sobre uma garota que quer ser diferente num mundo onde todos são iguais e querem o mesmo sonho.


Machine Records lançou Taylor Swift como sua primeira( e melhor, óbvio) aposta da gravadora nova, uma vez que a nossa loirinha entrou nessa loucura por conta do Scoot Borcheletta, o dono.Conheceu o cara no Bluerbird Coffe, que é onde todos os caras famosos do country foram reconhecidos pelo seu trabalho e foi como ela foi encontrada também.O único problema é que a gravadora ainda estava na fase inicial,mas Tay decidiu arriscar.E tudo deu certo, como podemos perceber.

Gostei do livro, mesmo que a maioria das informações sejam as que já conhecemos por conta da internet.Tem comentários de músicos famosos, fotos lindas( amava aquele cacho dela,ahahaha)  e explicações sobre algumas músicas que foram escritas.Mas vem cá gente, só entre nós, não está na hora da Tay escrever sua própria biografia?

Xoxo,

Carol


julho 26, 2015

(Resenha) Espero Alguém, by Fabrício Carpinejar

Características:

I.S.B.N.9788528616941
Idioma Português
Editora Bertrand Brasil
NÚMERO 1
ANO 2013
 Páginas 336


Sinopse:
Com 'Espero alguém', Carpinejar, mais maduro, tanto profissional quanto emocionalmente, apresenta crônicas escritas após um período difícil de sua vida: o abandono pela mulher amada. Com textos emocionantes, sinceros e, também, engraçados, o autor comprova que ninguém esta preparado para uma separação. 'Espero alguém' trabalha as duas separações do autor. Começa triste e, ao longo das paginas, o ânimo vai melhorando. No final, o alívio. As crônicas tratam da retomada – a superação do luto – provando que tudo passa. Um novo amor é quase uma certeza. E, se você não amar esse amor mais do que amou o que veio antes, provavelmente amará mais a si mesmo. Carpinejar mostra também as contradições do relacionamento: o que cada um precisa e pode fazer pelo outro. A importância da sedução mútua e a convivência com as críticas. Além disso, dá conselhos, como: “não fale mal até vinte dias após o termino. Se reatar, você estará desacreditado.” “Estou solteiro de novo. Ela se separou de mim, eu não me separei dela. E o pior que sou escritor, trabalho em casa. Não conto com um escritório para fugir e mudar de assunto. Identifico sua falta a todo instante. Meu coração é um cativeiro.” (Carpinejar)

Eu já tinha lido algumas coisas do Carpinejar na internet.Conhecia o estilo de escrita e sempre fui apaixonada, até que encontrei esse livro no shopping e bam!Esse livro é um conjunto de crônicas sobre uma fase luto de separação e todos os momentos que envolve essa perda,enquadrando-os no dia-a-dia.Ele conta como a conhecer, como se separaram, como viviam, como brigavam.Cada crônica era um dia diferente e uma realidade doída.Os capítulos são separados dessa maneira também.Por exemplo, no capítulo quatro temos vários textos com o tema “SOU ASSIM”, em que podemos conhecer um pouco mais do autor e suas experiências com a vida,no geral.

“Espero alguém que prove que amar não é contrato, que o amor não termina com nossos erros.” Pg 14.


Os textos são extremamente poéticos, o que inclui o uso de metáforas e analogias para exemplificar as situações em que desabafa.


“Considerávamos um grande desperdício diante da grandeza da predestinação.Para nós, não havia diferença entre o raso e o profundo,tudo era mergulho.Tudo sempre foi mergulho.Um excesso de dom.” Pg 21.


A crônicas que mais gostei do livro inteiro( dificil escolheeeeer,socorro,ahahah) foi “Esquecido,mas feliz” em que o autor cita todas as coisas que esquece, mas nunca pode deixar de sentir o amor.Uma linha que resume isso que estou escrevendo é “Você vive lembrando do que vivo esquecendo”.

A escrita, mesmo que seja poetica é bem simples e lembrou muito a Martha Medeiros e Clarissa Corrêa, que são duas escritoras contemporâneas maravilhosas.

Enquanto li o livro, muitas vezes pensava “Meu Deus, como isso é lindo.Essa forma de abordar as situações do dia-a-dia e nos aproxima mais do autor”,pois somos assim né, queremos textos que retratem nossos sentimentos com simples palavras, sem muita frescura.

Contanto, posso garantir que se você gosta de ler tantooo quanto eu, vai amar esse livro.É sério.Ele tem uma gama de textos e sentimentos que vai deixar você de queixo caído, se perguntando como um cara pode ser TÃO bom.Dez estrelas para o Carpinejar.


