agosto 17, 2014

(Resenhando) - Namorados Imprestáveis,by Jessie Jones.


Páginas 378
Edição 1
Editora Bertrand Brasil
Ano 2009
Assunto Auto-Ajuda
Idioma Português
Código de Barras 9788528613810








Sinopse

Embalado por uma trilha sonora dos clássicos do pop anos 90 e ambientado nas ruas de Londres, "Namorados Imprestáveis" é uma viagem pela vida amorosa de Dayna - e todos os seus fantasmas! 

Com uma cota surpreendentemente alta de namorados imprestáveis no currículo, Dayna Harris, 27, no auge das dores do parto, reflete sobre todos os seus ex enquanto uma pergunta dos leitores fica no ar: quem diabos é o pai? 

"Namorados Imprestáveis" é um romance hilário sobre o amor no século XXI, que mostra o quanto uma garota precisa suar antes de encontrar sua alma gêmea. A autora consegue sustentar o mistério sobre a identidade do pai até o final da história, narrada em flashback a partir das primeiras contrações de Dayna na sala de parto. Muitas leitoras vão se identificar com os tipos de namorados descritos, com as furadas em que a protagonista se mete e com os sapos que ela precisa beijar até encontrar seu príncipe.

Escrito por Maria Beaumont, consagrada autora de bestsellers, sob o pseudônimo de Jessie Jones, ela agora anda pensando em dar continuidade ao tema desse romance. Quem sabe não vai escrever Maridos Imprestáveis, Filhos Imprestáveis, Crise de Meia-Idade Imprestável, Asilos Imprestáveis? Vamos aguardar.



Dayana Harris está prestes á ter seu primeiro filho e então começa a pensar sobre todos os seus ex-namorados.Com características e personalidades diferentes,nos perguntamos:quem é o pai dessa criança?
Dayana tem uma lista incansável dos seus antigos namorados e todos eles aprontaram alguma coisa para sair após um tempo da sua vida,menos Simon.Seu primeiro amor - pelo menos é o que pensava - com quem teve um relacionamento estável até um certo momento sai do controle quando Dayna descobre que foi traída.A partir daí, começa a se envolver com várias pessoas apenas para preencher o vazio no seu coração.Mesmo que eles sejam apenas um passatempo para ela não ficar sozinha, a nossa protagonista arrisca seu coração por alguns deles e até se apaixona - por que não?
Conhecemos um Chris que é completamente o oposto da personalidade dela e inteligente,mas muito bonito e irresistível.O menino aspirante á rock star pisa na bola e Dayana segue para o próximo.Archie é bonito,inteligente(também) até ela descobrir "suas verdadeiras cores" que  a autora descreve na aba do livro.Com o Gabriel, nem temos tempo para gostar de suas atitudes ou algo assim,pois sai de cena muito rápido.Mark é uma graça e parece ser o tipo de cara que toda garota sonha,mesmo Dayana não gostando muito do fato dele ser um protestante, mas há algo por trás desse rosto que ninguém sabe.E não é muito bom.E então, por último, mas não menos importante, conhecemos o Christian, que é o verdadeiro príncipe e até faz o grande pedido para Dayana.Talvez seja O Escolhido,certo?
A história toda foi muito bem construída.Dayana é meio doidinha, mas tudo o que quer é encontrar alguém que a respeite e possa amar intensamente.Ao longo desses relacionamentos,ela entra em conflito algumas vezes,misturando os sentimentos pelos nossos garotos e perguntando-se o que diabos está fazendo com sua própria vida.
Emily é a melhor amiga de Day e está na sala de parto tentando tranquilizá-la.

"- Não são as malditas contrações,Emily.É minha mão.Solte-a,pelo amor de Deus. - Tento arrancar minha mão,mas ela não solta...tão carinhosamente quanto uma morsa esmagadora de ossos,quero dizer."

Quando comprei esse livro não esperava muito.Sei lá, a sinopse não me deixou muito curiosa,mas resolvi ler mesmo assim( paguei 10 reais nas lojas americanas) e me surpreendi.Você pensa que é um livro bobo,mas abre a boca a cada página porque os acontecimentos seguintes não revelam nada do que você espera.E isso é ótimo,porque te prende completamente na história.Gostei da autora, nunca tinha lido nada dela, mas o senso de humor usado foi usado na dosagem certa.

Recomendo esse livro para você que quer sair completamente do clichê.

Xoxo,

Carol