Espero que tenham gostado,

Xoxo

Carol



julho 25, 2015

(Rapidinha literária) Canal no youtube

Oi gente, tudo bem?Eu PROMETO que vou gravar mais vídeos ok? Gosto disso e até me ajuda a desenvolver minha timidezzzzzzzzzzzzzz! :) 

Vamos conferir? ^^


Xoxo,

Carol

(Textos Meus) Eu odeio te dizer,

Mas você estava certa.Mesmo com todo aquele papo furado e aquelas poesias sem ritmo: odeio admitir.Eu odeio dizer que ele tem um sorriso lindo, um diálogo incrível e talvez arrisque alguns acordes vocais.Eu odeio dizer que ele tem um carro bonito, mas o imperdoável mesmo é essa capacidade de te encantar.Diz uma palavra e pronto, seu mundo é transformado num filme da Disney.Eu odeio dizer, mas ele tem uma gentileza fora do comum; vi esses dias ajudando uma senhora a atravessar a faixa de pedreste.Eu odeio dizer que ele tem várias amigas, mas gosta mesmo é de você: da joia que encontrou numa rua perdida.Eu odeio dizer, mas ele ama cada defeito que constrói o seu pior interior.Eu odeio dizer, mas ele tem as piores atitudes do mundo e você o perdoa.E ele sempre escreve num papel qualquer que amor é perdoar todos os dias; é esquecer do aperto no coração depois de uma briga idiota, é deitar no travesseiro e xingá-lo de todos os nomes possíveis e mesmo assim, pela manhã, escrever uma mensagem de texto declarando seu amor.É o sentimento que causa agonia, sofrimento,falta de respiração e até uma sensação de  claustrofobia.Eu odeio dizer, mas ele comprou aquele batom pra você porque fica linda naquela cor.Eu odeio dizer, mas ele pegou sua mão no primeiro encontro e nunca mais soltou.Até hoje.Eu odeio dizer, mas ele tem uma moto que a trata como bichinho de estimação.Eu odeio dizer, mas ele te ligou após você descobrir que não passou no vestibular.Eu odeio dizer, mas vocês se conheceram num Sarau de poesias; ele estava recitando sobre um amor que nunca teve.E o idiota do cupido fez lá o trabalho todo.Eu odeio dizer, mas você recitou uma poesia linda sobre um amor que sonhava em ter.Eu odeio dizer, mas ele não virou um verso.Um livro inteiro de poesias metódicas e estupidamente românticas.Eu odeio dizer, mas você não para de falar como seu coração fica pulando toda vez que vocês se encontram.Eu odeio dizer, mas nunca vi esse brilho todo emanando sua alma.Eu odeio dizer, mas até rio um pouco quando você falou da primeira discussão; ele não ligou na hora que falou, e você ficou brava.Eu odeio dizer, mas sua felicidade é uma risada curta e sentida.Em cada toque não dado no meu coração.Eu odeio dizer, mas ele ama todos seus amigos.Eu odeio admitir, mas ele escreve tão bem que pode ultrapassar seu talento nato de demonstrar os demônios escondidos no seu peito.Eu odeio dizer, "eu te avisei, você está completamente ferrada com esse amor", mas pelo menos ama.Não vive nas sombras de um futuro que nunca será o agora.

Eu odeio dizer, mas ele vai cuidar de você como uma mãe cuidaria de seu filho.Eu odeio dizer, mas ele vai ser sua primeira transa.Eu odeio dizer,mas vocês vão brigar muitas vezes e fazer as pazes cinco segundos depois.Eu odeio dizer,mas esse sorriso aí - esse que está exibindo agora mesmo - é dele.E de mais ninguém.Eu odeio dizer, mas seus pais vão amar esse cara.Eu odeio dizer,mas você nunca acordou com tanta vontade de viver.Eu odeio dizer, mas você nunca escreveu uma música para alguém; e aprendeu a tocar violão só para fazer uma serenata.Eu odeio dizer, que antes da serenata, ele te pediu em casamento numa Igreja linda da nossa cidade, e tocou Train.Aquela música "Marry Me".Eu odeio dizer, mas ele vai levar seu café da manhã todos os dias.Eu odeio dizer,mas cara, você ESTARÁ linda no dia do seu casamento.Eu odeio dizer que estou desabafando tudo fora de ordem; mas o amor é assim né.Ele falou....é a bagunça mais perfeita do mundo.É tipo seu quarto; não importa como esteja,desde que seja ali.Todos os dias.

Eu odeio dizer, mas vocês terão as melhores fotos.Eu odeio dizer, mas vocês vão escrever um livro juntos.Sobre o amor mais impossível da face da terra.Eu odeio dizer, mas ele vai te magoar.Eu amo dizer, que estará lá para te apoiar.Eu odeio dizer, que meia hora depois, ele vai arrombar a porta com uma buquê enorme de flores e você vai se derreter toda.Eu odeio dizer, que um dia, ele será sua pior ligação.Eu odeio dizer, que nesse momento não estarei lá.Eu odeio dizer, que entre todas as coisas malucas dessa vida,você vai amá-lo até o último suspiro dele.Eu odeio dizer, mas ele vai amar seu vestido brega.Eu odeio dizer, mas você vai amar a gravata borboleta(rosa) dele.Eu odeio dizer, mas merda,vocês formam um casal tão absurdo de lindo.Eu odeio dizer, mas ele vai conhecer sua família inteira - numa daquelas festas - e você vai se sentir em casa .Eu odeio dizer, mas amar é sentir a sua casa dentro de você.Do coração.Eu odeio dizer, mas vocês terão filhos.Talvez um exército.Eu odeio dizer, mas ele vai amar sua voz de galinha,ahahaha.Eu odeio dizer, mas você vai amar a interpretação insana dele de músicas country.Eu odeio dizer, mas vocês vão se amar todos os dias.Eu odeio dizer, mas ele vai te querer pelo olhar.Eu odeio dizer,mas você vai se apaixonar pelo olhar dele.Cada dia mais.Cada segundo não compreendido.

Eu odeio dizer que te avisei de todas as maneiras.Jeitos.Cartas.Músicas.Poesias.Conversas.E odeio dizer ainda mais que você estava tão certa.Ele te amou desde o começo e você apenas completou a última parte.Amo dizer que vocês serão felizes.Meio torto.Meio complicado.Meio tudo.Mas o amor é isso né?Uma metade de um sentimento que é só quando encontra outra metade; e essa existe quando seus olhares são cruzados num tempo indefinido do Destino.É o maldito do amor, minha amiga.Eu odeio dizer,mas você estava certa.Fui até sua madrinha de casamento hoje.

Inspiração: Tiffany Alvord - Hate to Tell You

Xoxo,

Carol :)

julho 23, 2015

(Tag) Eu fico, eu penso!

Fui tagueada pelo blog Jovem Jornalista.Thank you soo much!! As regras são: usar o banner da TAG, indicar 10 blogs e responder as perguntas com "Eu fico, eu penso!".


1 - Maus tratos aos animais:
Eu fico: Enojada 
Eu penso:"É como minha mãe diz, quem maltrata um bichinho não tem coração"


2 - Acordar cedo para o trabalho/escola:
Eu fico: com preguiça,sono.
Eu penso:"Espero que hoje o dia seja em paz"

3 - Dia de postar do blog:
Eu fico: Empolgada
Eu penso:"Eu tenho que fazer dez posts e isso cansa,mas quem liga?Amo fazer isso.


4 - "Amigas" interesseiras:
Eu fico: magoada
Eu penso: "Antes só do que mal acompanhada".


5 - Invasão de privacidade na web:
Eu fico: Estranho
Eu penso:"O jeito como a tecnologia domina o mundo é assustador"

6 - Receber produtinhos de parceiros:
Eu fico: Happy
Eu penso: "Como é gratificante ser reconhecido"


7 - Produtos falsificados sendo vendidos como originais:
Eu fico: Indecisa
Eu penso: "Porque então os produtos originais são CAROS?"


8 - Quando demoram para te dar os parabéns no dia do seu niver:
Eu fico: Chateada
Eu penso: "Será que alguém vai lembrar do meu bolo preferido de prestígio?" ahahahah


9 - Quando pedem algo emprestado pra você e devolvem danificado:
Eu fico: Braba
Eu penso: "Oh povo sem noção" 


10 - Receber elogios no blog:
Eu fico: Anestesiada
Eu penso: "É tão bom ser reconhecida pelo meu trabalho.Gosto muito de fazer isso e se continuarem me seguindo, farei o resto da vida"


Indico os blogs:


Xoxo,

Carol

julho 22, 2015

(Resenha)Quando o amor acontece, by Thaís Santos Lurco

Informações técnicas:
Número de Páginas 200
Idioma Português
Editora Charme
Gênero  Young Adult 













                                 Sinopse:
“Ser adolescente é complicado, mas para Alex é ainda pior. Crescer sem o pai por perto, uma mãe que vive bêbada e à sombra da irmã mais velha perfeita são apenas alguns dos motivos que a levaram a odiar aniversários. Mas é exatamente no dia em que completa 17 anos que a sorte começa a sorrir para ela. Ou não. Quando Jake aparece na pequena cidade de Chestertown, ela vê um novo motivo para acreditar no mundo em meio ao caos. Mas se entregar a sentimentos tão conflitantes não é tão fácil quanto parece...  Como confiar em alguém que você nem conhece quando não é capaz de confiar em si mesma?”


Vocês conhecem a Thaís do blog MissThay?A pessoa mais fofa do mundo?É.Nós nos consideramos irmãs e temos uma história bem louca: nosso primeiro contato foi pelo blog.E daí começamos a prosear no facebook e a amizade durou taaaaaaaaaanto que hoje conversamos até pelo whats,ahahahaha.Eu não sei como explicar a intensidade dessa amizade( ela me conta TUDO e eu faço o mesmo).É tão díficil confiar em pessoas assim, ainda mais quando nunca olhou a pessoa nos olhos.

A Thatá sempre teve o sonho de ser escritora, então quando terminou de escrever essa história, ficou tãaaaaao empolgada e tão impressionada como conseguiu tudo isso que eu tive certeza: ela publicaria seu primeiro livro.Dito e feito.Acho que não tenho palavras para descrever como teve a capacidade de transmitir TODOS os seus sentimentos para dentro do livro, fazendo com que tudo se reflita em nós,meros leitores.Vou contar um pouquinho sobre a história.

A história é narrada por Alex.É uma adolescente comum,mas com a cabeça de adulta.No seu aniversário de 17 anos nada muda: a mesma monotomia de sempre; a mãe bêbada de novo e o emprego medíocre que tem apenas para ajudar nas contas de casa.Então, Alex conhece Jake.E tudo muda.

" - O que foi?- pergunto,cruzando os braços sobre o peito.
-Tem uma folha no seu cabelo.
Ri outra vez, e involuntariamente,presto atenção.Ele joga a cabeça para trás e aperta os olhos.E fica uma gracinha fazendo isso.Pigarreio alto.Uma gracinha?"  Página 8


O mais incrível desse livro é que a Thaís consegue(como citei acima) dar vida á história.Os personagens, como por exemplo Alex, são pessoas reais.Ela é uma garota que vive recuando e fugindo de si mesma pelos problemas que é obrigada enfrentar dentro de casa e tem uma espécie de coração partido por um babaca, por isso vive se desvencilhando de Jake.Ela é frágil e confusa, mas nada como uma melhor amiga para melhorar a situação,certo?Annabel trabalha junto com Alex e mesmo tendo um relacionamento complicado com John, larga o que for para ver a BFF sorrir.A Thaís disse que se inspirou em mim *_* ( e ah, estou na página de agradecimentos também, só para constar,ahahahaha)

Jake é a melhor lembrança para Alex.A garota está nos seus 17 anos e não aguenta mais passar  uma data "festiva" sem pelo menos um bolo qualquer.E na onda de todos esses sentimentos contraditórios,Alex fica com medo de se apaixonar....mas não se importa.Ela acaba descobrindo que o cara bonitinho está na mesma escola.Eles aprontam e vão parar na detenção e o castigo deles é: organizar o baile de formatura.E é nesse meio tempo que percebem a intensidade do sentimento e se declaram.

A outra parte que mais amei nessa história foi a confissão dos dois.A mãe de Alex passa mal novamente e nesse estágio os dois já estão meio que namorando, de modo que Jake vai com a sua garota para o hospital.Tudo está bem, até Jake contar sobre sua vida também.

"- Acho que Deus só queria que fôssemos fortes.Diferentes dos nossos pais - ele olha para cima e me encara novamente - E olhe para nós.Somos diferentes.Somos melhores." Página 86    


PS:Não sei porque, mas comecei a cantarolar Mine(by Taylor Swift) quando li essa última parte da história.

Esse livro vai tocar seu coração.Não digo isso apenas porque a escritora é minha melhor amiga, mas porque o modo como a história é conduzida te leva a pensar TANTO sobre a vida que levamos.Sobre os pesos nas costas que muitas vezes carregamos sem pensar, sobre as dificuldades no geral, sobre os amores e sobre as amizades.Tudo termina bem, do jeito que os personagens merecem.



PS:E sim, ela me escreveu uma carta gigante( e linda) <3 














Xoxo,

Carol

julho 20, 2015

(Resenha) Não se apega não, by Isabela Freitas

Informações técnicas:

Editora Intrínseca
Número de Páginas 256
Idioma Português










                                                                               Sinopse
Desapegar: remover da sua vida tudo que torne o seu coração mais pesado. Loucos são os que mantêm relacionamentos ruins por medo da solidão. Qual é o problema de ficar sozinha? Que me desculpe o criador da frase “você deve encontrar
a metade da sua laranja”. Calma lá, amigo. Eu nem gosto de laranja.
O amor vem pros distraídos.

Tudo começa com um ponto-final: a decisão de terminar o namoro de dois anos com Gustavo, o namorado dos sonhos de toda garota. As amigas acharam que Isabela tinha enlouquecido, porque, afinal de contas, eles formavam um casal per-fei-to! Mas por trás das aparências existia uma menina infeliz, disposta a assumir as consequências pela decisão de ficar sozinha. Estava na hora de resgatar o amor-próprio, a autoconfiança e entrar em contato com seus próprios desejos.
Parece fácil, mas atrapalhada do jeito que é, Isabela precisa primeiro lidar com o assédio de um primo gostosão, com as tentações da balada e, principalmente, entender que o príncipe encantado é artigo em falta no mercado.
Isabela Freitas, em seu primeiro livro, narra os percalços vividos por sua personagem para encarar a vida e não se apegar ao que não presta, ainda assim, preservando seu lado romântico.

Eu não sabia o que esperar desse livro, apenas queria comprá-lo logo.Comecei há uns dois meses seguir a Isa no blog oficial, onde publica seus textos(lindoooos) e fiquei ansiosa para o primeiro livro.
O livro começa com vinte motivos(como se fosse auto-ajuda)para você se desapegar da vida e das pessoas.

“7.Amigo de verdade é raro e 90% daqueles que você considera “amigos” são apenas morcegos sugadores de felicidade.”


A Isa também posta vários vídeos( sobre relacionamentos, no geral) no canal do youtube e assim como sua personalidade engraçada é exposta lá, na escrita não muda muita coisa.Ela alfineta as pessoas que lhe magoaram e fala sobre os corações partidos com sarcasmo.

“É claro que eu tinha plena consciência de que ia sofrer,afinal,foram dois anos ao lado da mesma pessoa.(Pausa dramática).Dois anos...” Página 16


Ela se baseia no seu término que teve uma duração de dois anos.Não era mais feliz,não conseguia mais suportar ver a cara do fulano e mesmo assim continuava porque era cômodo, mas acho que chega uma hora em nossas vidas que precisamos levantar a potranca(ahahah) da cadeira e agir.Não somos obrigadas á ficar um longo tempo com o cara só porque o medo de ficar sozinha é maior que tudo.Tem tanta coisa boa pra viver solteira.É isso que nossa loirinha descreve ao longo do livro.

A partir disso, começa a relembrar todos os seus amores antigos.Fala sobre a importância de cada um em nossa vida...como evoluímos ao sofrer em cada relação.As lições que levamos para casa e como parece ser tipo um estágio, um emprego, em que você vai avançando conforme passa na experiência.

“E isso só o amor que machuca pode fazer por você.Se já passou por isso,parabéns por essa conquista.Se ainda não viveu nada disso,prepare-se.É necessário.” Página 22


Pareceu que eram vários textos em forma de crônicas que ela escreveu para relembrar cada experiência(seja dolorosa ou incrível) que já passou.Não é como ler um livro de auto-ajuda,mas sim como conversar com sua melhor amiga sobre o último relacionamento que te deixou louca ou te deixou completamente no chão.Ou, quem sabe, acertou de vez.







 Xoxo,

Carol









julho 15, 2015

(Top 5) Youtubers

Oi,oi,oi,tudo bem?Espero que sim.Hoje vim apresentar pra vocês os youtubers que sigo sempre e que não perco um vídeo.Vamos lá? :) 



1) Tiffany Alvord

Ela é uma cantora que descobri no youtube por meio de alguns covers famosos e é incrível o jeito que canta( em seu próprio estilo) e a sua carisma.Gosto muito dos vídeos e sempre acompanho.PS:As músicas originais são fofas demais.


2)Invento na hora


Eu descobri esse canal perto do Natal no ano passado e cara...ele é tão bobo nos vídeos que grava que você dá muita risada.Tipo Chaves sabe?Gosto muito do Lucas Lira( o nome dele) e como consegue transportar o seu mundo para os "telespectadores".



3)Izabela Lopes

Ela é dona do blog Brincando de Escritora e é a blogueira literária mais fofa do mundo,ahahahahaa.Brinca, faz aquelas vozes engraçadas de taquara rachada( vocês vão entender melhor quando ver o vídeo..eu sei que faz parte da edição essas vozes) e tem um conteúdo super bacana.Gosto muito das tags que grava :) 



4)Bruna Fontes

Ela é escritora e recentemente começou a postar vídeos no youtube.Autora de La La Land - O Sonho Americano, a garota é hilária( assim como nos seus textos estilo Meg Cabot) e consegue cativar nossa atenção.Espero que poste cada vez mais :)


5)Isabela Freitas

Autora do livro "Não se iluda,não" e "Não se apega,não", a garota mostra com muito humor em seus vídeos assuntos sobre relacionamentos,família,amizades e muitos conselhos para si mesma.Comecei a assistir faz pouco tempo, mas gosto das brincadeiras que faz nos vídeos e do modo como conduz o seu tempo em frente as câmeras.


E aí, gostaram do meu top 5 youtubers? Me falem quais são os que vocês mais gostam também.

Xoxo,
Carol :)

julho 13, 2015

(Resenha) Despertar - A Bandeja, by Lycia Barros

Informações técnicas:
Número de Páginas 240
Idioma Português




Sinopse:
Vencedor do Prêmio Codex de Ouro de Melhor Romance.
Aos 18 anos, Angelina está prestes a viver o maior desafio de sua vida: sair de Petrópolis para estudar no Rio de Janeiro, deixando para trás os cuidados e a proteção de seus pais.
Assim que se instala na república de estudantes e começa a assistir às aulas, a jovem percebe que as dificuldades serão muitas. Ela divide um quarto com uma colega desorganizada, uma frequentadora assídua de festas e chopadas que vive cercada de más companhias. Além disso, as condições das instalações da faculdade são precárias e os professores não parecem comprometidos.
Angelina já está desanimando de sua nova vida quando esbarra no lindo
Alderico – ou Rico –, um cara capaz de fazer qualquer garota perder o fôlego. O que ela não poderia imaginar era que Rico é seu professor de linguística e se interessaria por ela também.

Deslumbrada com a descoberta da paixão e certa de que Rico é seu grande amor, Angelina se joga de cabeça nessa relação, ignorando todos os conselhos que recebera dos pais a vida inteira.
Ao mesmo tempo ela começa a ter sonhos que não consegue entender: homens lhe oferecem objetos numa bandeja e, logo depois que Angelina aceita seus presentes, eles se transformam em feras e desaparecem numa floresta.
Primeiro volume da série “Despertar”, A bandeja é um romance arrebatador que retrata os dramas e as provações pelos quais qualquer jovem passa quando se afasta de sua essência e deve trilhar de novo o caminho do amor verdadeiro e de Deus.

Um conselho para ler esse livro: respire bem fundo antes de começar.É sério.A história, no começo, parece tão boba com a Angelina despedindo-se dos seus pais para ir morar na república da melhor universidade do Rio de Janeiro.Ela é cristã e tem certeza absoluta que seus sonhos estão apenas no começo de algo grandioso – e estão mesmo, só que meio distorcido do que ela realmente planeja.A história se desenvolve lentamente, como uma personagem em construção.Angelina larga sua família, seus melhores amigos para estudar Letras.Já no começo da história, conseguimos observar um poder imenso de Deus.A forma como Angelina e os outros personagens abordam essa questão é um pouco delicada,pois, escrever ou falar sobre a fé de cada um sempre exige um pouco de razão.Não podemos usar apenas nossas experiências ou até mesmo o que conhecemos para impor as pessoas ao redor, mesmo que o conceito aqui não seja esse.A autora nega qualquer possibilidade de “converter” você ou qualquer outra coisa do tipo, mas sim mostrar a existência de Deus e como ás vezes Ele nos envia sinais dos quais nem percebemos.

Para quem não me conhece direito, cursei Letras na UNIP e alguns conceitos que a personagem cita no livro me fez rir. Por exemplo, a questão de ter várias mulheres estudando essa “matéria” é tão sincera quanto à parte que os homens são homossexuais.Não sei porque.É claro que heterossexuais cursam Letras, mas a maioria não.

Procurei sobre os novos gêneros literários e achei em um canal de um blog americano a diferença entre YA e NA.New Adults normalmente são histórias que se passam dentro da faculdade e essa transição da vida adolescente para uma mais adulta.Os pensamentos,os relacionamentos, as intrigas, as dúvidas são características do gênero.Young Adult normalmente são citados com personagens entre 12, 13 ou até 16 anos, diferenciando-se do NA, que tem como idade dos 18 aos 25 anos.É um pouco complicado fazer essa semelhança ou então “desgrudar” esse conceito porque os dois são parecidos e ás vezes confundem um pouco.Mas para todos os casos, Despertar é NA.

Michele, sua nova colega de quarto é filha da amiga da mãe de Angelina e gosta de ser a menina rebelde.Vive em baladas, saindo para lugares exóticos e fumando.A nossa Angel recua a amizade,pois o que sua mãe lhe ensinou passa bemmmm longe disso, mesmo que depois, lá no “futuro”, as duas virem melhores amigas.As coisas mudam,afinal.

A autora critica a faculdade, o não paradeiro do nosso dinheiro ( aquilo que chamamos de imposto) e a religião em si( essa mais aprofundada na obra inteira), o que achei muito legal.Por exemplo, quando a Angelina chega na faculdade e vê todos aqueles banheiros nojentos e tudo em estado precário revela bem como o nosso dinheiro é levado para um lugar secreto,né.Não sabemos como funciona esse “imposto”.Gostei muito dessa observação sutil da autora.

Angelina é do tipo “certinha”.Tudo isso tem a ver com a criação dada pelos seus pais,é claro,mas quando conhece Rico tudo isso muda.Ela se apaixona por esse cara, escuta sininhos e toda aquela coisa de amor,mas eis que vem a bomba..ele é seu professor de Linguística.Eu vi isso em Métrica, no primeiro( e único da série, preciso criar vergonha e ler tudo,ahahahah) livro da trilogia, em que a personagem principal também se apaixona pelo professor.Escutei por aí que isso também é meio comum no NA,mas vamos continuar a minha opinião sobre essa história maluca.

E o pior de tudo: o cara é um mala sem alça.Angel se apaixona, se entrega(até demais) e enlouquece por ele.De vez em quando, dá uma raiva dela quando cai aos pés do vagabundo, mas..enfim..tá..rs! Uma coisa me incomodou: no começo, quando Rico entra na casa que Angelina está morando, ele não é tão íntimo pra chegar lá e mexer em umas sacolas que continham compras da menina.Não sei, pareceu muito forçado a intimidade que estabeleceu-se rápido.Tudo isso vai contra as “regras” da família cristã de Angelina e é quando ela começa a ter sonhos estranhos.Achei linda a forma como a autora criou toda uma metáfora para explicar o medo e todos os sentimentos que vimos nas linhas expostas nestes sonhos que são muito bem explicados no final do livro. 

“Ele me viu e seus lábios se curvaram num sorriso receptivo...meu pequeno mundo particular.Só o fato de respirar o mesmo ar que ele já me deixava ridiculamente feliz”. Página 76.

Angelina começa a ficar mais tempo no Rio de Janeiro por causa dele do que em Petrópolis, que é onde seus pais moram.Michele sempre vai para casa aos finais de semana, e ela sempre ficava, pois queria aproveitar mais tempo com seu “grande amor”.O amor é intenso e machuca quando Rico vem com uma tempestade: o cara é casado.A partir dessa confissão,Angelina percebe que desde que entrara ali havia se afastado de Deus e então começa a procurar novamente sua fé.Natasha e Dante, seus melhores amigos a ajudam nesse caso no final do livro, quando os dois voltam de um intercâmbio e envolvem-se num projeto lindo que consiste na união de vários jovens por Deus.Entre um turbilhão de sentimentos á flor da pele,Angelina se vê num impasse: perdoar o Rico pelo seu erro(nesse momento ele pede uma segunda chance) ou embarcar em uma vida tranqüila e repleta de paz?

Em suma, essa resenha ficou enooorme( sorry,ahahaha), mas o livro aborda muitas questões polêmicas.Amei o estilo da escritora...eu consegui me sentir dentro do livro.Consegui sentir na pele cada choro, cada erro,cada sorriso da personagem.E quem tem essa habilidade de transportar o que a personagem sente para o leitor torna-se capacitado para fazer isso o resto da vida,ahahahaa.Lyciaaaaaaa,escreva logo a continuação,please :) 

Xoxo,

Carol

julho 10, 2015

(Resenha) Eu Estive Aqui, by Gayle Forman


PS:Nessa foto,do lado esquerdo com blusa cinza é meu padrinho que já faleceu.Sinto muito a falta dele.

Características:
Assunto Romance
Editora Arqueiro
Número de Páginas 240
Origem Nacional
Idioma Português
Data de Lançamento 2015
Gênero Literário New Adult

Sinopse:

Quando sua melhor amiga, Meg, toma um frasco de veneno sozinha num quarto de motel, Cody fica chocada e arrasada. Ela e Meg compartilhavam tudo... Como podia não ter previsto aquilo, como não percebera nenhum sinal? 

A pedido dos pais de Meg, Cody viaja a Tacoma, onde a amiga fazia faculdade, para reunir seus pertences. Lá, acaba descobrindo muitas coisas que Meg não havia lhe contado. Conhece seus colegas de quarto, o tipo de pessoa com quem Cody nunca teria esbarrado em sua cidadezinha no fim do mundo. E conhece Ben McCallister, o guitarrista zombeteiro que se envolveu com Meg e tem os próprios segredos. 

Porém, sua maior descoberta ocorre quando recebe dos pais de Meg o notebook da melhor amiga. Vasculhando o computador, Cody dá de cara com um arquivo criptografado, impossível de abrir. Até que um colega nerd consegue desbloqueá-lo... e de repente tudo o que ela pensou que sabia sobre a morte de Meg é posto em dúvida. 

Eu estive aqui é Gayle Forman em sua melhor forma, uma história tensa, comovente e redentora que mostra que é possível seguir em frente mesmo diante de uma perda indescritível.

Não sei como essa editora consegue ser tão marcante na minha vida.Todos os livros que li(A Linguagem das Flores sempre será meu favorito da vida) influenciam meus sentimentos de alguma forma.Eu Estive Aqui, da Gayle Forman foi mais um que entrou pra lista dos “Ai,Meu Deus, que livro intenso”.Meg e Cody são melhores amigas desde pequenas(quem narra é Cody), mas a vida das duas mudam quando estão prestes á entrar na faculdade.Meg muda de cidade e Cody resolve continuar no mesmo lugar de sempre.Tudo fica estranho quando um e-mail aparece na tela de Cody com Meg escrevendo sobre morrer e como lamenta por tudo acabar assim.Os pais de Meg contam para Cody que a menina tomou um veneno e se matou.O mistério começa a partir dessa atitude completamente contrária á personalidade de Meg.

Cody sente-se tão inerte á própria dor que consegue segurar muito bem a onda quando começa a abrir um arsenal de investigações sobre o possível envenamento da melhor amiga.Só não consegue acreditar o quanto não conhecia a própria pessoa que conviveu por longos anos, mesmo considerando praticamente sua irmã.Sabemos que essa atitude – de não seguir em frente e procurar o que aconteceu – é apenas um modo que encontrou para manter perto a “presença” de Meg.Acha a primeira pista no quarto onde morava na República. 

“Meg sempre havia sido bagunceira,seu quarto em casa cheio de pilhas vacilantes de livros e CDs,desenhos,coisas que ela começava e deixava pela metade:uma lâmpada que estava tentando reinstalar...A cama está feita.E a maioria das roupas está já está dobrada.Há caixas desmontadas debaixo da cama.” Página 21


Cody conhece Richard e descobre que a melhor amiga tinha adotado dois gatos, mas não poderia ficar com eles.Numa tentativa de espairecer de toda aquela confusão, ela e Richard saem durante a noite(lugares que Meg freqüentava o tempo todo) e ela conhece Ben, um guitarrista duma banda desconhecida que teve “algo” com sua melhor amiga.Ele recua um pouco quando Cody conta o que aconteceu, mas decide tentar ajudar nesse caso de qualquer forma.

Há um drama psicológico que Cody estabelece quando envolve-se realmente com Ben, o ex-ficante de sua melhor amiga.Se pergunta várias vezes até que ponto era correto trocar beijos e compartilhar sentimentos sombrios com aquele cara,mas afinal..estava tudo acabado entre eles mesmo.E ela precisava de uma âncora.Não posso explicar muita coisa porque senão vira spoiler, mas Cody consegue descobrir que sua amiga estava participando de um grupo de suicidas na internet e todos eles a incentivavam se matar, por meio de mensagens que a induziram cometer este ato.No meio do livro, a autora revela porque ela teve essa vontade de se matar..tem uma explicação muito sensata e correta para esse ato, por mais que né...tirar a própria vida nunca será uma forma de tranqüilizar seus problemas.

Esse livro não fala apenas sobre a morte.Fala sobre o sentimento que acalentava o coração de Cody e o quanto sentia-se obrigada á descobrir tudo que havia acontecido, mesmo não sendo verdade.É díficil imaginar uma situação assim...em uma vida que você tem tudo( que transparece,na verdade), mas por trás da máscara há um grande segredo que não tem coragem de contar.Porque a morte dela, como citei acima, tem uma razão.Mas essa nem foi a pior parte...na última página do livro a autora afirma que tudo isso foi baseado em fatos reais.Existiu uma garota que se suicidou quase pelas mesmas razões de Meg..é tão triste pensar que exista uma doença capaz de destruir nossa vida.E definitivamente, chorei quando li isso.Ok, sou chorona mesmvco,ahahahaa,mas qual é gente...qualquer leitor digno de um sentimento conseguirá sentir o desespero, a angústia e até o nojo daquele grupo de suicidas.Eu preciso ler os outros livros dessa autora( nunca li), porque sua sensibilidade e veracidade com as palavras...é lindo!!!

PS:E essa capa hein gente?Pelo que vi por aí, os outros livros são assim mesmo: recortes de lembranças dos personagens.Genial.

Xoxo,

Carol

julho 08, 2015

(Comportamento) Relacionamento á distância

E aí galera,beleza?Hoje venho falar de uma coisa tão comum nos dias atuais e ainda sim muito complicada.Quem nunca nessa (crazy) vida viveu um relacionamento á distância?Ok, vou contar a minha história.Namoro um cara que sempre foi o melhor amigo de toda vida, até que um dia resolvemos tentar esse outro lado da moeda e ver o que acontecia.O amor é bonito, os versos são completos e os sininhos até tocam, mas qual é, sabemos o quanto isso é delicado,certo?Nossa amizade sempre foi bem aberta( no sentido de sermos honestos demais) e então achamos que não teria problema algum.E confesso que foi bem mais fácil do que pensei, mas..ainda sim existe a saudade, a vontade de estar ao lado todo final de semana(pelo menos) e a coisa louca de querer contar tudo um para o outro.Nós nos falamos sempre, não importa o tempo, o horário.. a comunicação durante o dia torna o relacionamento seguro.Sempre falo que se fosse qualquer outra pessoa isso iria ser um caos.Tipo, eu o conheço há cinco anos e sei exatamente o que acontece na sua vida e como tudo é insano e corrido.Ele vive no RJ e trabalha pra caramba lá, mas a família inteira mora aqui em SP.E eu moro em São Paulo também.Agora deixa eu falar coisas básicas de uma relação á distância.

1)Confiança
Isso vale para QUALQUER relacionamento em QUALQUER lugar do mundo.O cara pode estar do seu lado e traindo você.Isso ninguém entende..todo mundo julga o a nossa relação pela distância, mas se eu ou ele quisesse poderíamos fazer coisas erradas perto um do outro.Não sou o sapato dele e vice-versa.Concordo que num namoro assim, as coisas são diferentes.Você precisa estar "ok" quando ele falar que vai sair com os amigos ou quando ele quiser passar um tempo com a família dele, porque qual é.. se colocar na situação do também faz parte,né?Precisa ficar ciente de todos esses pequenos detalhes quando aceitar um relacionamento á distância.

2)Forever Alone
Posso afirmar que qualquer tipo de aprendizado é para toda a vida,certo?Eu sempre fui a garota sozinha, solitária, que gosta de pessoas ao redor.Eu mudei muito nos últimos anos com a faculdade e tudo que tem acontecido, mas se você escolher esse tipo de namoro, precisa concordar com os momentos "solitários".E são bons, viu?Aprendemos um bocado quando estamos em casa, escutando aquelas músicas bobas românticas, escrevendo, ou simplesmente lendo um livro.Resumindo, ele não vai sufocar você ou te enfiar numa caixinha com a intenção de ser somente dele e pronto.Eu saio com minha irmã, com meus amigos da faculdade e também vou em Saraus com meus amigos quando ele não está aqui.E não tem treta.

3)Disposição
Não há relação sem doação,right?Se você estiver na defensiva, com medo de tudo o que acontecer entre vocês dois, a coisa será um saco.Precisamos viver o dia de hoje como o último.Então, se pergunte... tudo bem se ele te chamar pra ir lá no estado ou país dele?Porque se a resposta for clara e objetiva, então vá em frente, mas se a sua resposta for negativa, então caia fora.Você não serve para viver nesse relacionamento.

4)Firmeza
As pessoas vão encher suas cabeças de porcarias.Falar que ele está com outra pessoa, que ele não te merece, que você precisa de alguém mais presente,e..é só filtrar e jogar fora aquilo que não te agrada,sabe?Escuto um monte disso o dia todo.E além do mais, é desnecessário ficar contando a sua história pra todo mundo, já que eles estão confiantes que vai dar tudo errado.Então, seja firme no seu sentimento e não deixe NINGUÉM destruir aquilo que criou.E cria todos os dias.

5)Amor de verdade
Como citei, conheço meu namorado há cinco anos e nós sabemos o que sentimos um pelo outro.Ele é tão sensível quanto eu(ahahahahah), de modo que está tudo certo.Você vai pirar por uma coisa boba ou outra( porque afinal, não é fácil todo dia manter isso), mas você vai escutar a voz dele no final do dia e perceber que vale a pena.É sério.Se você o ama, se você a ama, cada obstáculo, cada frase mal direcionada, vai ficar tudo bem.
Em suma, esse namoro é o primeiro que mantenho a distância dessa maneira, mas não me arrependo de nenhum segundo longe ou perto.Todos os momentos que passo ao lado dele e todos os momentos em que fico sozinha ou ao lados dos amigos é essencial para o amadurecimento de cada um.Então, eu posso dizer que com um relacionamento assim você aprende dez mil vezes mais?Yes.Posso.

Espero que vocês tenham gostado desse post e também quero que alguém aí me fale se vive um relacionamento assim e como é o dia-a-dia.

Um grande beijo :)

PS:Juliana Bittar,olha eu aqui escrevendo sobre relacionamento ahahaha! 

Xoxo,
Carol